Resenha: “Your Name.” (Livro)

Uma versão complementar à animação…

O filme Your Name. dispensa apresentações. Dirigido pelo célebre Makoto Shinkai, a obra se tornou a película de animação mais vista do Japão de todos os tempos, conquistando também muitos expectadores ao redor do mundo. Porém, meses antes da estreia do filme, Makoto Shinkai publicou um livro de mesmo nome, contando a mesma história, e utilizando-se como capa imagem idêntica à do pôster da película.

É relativamente comum que se lancem livros e quadrinhos antes da estreia de algum filme para que se gere mais expectativa em torno da obra, servindo como uma forma de promoção da película. Não foi diferente com Your Name., ganhando no Japão, além do livro, uma adaptação para mangá, entre outros produtos (saiba mais, clicando aqui). O livro, aliás, acabou se tornando, posteriormente, um enorme sucesso no Japão na esteira da intensa febre que foi o filme, vendendo milhões de exemplares.

Aqui no Brasil, o mangá chegou pela editora JBC em 2017 e agora, em outubro de 2018, o livro chega pelas mãos da Verus editora, tanto em versão física, quanto em versão digital. O filme, por seu turno, foi exibido pela rede Cinemark e, atualmente, está disponível na Netflix e no Google Play Filmes.

Adquirida a versão digital do livro, lemos a obra e, agora, viemos dar a nossa opinião sobre esse romance. Será que ele tem algo mais que mereça uma atenção ou é apenas a mesma história sem ter um motivador extra? Falaremos disso na postagem…

ATENÇÃO: A PRESENTE RESENHA PRESSUPÕE QUE VOCÊ JÁ TENHA VISTO O FILME OU LIDO O MANGÁ DE YOUR NAME., POIS HAVERÁ SPOILERS.

  • Sinopse

O romance do anime com maior sucesso de bilheteria de todos os tempos. Mitsuha é uma estudante que vive em uma pequena cidade nas montanhas. Apesar de sua vida tranquila, ela sempre se sentiu atraída pelo cotidiano das grandes cidades. Um dia, Mitsuha tem um sonho estranho em que se torna um garoto. No sonho, ela acorda em um quarto que não é dela, tem amigos que nunca viu e passeia por Tóquio. E assim aproveita ao máximo seu dia na cidade grande, onde ela adoraria viver. Curiosamente, um estudante chamado Taki, que mora em Tóquio, também tem um sonho estranho: ele é uma garota que mora em uma cidadezinha nas montanhas. Qual é o segredo por trás desses sonhos tão vívidos? Assim começa a fascinante história de dois jovens cujos caminhos nunca deveriam ter se cruzado. Compartilhando corpos, relacionamentos e vidas, eles se tornam inextricavelmente ligados ― mas há conexões verdadeiramente indestrutíveis na grande tapeçaria do destino? A um só tempo divertido e emocionante, Your name. é uma leitura inspiradora, capaz de dançar sobre o tênue fio entre a realidade, o sonho e o sobrenatural, conforme acompanha as inquietações de uma garota e um garoto determinados a se agarrar um ao outro.

  • História 

A história do romance Your Name. é a mesma do filme e do mangá, apenas cortando uma coisa ou outra, ou mostrando algo não visto nas outras versões. A essência é igual, mostrando um romance – até certo ponto forçado – entre duas pessoas que nunca se viram.

Tudo começa quando, sem uma razão aparente, o jovem Taki e a garota Mitsuha começam a trocar de corpos, algumas vezes por semana. inicialmente, eles acham tratar-se de um sonho, mas logo descobrem ser algo real e que causa transtornos a eles, como a garota indo despenteada para a escola ou rapaz gastando dinheiro que usualmente não gastaria.

Transtornos…

Diferentemente da maioria dos clichês desse gênero (e seguindo a velha cartilha de Shinkai de apresentar um amor separado pela distância), os dois não moram perto um do outro, ele vivendo em Tóquio e ela em Itomori, uma cidadezinha do interior, o que coloca a obra em um patamar mais inventivo, que o destaca de quase todos os filmes, séries e livros que utilizam-se desse batido lugar comum.

A obra, porém, não se resume ao clichê da troca de corpos. Ele tem uma história a mais a contar, a história de pessoas conectadas pelo destino e de como ele – o destino – pode fazer para uni-las e separá-las. Taki e Mitsuha, devido às constantes trocas, acabam criando um laço muito forte, embora, não consigam comunicar-se muito diretamente. A partir de um dado momento, porém, o fenômeno cessa e aí começa uma outra parte da narrativa, com um inesperado plot twist.

Buscando (re)encontrar Mitsuha, Taki descobrirá que a cidade de Itomori, que ele tanto visitava no corpo da garota, fora destruído três anos antes por um cometa. A distância que os separava não era, então, apenas uma distância física e sim uma distância temporal. Quem já viu ou leu outras obras do autor, como 5 cm por segundo e The Voices of a distant star, sabe que nada é mais Makoto Shinkai do que isso.

Taki confirmando sua teoria

Os laços do destino, porém, darão mais uma chance a eles, e Taki consegue voltar no tempo mais uma vez, assumir o corpo da garota e elaborar um plano, com a ajuda dos amigos dela, para evacuar a cidade e tentar salvar todos do desastre. Essa é a história de Your Name. em linhas gerais.

A história não é perfeita, obviamente. O romance entre Taki e Mitsuha, embora emocionante e que pode tirar lágrimas do leitor, soa forçado e até mal executado (assim como ocorrera na versão cinematográfica e no mangá) porque não conseguimos ver muito a relação entre os dois e como eles criam laços fortes, ao ponto de gostarem um do outro. Faltou um desenvolvimento maior nessa parte, em todas as mídias.

Apesar disso, o livro consegue seguir bem a cartilha do filme e superar esses defeitos, mostrando uma intensidade de emoções muito grande. A cena final dos dois protagonistas querendo encontrar um ao outro mesmo sem conseguirem se lembrar do passado, chega a superar em intensidade a do filme, devido a maior imersão que as palavras proporcionam.

Então, como um romance que reproduz experiências parecidas com outras mídias, Your Name. conseguiu passar bem no teste.

  • O livro, as diferentes entre as mídias e o desenvolvimento do texto

Antes de falarmos mais sobre o livro é preciso ficar um pouco mais claro a diferença entre mídias. O filme é algo visual e sonoro. A história é contada também por esses detalhes, pelas expressões dos personagens, pelas paisagens apresentadas, pela trilha sonora, etc.

A adaptação em mangá, por sua vez, também é visual e, por exemplo, certos elementos que são importantes para o plot twist da história são passados por meio dos desenhos, da imagem. O celular que mostra as datas e os dias da semana, a título de exemplo, fazem com que o leitor do mangá perceba a diferença entre o tempo dos dois protagonistas e suspeite da grande virada que ocorrerá na obra posteriormente.

O livro não tem nada de visual, são apenas palavras, então ele tem todo um estilo diferente de se desenvolver e passar a história. O plot twist, por exemplo, é preparado por pequenos detalhes, como as menções ao cometa ou mesmo, já no seu início, mostrando Taki tendo contato com uma garota que ele nunca viu na vida, Mitsuha, que lhe dá um laço, cena esta que só ocorre na metade final do filme e da adaptação em mangá.

Do mesmo modo, o final da obra, comentado mais acima, tem toda uma intensidade marcante no filme por causa da trilha sonora. No livro, por outro lado, são as palavras que colocam essa intensidade e dependendo do seu estado de espírito, elas – as palavras finais do romance – podem ser bem mais impactantes do que cena final do filme, como aconteceu comigo.

Dito isso, uma diferença importante e que molda o livro como algo único é que a narração é feita em primeira pessoa, ora pelo ponto vista de Taki, ora pelo ponto de vista de Mitsuha, misturando-se muitas vezes (um parágrafo é a história pelo ponto de vista, outra pelo ponto de vista dela e assim vai). Por ser assim, certos detalhes não são vistos, afinal não foram presenciados por eles.

Dessa forma, o livro torna-se mais intimista, trabalhando um pouco mais detalhes dos sentimentos e dos pensamentos dos personagens, em diversos momentos da obra. Nas versões imagéticas, muitas cenas são apenas passadas rapidamente e só percebemos as sensações dos personagens por meio das expressões, enquanto no livro conseguimos saber melhor diversos aspectos por meio das falas e pensamentos dos personagens.

De modo geral, porém, o romance é um pouco “vazio” e não funciona como literatura. Apesar dessa característica da narração em primeira pessoa, o texto não tem tantas descrições e elucubrações quanto se esperaria de um livro convencional e algumas coisas que precisariam de um pouco mais de detalhes são passados muito rapidamente. Por exemplo, logo no início quando eles descobrem estar em um outro corpo, as descrições não se estendem, são bastante superficiais, o que não faz muito sentido uma vez que estaríamos “na mente” da pessoa.

Ainda assim, o livro tem pontos que merecem destaque. Um dos mais marcantes diz respeito ao modo como Taki e Mitsuha se comunicavam, ou melhor, como não se comunicavam. Uma das críticas negativas ao filme era de que eles podiam ligar um para o outro e isso não era feito. Tanto no filme, quanto no mangá, Taki só resolve ligar para Mitsuha pouco antes de os dois pararem de trocar de corpos. No livro, entretanto, é dito bem antes que ambos tentaram telefonar e mandar e-mails, mas não conseguiram. De fato, essa é uma das falhas do filme quando pensamos racionalmente, afinal se eles estavam trocando de corpos era natural que tentassem ligar um para o outro o mais rápido possível. Agora sabemos que no livro há esse detalhe.

Por fim, e não menos importante, embora seja um livro, a leitura é bastante leve, chegando a ser bem simples, com um vocabulário bastante acessível, ainda que se utilize vez ou outra de uma palavra mais arcaica e menos famosa. Como a estrutura da história é fácil e a leitura é leve e ágil, as páginas passam muito rapidamente e o livro termina em pouco tempo. Apesar de não ser uma light novel, Your Name. é realmente bastante convidativo para os novos leitores.

Entretanto, para os mais experientes, como dito mais acima, a leitura pode parecer meio vazia e bastante aquém do que se espera de uma obra literária. Talvez não agrade tanto.

  • O livro é dispensável?

Nos paratextos do livro, Makoto Shinkai diz que não pensava em escrever Your Name. e confessa que a melhor experiência seria ver o filme. Entretanto, ele mesmo diz que as obras são complementarem e que se não tivesse escrito o romance, não teria percebido algumas coisas dos personagens. Ele até mesmo diz que isso poderia afetar a futura dublagem do longa.

Concordo em partes com o autor sobre a questão de livro e filme serem obras complementares, mas acho que uma mídia deveria funcionar de forma independente de outra. O livro é, antes de tudo, uma novelização do filme e isso talvez explique o porquê de ele ser tão leve e pouco descritivo. Contudo, ele funciona de forma independente, nos instiga a ler, é atrativo, mas como um leitor de longa data, senti que faltou mais literatura nele.

Em outras palavras, acho uma experiência boa e que quem é fã deve conhecer para apreciar um outro modo de se contar uma história. Quem deseja um algo a mais, porém, pode se decepcionar um pouco. Ele não tem a qualidade de estilo e escrita que obras como AnotherToradora! e Re: Zero têm.

  • Veredicto

Se você não viu a animação e nem leu o mangá, considero livro dispensável. Ele é um tanto quanto fraco enquanto literatura, mesmo para uma literatura juvenil, faltando uma substância narrativa. Não acho que esse deva ser o seu primeiro contato com a obra.

Entretanto se você já é fã de Your Name., o livro é uma boa pedida, pois ele mostra uma visão distinta, mais intimista, da obra de Makoto Shinkai, e que complementa o que foi visto no filme. Além disso, você pode encontrar no romance algumas coisas que corrigem alguns dos erros ou imprecisões que a película tinha.

Por ser uma novelização de um filme, o livro se trata de uma obra para quem já conhece e deseja ter tudo e mais um pouco de Your Name..

  • Ficha Técnica

TítuloYour Name.
Autor: Makoto Shinkai
Tradutor: Karen Kazumi Hayashida
Editora: Verus
Número de volumes lançados no Japão: 1
Número de volumes lançados no Brasil: 1
Preço da versão digital: R$ 22,90
Preço da versão física: R$ 29,90
Dimensões da ed. física: 14 x 21 cm
Acabamento da ed. física: Capa cartonada com orelhas
Onde comprar: Amazon (Ed. Física / Ed. Digital) / Cultura (Ed. Física / Ed. Digital) Google Play (edição digital)


Esta resenha foi feita por meio da edição digital do livro Your Name. vendido pela editora Verus em diversas plataformas. Compramos o volume na Google Play Store.

Anúncios

3 comentários

Deixe uma resposta para Netin Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s