Anúncios

NI 170. Studio Seasons e mais brasileiros estão entre os vencedores do 7º Silent Manga Audition

Concurso japonês divulga premiados…

O Silent Manga Audition, concurso internacional organizado pela Coamix Corp of Japan, divulgou o resultado do 7º concurso e, como em outros anos, vários brasileiros estão entre os premiados. Aos que não conhecem, o Silent Manga Audition é um concurso de obras inéditas, aberto a participantes de todo o mundo, e que tem como diferencial o fato de os quadrinhos não terem balões de fala. Cada edição do concurso possui um tema diferente e os participantes devem enviar sua história baseado nele. Nesta edição o tema foi “SABOR INESQUECÍVEL”.

Ao todo foram 608 inscrições, dos quais houve 41 vencedores, divididos em 5 categorias diferentes. Dentre os 41 vencedores, 5 foram brasileiros e só não tivemos vencedor na categoria “The Excellence Award”. Dentre os ganhadores, estão nomes como Fabiano Ferreira, criador de uma das histórias do segundo BMA, da editora JBC, e o Studio Seasons, criadores de mangás nacionais como Helena, publicado pela NewPOP. Você confere os 5 vencedores abaixo, divididos pela categoria em que ganharam. Para ler as histórias, basta clicar sobre os títulos das obras acima e você será redirecionado ao site do concurso.


GRAND PRIX RUNNER-UP


Grandmas Flavor, de Eudetenis.


THE JUDGE AWARDS


Ronc!, de heitoramatsu.


MENÇÃO HONROSA


World Taste challenge, de Edson Kohatsu.


SMAC! EDITORS AWARDS


The Taste Of Adventure, de Fabiano Ferreira.

Humanity Taste, do Studio Seasons.

***

Fora os vencedores, vários outros brasileiros tiveram seus nomes divulgados entre os indicados.Você pode conferir todos os vencedores e os indicados, clicando aqui.

Curta nossa página no Facebook

Nos siga no Twitter

 BBM

 

Anúncios

12 Comments

  • Agronopolos

    Agora é só fazer mangás que podem ir para as bancas de jornal

  • Grandma’s Flavor do EUDETENIS me deixou chorando aqui.

    RONC! é daqueles que é interessante, mas parece que faltou alguma coisa a mais.

    World Taste Challenge eu demorei para entender a premissa, mas o final foi interessante.

    The Taste of Adventure foge do padrão dos outros, mas é o único dos brasileiros que poderia se esteder para mais capítulos.

    Pão de Queijo! Apareceu pão de queijo no Humanity’s Taste do Studio Season. Eu, mineiro que sou, já fiquei com vontade de comer.

  • Cara, já tem um tempo que os brasileiros estão se destacando nessa competição. Olha a diferença de nível dela e do BMA.
    Aí eu lhe digo: é falta de bons artistas, bons roteirista, ou de uma política editorial que preste?

    • Roses

      Minha opinião (puro achismo mesmo), acho que é também a falta de prêmio. O prêmio de ser “publicado” pode ser um sonho para um completo amador, mas um cara mais profissional ou com alguns anos de experiência não vai gastar o tempo dele para fazer uma história sem ganhar nada com isso e todos os direitos e retornos ficarem com a editora.
      Qualquer outra premiação que se preze tem PRÊMIOS de fato. A TokyoPOP muitos anos atrás fez coisas similares, mas os vencedores não só ganhavam dinheiro, como tinham a chance de lançar algo pela editora e trabalhar nos projetos da editora como os mangás de World of Warcraft, Domo e outros que foram publicados no Brasil.
      A premiação da JBC é totalmente desimportante, não gera nenhum futuro para o ganhador, não dá nenhum retorno monetário ou em “oportunidade”. Quem quer lançar algo no Brasil e ganhar algo com isso vai atrás da Draco, do Silent Mangá, que premiam com dinheiro e OPORTUNIDADE.
      BMA pode ter um nome pomposo, mas não passa de uma promoção besta. Uma BMA de verdade premiaria obras existente, sejam eles profissionais e publicados ou amadores e webpublicados. Prezando de fato autores e lhes dando VISIBILIDADE e recompensas que os ajude a perseguir aquilo.

      O que é falta é uma premiação de verdade.

      • E Roses, não é só a premiação, mas toda a forma de encarar esse concurso é completamente diferente de qualquer coisa feita no Brasil, em qualquer área. Pra começar, os editores que promovem o concurso DÃO AULAS DE MANGÁ DE GRAÇA NO YOUTUBE. Quem faz isso aqui?
        Como eles não publicam impresso a priori, mas é tudo na plataforma digital, eles deixam história com numero ilimitado de páginas, ilimitado número de obras publicadas, não é uma concorrência propriamente, já que eles premiam baseado na qualidade, tanto que as vezes o prémio principal não sai, a multiplos vencedores em algumas categorias, a as menções honrosas (quem não ganhou premio, mas pontuou no “concurso”). Quem acumula x pontos vai pro japão passar um ano lá estudando com grandes figuras do mercado lá.
        Como você acha que um artista se sente com isso, ainda mais aquele que tem anos de esforço na melhora do seu trabalho? Cara, o mais legal de tudo é o respeito que você sente com os artistas. Isso é o principal, e todo o resto é consequência disso.
        Quando a gente olha pro mercado nacional, infelizmente a gente vê o oposto, em regra. Não que a gente não saiba as dificuldades que o mercado de quadrinho tem, a gente sabe. O problema é que a maioria das editoras não quer nenhum trabalho na produção, quer pegar algo já pronto e publicar. Quer apostar no que já está certo. Poucas iniciativas editoriais saem em disso, e a maioria são de editoras anãs, como a Draco. Aliás, a Draco tá dando uma surra nas outras nesse quesito. São várias coletâneas, são títulos solos. E principalmente, a forma como eles tratam os artistas, de forma muito profissional.
        A galera elogia a JBC por “descobrir” o Kaji, mas quem tá publicando ele é a Draco. E não só ele mais um monte de gente tá se aproximando, não por serem chegas de ninguém, mas por que a Draco procura por esses talentos.

        • É @Roses, concordo com praticamente tudo que você disse… De fato esta coisa de um REAL prêmio ao BMA é o que sinto falta desde o 1º…
          Acho que inclusive a JBC vai acabar cancelando este BMA mais cedo ou mais tarde.
          Talvez a única coisa que se salva neste “desimportante” BMA é o fato do cara ter uma certa visibilidade temporária. E foi justamente aí que o Kaji, entre outros bons nomes, apareceu para outras editoras, como a Draco.

          Neste sentido da premiação e da oportunidade, apesar de muito mais “concorrido” e difícil (especialmente por causa da falta de texto para transmitir tudo que se quer mostrar), o SMA é algo completamente maior e melhor que o BMA… nem se compara.

    • Frango com Farofa

      levei alguns segundos pra sacar o trocadilho… achei que fosse só mais um daqueles nomes brasileiros exóticos XD

        • Até você, @Roses, falar sobre isto e o Frango falar que era um trocadilho, eu não tinha sacado… Para mim era um nome exótico mesmo, já que diariamente lido com alguns nomes muito exóticos na minha empresa, e não são apenas do RJ, como também muita gente do Nordeste…
          Para mim soava como “EUDETÊNIS” mesmo, e não “Eu di tênis”… “caracóles”, brasileiro é terrível mesmo…xD
          Agora, aproveitando, meus olhos ficaram marejados com a história da dupla Eudetenis… incrível! Uma obra realmente incrível… Impressionante como um mangá sem fala consegue nos emocionar sem ter texto algum… Parabéns à dupla! o/

Comments are closed.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: