Resenha: “Astra Lost In Space”

Viajando pelo espaço e pelo tempo?

No final do mês de junho, a editora Devir publicou no Brasil o quinto e último volume do mangá Astra Lost In Space, de Kenta Shinohara, concluindo o título que ela iniciara em 2020. A obra pareceu conquistar o público e o volume final era bastante esperado por todos, para poder ver o desfecho surpreendente dos estudantes que haviam se perdido no espaço.

Se você caiu aqui por acaso e não sabe sobre o que é a obra, o Blog BBM explica: Astra Lost In Space acontece em um futuro não muito distante, onde há mais paz e a tecnologia avançou,  existindo até mesmo viagens espaciais para outros planetas. Nesse ínterim, todo ano, uma certa escola, de uma certa cidade, envia uma turma para um acampamento planetário, e os estudantes escolhidos devem passar um curto período de tempo no local. Não é um desafio ou um jogo de sobrevivência, é apenas um acampamento comum, para os estudantes se socializarem e se divertirem.

O mangá começa quando uma das novas turmas embarca e conhecemos os 9 personagens que farão parte da aventura, em especial Kanata (um jovem atlético e que tem o desejo de ser astronauta) e Aries (uma menina meio avoada, mas que tem uma memória fotográfica). Assim que chegam ao planeta, porém, uma estranha esfera aparece e os faz ser transportados para um lugar distante no espaço. Quando a morte era certa, no entanto, eles veem uma nave espacial vagando e conseguem alcançá-la. Embora seja antiga, ela funciona e, a partir daí, os jovens começam uma jornada para voltar à sua terra natal, parando em planeta em planeta para adquirir alimentos e água. Todavia uma grande incógnita paira sobre eles, um dos estudantes parece ser um traidor e deseja matá-los, mas ninguém sabe quem ele é.

Durante os cinco volumes da obra veremos os jovens buscando sobreviver contra toda a sorte de intempéries, que iam de plantas gigantes a animais perigosos, passando pela enigmática figura do traidor. O que os ajuda é que dentre eles há pessoas muito habilidosas e que fazem com que a viagem seja mais fácil. Além de Aries e sua memória fotográfica, veremos um especialista em biologia, alguém que consegue pilotar uma nave, etc, etc, etc, com todos sendo úteis em maior ou menor medida. Mesmo uma moça cuja única habilidade é cantar também conseguirá usar o seu dote para a sobrevivência de todos.

Em meio a isso, veremos os personagens convivendo uns com os outros, mostrando a amizade, o amor de um com outro e assim por diante. E é nesse convívio que veremos histórias interessantíssimas sobre a vida de cada um dos estudantes, o menino intersexo, o que quer vingar o irmão e assim por diante. Com isso, apreendemos suas histórias, seus dramas pessoais, seus medos e suas forças de vontades. Obviamente, uma das histórias tende a ser falsa (visto que uma das pessoas é um traidor), mas isso é descoberto ao seu próprio tempo, quando descobriremos os motivos que levaram eles a ficarem perdidos no espaço.

Ainda falando dos personagens, os nove membros da tripulação terminam por ter uma importância maior ou menor, mas todos possuem destaque ao longo da trama. Claro que Kanata é o grande protagonista, mas Aries e seu jeitinho avoado e todos os outros personagens têm um lugar no coração da história e do leitor…

À primeira vista, Astra Lost In Space pode ser vista como apenas uma história de aventura convencional com vários lugares comuns. Quem já leu muitas narrativas de ficção, por exemplo, começa de pronto a estranhar o fato de os personagens serem tão bons em áreas que se complementam. Soa falso, soa apenas uma conveniência de roteiro pra que os personagens consigam sobreviver. Sim, pois, se fossem pessoas comuns, eles nunca conseguiriam voltar para casa.

Entretanto (ainda que os clichês e lugares comuns sejam fato) o autor consegue subverter a lógica e usa exatamente isso em favor da história. A coincidência que parece falsa, e que inexistiria na vida real, é tomada como mote para o desfecho da trama e a explicação do porquê todos eles estarem ali, todos eles serem alvo de um crime.

A verdade é que se fossem pessoas comuns de fato nenhum deles sobreviveria no espaço, mas igualmente nenhum deles seria alvo de uma tentativa de assassinato tão bem orquestrada e que não deixaria rastros, mas eles eram humanos especiais, com características especiais e nascidas de um jeito especial.

Só isso já seria suficiente para transformar Astra Lost In Space em um bom mangá, mas Kenta Shinohara coloca um algo mais que ninguém poderia pensar no início da trama. Em um certo momento da história, acontece uma coisa que muda tudo e que coloca em perspectiva até o mesmo o que leitor sabia da obra até então, nos forçando a ir lá no volume 1 reler o que tinha acontecido para notar que, de fato, não tinha sido mencionado tal coisa.

A partir desse momento, o que deveria ter um caráter particular, ganha também um contorno público, que poderá mudar tudo do mundo.

O fim do mangá é meio corrido por causa disso, visto que duas coisas precisam ser resolvidas, de maneira que o leitor pode ficar com a sensação de que talvez o mangá precisasse de um ou dois volumes a mais para ser mais certeiro.

Ainda assim, o volume de encerramento é bem satisfatório e terminamos com a certeza de ter acompanhado uma boa jornada, existindo uma discussão sobre clonagem, manipulação da mídia, das pessoas e tudo mais… Realmente um bom mangá.

Se você for muito ranzinza, você poderá pegar o desenvolvimento da história e dizer que foi muito clichê, que o autor só quis fazer um remendo na trama, etc, etc, etc. Eu não contestaria de forma veemente, mas discutiria o assunto e diria que foi algo muito bem feito pelo criador e que deveríamos elogiar os seus feitos, por ele teve méritos em conseguir amarrar a trama. Muitos autores não conseguem, e olha que isso é o básico.

Além disso, independente de qualquer coisa, a obra consegue ser um excelente entretenimento, com ou sem defeitos. E, no fim, é isso que importa, ser um bom entretenimento.

Colecionamos a série inteira de Astra Lost In Space.
O volume final, porém, nos foi mandado pela editora Devir,
a quem agradecemos de coração.

Ficha Técnica

Título Original: 彼方のアストラ
TítuloAstra Lost In Space
Autor: Kenta Shinohara
Tradutor: Arnaldo Oka
Editora: Devir
Número de volumes no Japão: 5 (completo)
Número de volumes no Brasil: 5 (completo)
Dimensões: 12,5 x 19 cm 
Miolo: Papel offwhite
Acabamento: Capa cartão com sobrecapa
Classificação indicativa: Não Informado
Preço: R$ 28,00 (volumes 1 a 4) / R$ 30,00 (volume 5)
Onde comprar: Amazon / Comix

3 Comments

  • ANGELO KAORU GOMES RIBEIRO

    Assisti o anime e me apaixonei, apesar de que não imediatemente. O final é sensacional, portanto já garantia minha coleção dessa lindeza. Obs: O autor publicou Sket Dance anteriormente (Excelente por sinal) e publica um mangá Jump atualmente

  • Anônimo

    Bela resenha!
    Pelo menos não fui sô eu que tive que reler tudo novamente, por causa de uma frase no volume 4 kkk

  • Excelente obra. Assisti o anime e mesmo sendo curto a história foi bem divertida e fechou bem considerando o tamanho dela, muitas histórias gigantes terminam com finais que não amarram tudo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: