Comentando a palestra da Nova Sampa no Anime friends

Anime friends 2015

O blog Gyabbo, em mais uma excelente cobertura dos eventos das editoras, publicou um vídeo da palestra da Editora Nova Sampa durante o Anime Friends. Novamente é uma ótima oportunidade para as pessoas que moram longe e não podem ir nesses eventos em São Paulo ou mesmo pessoas de São Paulo, mas que não tenham dinheiro para ir neles.

Sugiro a todos darem uma olhada no vídeo. Para tanto, basta clicar aqui para acompanharem o vídeo pelo Blog do Gyabbo. O vídeo tem cerca de 40 minutos, mas como há pessoas que não suportam ver tanto tempo, nós do Biblioteca Brasileira de Mangás resolvemos explicitar abaixo os pontos que consideramos mais importantes.

***

Jens - Nova Sampa

I

Vagabond

O formato e o papel diferenciado foi exigência do próprio autor. A editora pretendia começar a publicar do volume 15, mas dentro em breve publicaria a partir do volume 1. Entretanto Vagabond vendeu MUITO mal e foi preciso paralisar a obra. Segundo eles disseram, cada volume teve tiragem de cerca de 10000 exemplares e a venda total não chegou a 300.

O título não foi cancelado. Estão em renegociação com o Japão. Se eles conseguirem permissão para recomeçar a obra, Vagabond será lançado a partir do volume 1 e quem, por ventura, tenha comprado os volumes 15 a 18 terá que esperar.

A editora admitiu que errou, pediu desculpas e pediu paciência a todos.

Slam Dunk

A editora reiterou que, desde o início, a vinda deste título estava atrelada ao sucesso de Vagabond. Então muito provavelmente ele não será lançado caso Vagabond venha a ser cancelado.

Hakuoki e Muv Luv

Os dois títulos já estavam com contrato assinado e tudo mais, porém surgiu um problema posterior. Os mangás estavam ligados a empresas de vídeo-game e a Nova Sampa está aguardando a liberação por parte dessas empresas. Por enquanto, não há previsão de quando a publicação deles possa ocorrer.

Variante

O título foi concluído agora em julho e vendeu muito bem.

Ikkitousen

Conforme dito no informativo (de março), a editora pretende lançar mais uma temporada, com seis volumes. Deve começar a sair no segundo semestre.

Hitman

Apesar de ser um mangá muito inconstante nas bancas, a Nova Sampa afirmou que Hitman vende muito bem e eles pretendem publicar o título até o fim. A próxima leva deve começar a sair no segundo semestre.

Drifters

Está encostado com o Japão, por isso há demora na publicação do quarto volume.

Queens Blade

A primeira série vendeu muito bem e eles planejam uma nova série para breve. Vale lembrar que isso não é novidade, eles já haviam informado isso no informativo divulgado em março.

Gurren Lagann e Dawn

Os volumes finais de ambas as séries estão em fase final de produção. Dawn deve sair em agosto e, embora não tenham dito as datas, os dois volumes de Gurren Lagann também só devem sair mês que vem…

Hokori Pride, Carnaval Glare e Horoshiya-san

Estão finalizando a tradução. Hokori pride é um teste da editora com mangás de esporte.

A maioria das informações acima deverão estar no novo informativo que será divulgado pela editora em breve. Vale lembrar que a editora anunciou, no evento, um novo mangá chamado Godeath.

II

Além das informações sobre os títulos, o novo responsável pela comunicação da editora, Douglas Souza, deu detalhes interessantes sobre como funcionam as negociações com o Japão. Segundo ele, as negociações para trazer um título pode levar até 18 MESES. As por Vagabond, por exemplo, duraram um ano inteiro.

Início do processo

Douglas Souza detalhou ainda como se inicia todo o processo. Segundo ele, a Nova Sampa recebe vários pedidos de títulos todos os dias e eles anotam tudo. Quando eles vão atrás de uma obra primeiro precisam descobrir à qual editora japonesa ele pertence e só aí começar as negociações. Alguns títulos, entretanto, precisam ser negociados diretamente com seus autores.

Todo o processo de negociação inclui o tipo de papel que será utilizado, o tipo de formato, como será feito o marketing, entre outras coisas. Tudo deve ser pago ao Japão com antecedência. Assim, o prejuízo com Vagabond ficou somente com a editora brasileira, pois os japoneses já receberam antes.

Tradução

Depois de contrato assinado, a editora recebe os materiais originais impressos (aparentemente, como visto na palestra da JBC, ter arquivos digitais das obras é algo bem recente) e então scaneia todo o material, página por página. Depois é preciso “limpar” tudo o que está escrito em japonês para ser colocado a língua portuguesa no lugar. No meio disso tudo, ainda é preciso traduzir o mangá, revisar a tradução e só então passar para os arquivos digitalizados. Após tudo isso, tradutor e revisor da tradução precisam verificar se tudo foi colocado corretamente nos arquivos digitais.

Aprovação do Japão

Feito isso, os mangás vão para uma primeira impressão. E tudo tem que ser aprovado pelos japoneses, desde capas até páginas das edições. Segundo a Nova Sampa informou, eles até queriam fazer capas muito bonitas, mas muitas vezes os japoneses não deixam e eles tem que espelhar a capa.

Gráfica e distribuição

A parte final é a impressão da gráfica e a distribuição. Quando tudo está pronto e aprovado, a editora manda os arquivos para a gráfica. Porém isso não significa que a gráfica irá imprimir de imediato. Pode existir uma fila e a impressão demorar até mesmo mais de um mês. Uma vez impresso, os mangás serão distribuídos por todo o Brasil pela Dinap.

***

Outras coisas foram ditas, mas essas foram as que mais nos interessaram e resolvemos destacar. Se quiser ver tudo o que foi falado, assista ao vídeo postado pelo blog Gyabbo referido anteriormente.

Biblioteca Brasileira de Mangás

%d blogueiros gostam disto: