Anúncios

Nausicaä do Vale do Vento: a publicação do mangá no ocidente

Em quantos países o título já saiu? E em quais formatos

O mangá Nausicaä do Vale do Vento, de Hayao Miyazaki, está de volta ao Brasil!!!! No último dia 16 de março, a editora JBC anunciou o relançamento do título nessas terras, após muitos anos de tentativas. Para quem não sabe, a obra foi lançada anos atrás pela editora Conrad, porém ela acabou ficando incompleta. Durante anos, sempre que eram perguntadas sobre a possibilidade da volta dessa obra, as editoras diziam que os japoneses não queriam, no momento, negociar a obra com o Brasil por causa desse cancelamento.

Daí que o anúncio do título foi um daqueles BEM impactantes para o mercado de mangás, pois representava o retorno de uma obra que era bastante difícil de acontecer, nos mesmos moldes do surpreende anúncio do relançamento de Akira anos atrás. Para mim, era meio que uma certeza que o título voltaria em algum momento (podia não ser agora e sim só daqui a dez anos), pois se as editoras falavam sobre a negociação é porque elas tinham interesse, então em algum momento ele viria. Anos atrás, tivemos um exemplo parecido com Anohana em que a JBC tinha dito que os japoneses não queriam liberar a licença para o Brasil, mas depois a empresa conseguiu. O mesmo vale para o próprio Akira, Sailor Moon, entre outros.

De minha parte, eu não tenho tanto interesse no mangá. Pretendo rever o filme (do qual eu não me lembro nada) e depois decidir se é algo que eu queira gastar dinheiro. De todo modo, ao menos o volume inicial devo adquirir para ver a edição, fazer uma resenha, etc. Ainda é cedo para saber o preço, mas a gente imagina que sairá bem caro.

O mangá foi publicado originalmente no Japão na revista Animate entre 1982 e 1993, sendo concluído em um total de 7 volumes. Cada número tinha entre 130 e 220 páginas e foi lançado no formato B5 (17,6 x 25 cm), mais ou menos o mesmo da edição brasileira da Conrad e semelhante à edição de Akira.

Em 1996, a obra ganhou uma reedição de luxo no Japão, reduzindo os 7 volumes originais para apenas dois tomos com mais de 500 páginas por volume no formato A4 (21 x 29,7 cm), mais ou menos no tamanho do artbook de Cavaleiros do Zodíaco – The Lost Canvas.

A edição brasileira deve seguir a primeira edição japonesa. Mas e como foi a publicação em outros países ocidentais? Qual o formato adotado? É isso o que você verá a seguir!.


ITÁLIA


Na Itália, o mangá começou a sair pela primeira vez em 1993 pela editora Granata Press e foi concluído em 1995 em um total de 23 volumes.

O mangá foi relançado entre 2000 e 2001 pela editora Panini, dessa vez seguindo o número de volumes originais. Em 2009, a Panini relançou a obra mais uma vez, também em 7 edições e no tamanho da versão original japonesa. De lá para cá essa versão vem sendo reimpressa de tempos em tempos.


ESPANHA


Na Espanha, Nausicaä do Vale do Vento foi publicado em duas oportunidades, em ambas pela Planeta deAgostini. Na primeira vez, a editora fez uma edição diminuindo os 7 volumes originais para apenas 6, com um pouco mais de páginas por volume. Saiu em 2001 e o formato adotado foi parecido com o japonês (18,3 x 25,7 cm).

A segunda publicação ocorreu em novembro de 2013, em uma edição especial que reúne os 7 volumes originais em apenas dois tomos, lançados em um box. O tamanho seguiu a reedição japonesa (21,8 x 29,5 cm).


FRANÇA


Na França, o mangá saiu em três oportunidades, em todas elas pela editora Glénat. Na primeira vez, a obra foi publicada entre 2000 e 2002, seguindo a edição original japonesa, em um total de 7 volumes.

Em 2005, a obra ganhou um box na França contendo os 7 volumes lançados anteriormente no país. Por fim, em 2009, a obra saiu novamente em uma nova edição em 7 volumes e tamanho igual ao original japonês.


FINLÂNDIA e HOLANDA


Na Finlândia, o mangá saiu apenas uma vez. Ele foi publicado pela editora Sangatsu Manga entre 2008 e 2010, sendo completo em um total de 7 volumes. Na Holanda, por sua vez, a obra saiu entre 2007 e 2010 e teve um total de 7 volumes. Foi publicado por lá pela filial da Glenát.


ALEMANHA


Na Alemanha, o mangá saiu em duas oportunidades, em ambas pela editora Carlsen. A primeira edição saiu entre 2001 e 2002 em um total de 7 volumes. A segunda saiu entre 2010 e 2011 também em 7 edições, formato grande, etc.


ESTADOS UNIDOS


Para terminar, falemos dos Estados Unidos. O mangá foi publicado por lá em diversas edições diferentes, todas pela editora VIZ. A primeira reuniu apenas os cinco primeiro volumes do mangá divididos em 27 volumes de pouquíssimas páginas. Essa versão saiu entre 1988 e 1996.

A segunda versão foi concomitante a essa e reunia os volumes originais. Foi publicada entre 1990 e 1997 sendo concluída em 7 tomos. Já a terceira edição foi uma edição de luxo, reunindo os 7 volumes em apenas 4 números. Saiu entre 1995 e 1997. Em 2000 ganhou um box reunindo esses volumes.

Depois disso, a quarta edição foi lançada durante o ano de 2004, sendo completa em 7 volumes. O formato é aquele grandão parecido com a edição japonesa e brasileira. A quinta e última publicação é a mais conhecida da obra, lançada em um box reunindo os sete volumes em apenas dois tomos, também em formato grandão.

Anúncios

6 Comments

  • Dennys Filipe

    A edição da conrad é a mais bonita entre os formatos divididos em 7.

  • andersonel21

    Eu sinceramente espero que as capas da edição da JBC sejam mais bonitas que as internacionais.

  • Julio Correia

    Já que são o mesmo total de volumes e acredito que o mesmo formato da conrad…fico na torcida pra que seja a mesma coloração das capas da conrad TB…. Concordo com o Dennys que é a edição mais bonita em 7 volumes

  • André Silva

    O filme é bom , mas não pega nem metade do mangá original, deixando de lado um monte de coisas interessantes, Nausicaä é muito mais desenvolvida e as motivações dos personagens são melhor apresentadas, está no meu top 5 melhores mangás da vida, recomendadíssimo.

    • André Silva

      Ótimas personagens femininas, desenhos lindíssimos e uma bela conclusão pra trama, algo que o filme, pra mim é claro, deixou a desejar.

  • Marcelo

    É facilmente meu mangá preferido. Narrativa perfeita, não vejo falhas. Quase impossível acontecer isso. É um dos casos de nota 10 em livros, álbuns musicais, games e quadrinhos. Dificilmente haverá um punhado maior de 5 que você da nota 10, e esse mangá é um deles.

Comments are closed.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: