Extinta editora espanhola volta à ativa e anuncia filiais na América Latina

Um caso curioso…

Neste domingo, 03 de outubro de 2021, o mundo hispanohablante foi surpreendido com o surgimento de uma nova editora de mangás, a Mangaline. Na verdade, trata-se de um ressurgimento de uma antiga editora espanhola que havia falido anos atrás e que agora volta com uma nova equipe e novas visões.

A Mangaline ainda abriu duas filiais na América Latina, uma no México e outra no Peru, também a publicar mangás nesses locais. As três Mangaline’s anunciaram de pronto, títulos novos:

A Mangaline Espanha anunciou:

  • Kyou Kara Mirai. de Yoshitomi Akihito
  • 17-sai – Edicião Limitada, de Fujii Seiji e Kamata Youji
  • Iris on the Soles of the Feet, de Kentarou Kurimoto e Saki Kurimoto.

A Mangaline México anunciou:

  • Dororon! Okuni-Chan, de Hiroyuki Takahashi

A Mangaline Peru anunciou:

  • Tokko Zero, de Toru Fujisawa e Yukai Asada
  • Isekai Mou Kaeritai, de Doriyasu Kojio

Os novos responsáveis pela Mangaline anunciaram mais dois projetos, o Mangaline Online, para a publicação de obras em formato digital e a CoachingPOP, empresa responsável por licenciar obras em língua espanhola para diversas editoras. A CoachingPOP já está atuando e já conseguiu séries para editoras da Argentina e do Peru, por exemplo.


NOS SIGA EM NOSSAS REDES SOCIAIS



7 Comments

  • Chrno

    Seria interessante se o mercado brasileiro tivesse mais uma editora “””””igual””””” a Panini/JBC/NewPop…A falta de títulos mais diferentes deixa o mercado meio pobre. Não sei se estou me expressando direito, mas falta muita coisa no mercado brasileiro, mas uma parte da culpa sem dúvida é do público.

  • Guilherme

    Que sorte desses hispânicos hein?Tantas editoras e opções de títulos surgindo lá e aqui a gente, tirando a pipoca e nanquim e a darkside, limitado sempre a Inc newpop e panini, me pergunto porque a Ivrea ou a Planeta não abrem uma filial aqui no BR, vc Kyon acha que seria possível?Ou é sonhar demais?

      • Guilherme

        Pq acha?Nosso mercado não é atrativo pra editoras estrangeiras?Mesmo com a Panini aqui?

          • É brincadeira.

            A questão é que eu não vejo qualquer editora tendo interesse em entrar em um país tão desestruturado como é o Brasil. Não que Argentina, México e Peru estejam melhores do que aqui, mas é que as burocracias podem ser bem maiores, a distância continental também pode assustar, etc, etc, etc.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: