Brasil: um país atrasado…ou sonhar é de graça

Mangaka-NEWS-internaAté o mais conformista às vezes pensa que o país não tem jeito

Boa tarde, leitores.

Hoje, viemos fazer uma postagem diferente e falar mal do nosso país^^. Não, nós não achamos que tudo no Brasil é ruim e reconhecemos os pontos positivos de nossa terra. É notável que o país teve muitas melhorias nos últimos 20 anos, porém continuamos atrasados em diversos setores e sem uma perspectiva de melhora a curto ou médio prazo, seja porque o congresso perde tempo ao debater “o conceito de família” e tentando aprovar leis retrógradas e sem sentido, seja porque a presidência ficou grande tempo apenas fazendo ações populistas com vistas a se perpetuar o poder.

Porém há problemas que não tem nada a ver com a presidência ou com o congresso – ao menos não aparentemente – e que nos levam a pensar seriamente em como o país é atrasado. Sim, estamos falando de mangás. Não, não estamos falando do preço dos mangás, nem dos problemas de lombada em Dragon Ball ou The seven deadly sins, tampouco estamos falando da transparência dos mangás da JBC ou da péssima qualidade do papel jornal da mesma JBC e da Panini. O que viemos falar é sobre a precariedade dos eventos no Brasil.

***

Anime friends 2015

Todos os anos há, no Brasil, vários e vários eventos voltados para a cultura pop japonesa. Em muitas delas como a Fest Comix, o Anime Fest ou o Ressaca Friends, há sempre palestras das editoras, com elas tirando dúvidas dos consumidores e, também, anunciando novidades.

Tudo isso é muito bom e muito válido como uma excelente estratégia de aproximação com o público, porém praticamente todos os eventos ocorrem na cidade de São Paulo e muitas pessoas não podem ir a eles, devido a distância. Não somente isso, mesmo quem é morador da cidade não necessariamente poderá assistir às palestras, pois os locais têm capacidade reduzida, fazendo com que essas palestras acabem sendo para um público muito, mas muito restrito e quase ninguém tem acesso às informações ditas nesses eventos.

Gyabbo

De uns tempos para cá, alguns blogs e sites como  o Gyabbo, o Chuva de Nanquim e o Jbox têm feito live-blogging, por meio da rede social Twitter, para informar em tempo real o que está acontecendo ao leitor. Mais recentemente, o Gyabbo também feito gravações em vídeo que são postadas posteriormente no youtube para que o máximo possível de pessoas possam acompanhar as palestras.

A iniciativa da “imprensa especializada” é muito louvável e excepcional, pois é a única maneira de um maior número de pessoas conseguirem assistir a essas palestras e entender melhor como funciona o mercado.  Porém ontem tivemos a noção do que é viver em um país como Brasil.

lupin 3

Na Itália, está acontecendo o evento Lucca Comics & Games. O evento, que este ano conta com a presença de três mangakás (Kamui Fujiwara, de uma adaptação de Dragon Quest, Tatsumo Nihei, de Knight of Sidonia, e Yasuhiro Nightow, de Trigun),  também possui palestras das editoras e ontem foi a palestra da matriz da editora Panini. A diferença do evento italiano para o evento brasileiro se fez sentir em pouco tempo.

A palestra da editora Panini foi transmitida pela internet, ao vivo, para quem quisesse ver diretamente do site oficial do evento. Conseguimos acompanhar a palestra sem qualquer travamento, em um espetáculo de transmissão. Vimos ao vivo, a editora falar do que eles preparam para Marvel, Disney e outros títulos. Acompanhamos também o anúncio de Lupin III, Inuyashiki e o grande hit do momento One Punch man, além de diversos outros mangás que a editora pretende lançar na Itália.

one punch

Então, fica a pergunta: por que não podemos ter no Brasil esse tipo de estrutura? Por que os organizadores de um Anime Friends da vida não poderiam transmitir o streaming ao vivo das palestras? É querer demais? Bem, considerando que muita gente relata em alguns eventos que até o 3G é complicado de se conseguir, imagina uma transmissão ao vivo, não é mesmo?

Bem, não é de se estranhar, afinal o público consumidor de mangás é mínimo no Brasil e provavelmente não vale o investimento a transmissão ao vivo das palestras pela internet… De todo modo, fica o nosso desejo de que alguma das empresas que organizam esses eventos possam pensar em uma maior profissionalização e consigam esse tipo de evolução tecnológica. Tá certo, eu sei, tô sonhando demais…

***

Biblioteca Brasileira de Mangás

38 Comments

  • Samara Barreira

    É, me faz sentir vergonha… Tanto pela qualidade dos mangás físicos publicados aqui em compração com outros países, como em matéria de eventos. Mas enquanto as editoras acharem que mangás é coisa de nicho, realmente isso nunca vai progredir. Se as editoras pretendem alcançar novos consumidores para aumentar as vendas adquirir um nova clientela, eles t^wem que investir mais em divulgação e marketing. Mas isso não acontece porque as editoras já tem um discurso pronto, o que fazem os próprios consumidores repetirem ele, também. E, no seu texto, eu vi alguns exemplos, tais como… “Bem, não é de se estranhar, afinal o público consumidor de mangás é mínimo no Brasil e provavelmente não vale o investimento a transmissão ao vivo das palestras pela internet…” ; praticamente todos os eventos ocorrem na cidade de São Paulo (quase ninguém tem interesse em fazer eventos em outros estados, e quando fazem, eles não recebem a mesma importância dos que acontecem em São Paulo, o que é revoltante! E as editoras não têm interesse algum em fazer palestras nos eventos fora de São Paulo, o que faz com que fique restrito somente aos cupinhas de lá!)… Entre outros. E com essa mentalidade, realmente, sempre vamos ficar sempre pra trás, sempre! Porque com um pensamento pequeno desses, isso não só desanima como impede que alguém faça alguma coisa. Porque as pessoas ficam desacreditadas. Elas ficam incomodas, mas não fazem nada para mudar, porque acham que não vai adiantar nada. No dia que as pessoas resolverem se inconformar ao ponto de agir para fazer e mudar algo, aí sim vamos progredor e evoluir. Mas enquanto insistirmos em alimentar o pessimismo, nada vai mudar e continuaremos na mesma… PARA SEMPRE!

    • Mas o público consumidor é mínimo mesmo, não é algo a se duvidar, e se os eventos não investem em melhorias, uma das causas pode ser justamente isso.

      Agora uma coisa a se questionar é se outro fator dessa não melhoria é justamente o comodismo por parte das pessoas. Tipo: já que as pessoas vão ao evento de qualquer jeito, os organizadores não se preocupam em melhorá-lo….

      —–

      Sobre essa questão de qualidade física é aquela história: as pessoas estão dispostas a pagar o preço? Se Orange fosse lançado no mesmo papel de Usagi Drop, ele sairia no mínimo por 19,90 também, afinal o número de páginas é semelhante e o tamanho é parecido. Para mim estaria tudo certo e eu nem reclamaria do preço e compraria com certeza, mas e as demais pessoas? Elas quereriam isso? Estariam dispostas a pagar mais caro? Essa é a questão principal.

      Não temos como saber e a editora também não. Não dá para não perceber o lado da editora, principalmente depois daquela explicação sobre o problema com o papel. Estamos em um momento crítico e poderemos ver as consequências desses mangás transparentes em breve. SE o papel incomoda tanto como vemos na internet, as pessoas deixarão de comprar e isso resultará em duas consequências possíveis: aumento de qualidade e preço mais elevado ou retorno a um papel jornal mais barato, tal qual os títulos do ink comics.

      Mas creia: querer melhor qualidade de todos os títulos publicados no Brasil é utopia. Eu desejo, quero muito, muita gente também quer e anseia por isso, mas os consumidores habituais não. Há tempos a Panini utiliza um papel jornal bem ruinzinho e mesmo com críticas a editora não se moveu em nada durante muito tempo. E por que ela não mudou? Porque continuava vendendo, simples assim… Para que mudar em time que estar ganhando?

      Não é nem questão de conformismo por parte das pessoas, elas simplesmente não se importam. E não é fácil mudar o pensamento de uma pessoa que não se importa.

      • Guilherme

        Muitas vezes também é rwcomhecer que muita gente não quer que mude porqie simplismente não tem condições de pagar, e tem muita gente que não tem condições financeiras de arcar com um mangá mensal de 19,90, então é bem complicado, nós não podemos crucificar o cara por ele não ter dinheiro não é,?Há pessoas que sim estão dispostas e podem pagar mais, mas também tem muitas que não tem como pagar.por mangás com qualidade melhor, acho que as editoras também devem pensar nisso, não kyon?

      • Sim. Eles têm que preservar o lucro e tem que pensar exatamente no aspecto econômico de seu consumidor.

        É bem fácil a Panini ou a JBC começar a publicar tudo em uma qualidade excelente, mas com preços altos, ambas as empresas teriam que diminuir a quantidade de publicações mensais para que eles não sejam cancelados e isso é muito ruim mais para nós do que para eles, pois isso faria demorar mais a vinda de vários títulos…

      • Guilherme

        É como se tudo dependesse de um equilíbrio, olha, pode me chamar de louco, mas eu ainda quero ver o Akira e o Ghost in The Shell da jbc, como vai ficar, se for algo pelo menos próximo do que foi feito nos EUA, ai podemos ficar felizes, pois vamos ter a chance de ter algo inedito em nosso mercado, e quem sabe se der certo tanto a jbc e as outras não procurem trazer mais nessa qualidade, inclusive a própria novel de another é algo particularmente interessante pra mim, uma novel tão grande, com tantas páginas, e eles vão trazer, também quero muito ver como vai ficar, qem sabe não se animam a trazer mais novels(baseadas em mangás de sucesso por aqui claro)?

      • Samara Barreira

        EWntão, Kyon, não adianta você vir reclamar que o Brasil é um paós atrasado, se você concorda e se conforma com isso. Você está repetindo o mesmo discurso das editoras e está demonstrando razões e justificando cada uma delas para nada ser melhorado aqui. Inclusive disse que qualquer melhoria de qualidade é algo utópico. Tá certo. E assim caminha a humanidade.

      • Samara Barreira

        Você também esquece que é possóvel fazer algo de qualidade sem aumentar tanto o preço, como acontece em outros países, já que por lá um mero mangá é acessível para todos. Se for para publicar algo em papel jornal, porque não aumentam a gramatura da droga do papel ao invés de imprimir isso em papel de seda? Aumentar a gramatura do papel jornal de 49g para 52g não representa aumento algum! Os mangás publicados lá no Japão e nos EUA têm uma gramatura maior, são mais grossos e são no papel jornal. Faça como em Vangabond, que voi impresso em papel jornal pela Nova Sampa (as páginas daquele mangá eram sim, grossas!). Não precisa ser em offset. Agora, se você me disser que mesmo assim não há possíbilidade, então… Não reclame, não lamente o fato do Brasil ser um país atrasado. Afinal, vocês ajudam a perpetuar isso. Não fazem nada para mudar e repete o mesmo discurso proto já elaborado pelas editoras… ETERNAMENTE. Quando vocês entenderem isso, algo pode realmente ser feito. Concordo que não há como mudar o pensamento de quem não se importa: vocês dois estão dando mostras disso. É de se questionar a sua postagem, já que ela não pode servir de inspiração e de questionamento para que algo possa ser feito para mudar a nossa realidade atual. Porque ela se ela servir somente para nos lamentarmos por aqui não ser um uma Itália, uma França, uma Espanha, um EUA e até um Japão da vida… Ela cumpriu mesmo com o seu papel. Agora, se ela não for servir para mudar o nosso mercado editorial, como uma inspiração… Ela realmente não faz sentido algum, já que não me serviu paraabsolutamente nada!

      • Samara Barreira

        Grunf… E pelo que você já deve ter deixado bem claro, indiretamente, é que as editoras não têm a menor intenção em aumentar os seu público e nem o alcance de suas vendas, não é? Engraçado que eu achava que isso fosse a meta de toda em qualquer empresa, independente do ramo ao qual trabalhe. Pelo visto, eu estava enganada. Muito enganada. Afinal, é mais garantido realmente vender algo para as mesmas pessoas e fazer eventos, igualmente, para as mesmíssimas pessoas. Afinal, pra que sair da sua zona de conforto, se há algo já “garantido”, “fixo” e “imutável”? É como você disse… Para que mexer em time que está ganhando, não é? É por isso que as empresas não divulgam, não investem em propaganda e merchandising. O problema é que esse público, já diminuto, não foi o suficiente para manter a publicação de vários mangás, todos eles da Panini, cancelados e que muita gente se lamenta por isso ter acontecido até hoje. O mercado de mangás nessa droga de país só publica mangás para quem já sabe e quem conhece o que é um mangá ou uma light novel. É claro que assim, o público tinha que ser irrisório, mesmo. E as vendas, igualmente, insignificantes. Porque nionguém pensa em ampliar nada, nada! Realmente, eu sinto vergonha de morar num país de gente medíocre, com pensamentos medíocres e que repetem o tempo todo e incessantemente, que nada pode ser feito. Por isso se conformam, se cvontentam e sentam em cima disso e não fazem nada. Sem ofensas, tá legal? Um país com dimensões continentais, que tem um potencial enorme para ter muitos leitores e consumiudores de livros e de mangás, não têm, porque muita gente não faz nada para mudar nada! ABSOLUTAMENTE NADA! Porque é mais cômodo aceitar e repetir o discurso proto das editoras, que os desanimam e os tolehem ao ponto de impedí-los de fazer algo. Lembre-se que a humanidade so mudou e é o que é hoje, porque muita gente inconformada resolveu agir e foi atrás das coisas. Aliás, os países desenvolvidos são que são por causa desse tipo de gente. É preciso, antes de tudo, mudar o pensamento das pessoas e, depois, partir para a ação! Que droga! NÃO SEJAM CONIVENTES COM ESSA NOSSA REALIDADE MEDÍOCRE! NÃO ALEMNTEM ISSO! MUDEM E AJEDEM A MUDAR ALGO! CARAMBA… CANSA, REALMENTE CANSA FICAR LENDO AS MESMAS DESCULPAS, AS MESMAS JUSTIFICATIVAS E O MESMO DISCURSO… SEMPRE! VOCÊS AJUDAM A PERPETUAR ISSO E NÃO SE DÃO CONTA! E todo começo de mudança é difícil, mesmo. Mas com o tempo, esforço e dedicação, isso pode ser feito e realizado!

      • Samara Barreira

        PS: Eu tinha esquecido de dizer… Pelo que notei, vocês claramente se importam mais com a quantidade de títulos a serem publicados por aqui, e não com a qualidade deles, não é mesmo? É por isso que títulos como Bullet Armors e Enigma, vieram para cá, mangás cujos os finais fora apressados e forçados porque ambos foram cancelados! Fala sério… Eu não me importaria se os títulos de mangás demorassem para vir para cá, desde que houvessem qualidade tanto física como no título em si! Enquanto vocês priorizarem a quantidade, de forma que ele possa ser feito de qualquer jeito só para as editoras obterem o lucro delas, aqui nada vai melhorar… ABSOLUTAMENTE NADA!

    • Samara Barreira

      E, por último… Por causa disso, quem é que leva a culpa, depois, se algum mangá é cancelado? NÓS! Lembrando… A Panini está como uma listinha de mangás que estão no freezer há muito tempo e sem perpectivas de volta, mas ela está enrolando para dar a notícia dos seus cancelamentos. E quando isso acontecer, eu já estou vendo até a cena: a Panini vai bancar a vítima e nós vamos ser os culpados… NOVAMENTE! você acha isso certo? Eu não acho! É incompetência de uma multinacional como ela não investir em propaganda e em publicidade para divulgar os seus produtos. E outra, eu aposto que muita gente vai concordar com a Panini. Cara, é a vida… Não adianta você fazer um post desses se você é o primeiro a dizer que nada pode ser feito. Que o seu blog passe a ser O Muro das Lamentações a partir de agora.

      Enfim, eu peço desculpas se eu exagerei em algo que disse. Eu fiquei tão furiosa com as respostas que você deu, que eu não aguentei! Eu tive de vir dizer várias coisas sobre isso.

      • “PS: Eu tinha esquecido de dizer… Pelo que notei, vocês claramente se importam mais com a quantidade de títulos a serem publicados por aqui, e não com a qualidade deles, não é mesmo? É por isso que títulos como Bullet Armors e Enigma, vieram para cá, mangás cujos os finais fora apressados e forçados porque ambos foram cancelados! Fala sério… Eu não me importaria se os títulos de mangás demorassem para vir para cá, desde que houvessem qualidade tanto física como no título em si! Enquanto vocês priorizarem a quantidade, de forma que ele possa ser feito de qualquer jeito só para as editoras obterem o lucro delas, aqui nada vai melhorar… ABSOLUTAMENTE NADA!”

        ———————

        Eu nem tinha visto esse comentário, mas creio que já respondi, não é?

        Mas assim:; por mais que eu ache preferível menos títulos, mas com mais qualidade, eu considero muito egoísmo da minha parte esse tipo de pensamento. Por quê? Porque o gosto das pessoas é muito diferente. É necessário que venha mais e mais títulos para que possamos escolher. Se só viesse poucos títulos nunca teríamos The testament of sister new devil, nunca teríamos vinland saga, lúcifer e o martelo, Sora no otoshimono, e uma porrada de outros títulos. Praticamente só teríamos Naruto, Dragon Ball, One Piece e outra meia-dúzia de modinhas.

        E, bem, o Brasil seria um país muito mais atrasado no ramo dos mangás se tivéssemos poucos títulos, tal qual é hoje Portugal.

        —————–

        E, por fim, como eu sempre digo: nunca fale de títulos “desconhecidos”. Mesmo que Enigma tenha sido cancelado no Japão, pessoas o conheciam e o pediam. E sobre Bullet Armors como eu disse em minha resenha, ele foi publicado na Itália e na França também. Isso justifica a vinda dele? Não, mas se queremos um mercado forte como nos países desenvolvidos, títulos como esse também precisam aparecer.

        ——————

        MAIS: Bullet Armors é um mangá tão ruim que na França ele foi publicado em tanko normal, em formato digital e também em capa dura. Legal, né?^^ Um dia chegaremos nesse grau de sofisticação em que até um mangá desconhecido e cancelado no Japão ganha três versões diferentes.

      • Samara Barreira

        Eu, normalmente, não reclamo de mangás desconhecidos, já que a maior parte da minha coleção é composta por mangás desconhecidos. E 100% deles, o peguei sem qualquer pesquisa prévia e não me arrependi. Eu sempre dou prioridade aos mangás, sempre! Não vejo um anime e/ou leio scans previamente, para conhecer o mangá antes de comprá-lo. Eu faço isso porque quero que ele me surpreeda. Se eu gostar, ai é que passo para o anime. Por que faço isso? Hábito de leitura. Faria também com light novels, da mesma forma, caso não houvesse o mangá publicado aqui. A minha queixa foi só porque eles foram cancelados, o que me deu um impressão ruim. Mas em nenhum momento disse que o mangá tem uma história ruim. Aliás, preciso conhecê-los futuramente para acabar com essa estigma ou preconceito, como preferir. Enfim… Pois é, que legal, não? Ter 3 versões não é nada mau para Bullet Armors lá na França. Mas enquanto não conseguirmos quebrar o pensamento de aceitação e de conformismo aqui no Brasil e sempre querendo preço baixo com qualidade ruim (o famoso barato que sai caro, no final das contas) quanto a qualidade física dos nossos mangás, nem aqui vamos ter um mangá publicado por aqui, assim como lá, um dia. ^^

    • Não, você não entendeu o que eu quis dizer. Existem coisas e coisas! Desejos e desejos. Não se deve confundir uma parte como o todo. Você foi levada pelas emoções e seus desejos pessoais e interpretou MUITO, MAS MUITO errado o que eu disse.

      Basicamente eu apenas DESCREVI A REALIDADE SIMPLES E PURA. Tudo o que eu falei é o que acontece HOJE, afinal as pessoas continuam comprando mangás da Panini mesmo com aquele papel jornal ruinzinho… As pessoas não são acomodadas, elas simplesmente não se importam e continuam comprando. Porque a Panini mudaria se está tudo certo e ela está lucrando? É lógico que ela só se arriscou com Berserk e outros títulos porque viu que dava certo, viu que outras editoras estavam fazendo, então ela podia arriscar em um título ou outro, mas ela continua com mangás em papel jornal porque é mais barato e vende.

      Sério: pense em algum motivo para fazer as pessoas mudarem de ideia e pararem de comprar mangás com qualidade ruim? Eu não consigo pensar…

      ———————————————————-

      Agora outras coisas:

      Primeiro: os eventos poderiam sim ter transmissão ao vivo. Somos atrasados nesse quesito porque a Yamato e os outros organizadores (que não sei quais são) não enxergam que poderiam oferecer isso. E, bem, não sei se você percebeu, mas a crítica da postagem foi só e somente a esses organizadores e não tem absolutamente nada a ver com as editoras e com a melhoria do mercado de mangás.

      Fora o Henshin + (que é da JBC) todos os demais eventos são organizados por empresas que são totalmente alheias às editoras, no máximo possuindo uma parceria aqui e ali, como a que a Yamato tem com a Newpop.
      ————————————————————

      Segundo: sobre a questão da qualidade física colocada por você, a questão é outra.

      Eu querer que um ou outro mangá seja lançado com sobrecapa ou capa dura é algo plenamente viável e as editoras não fazem. Eu querer um ou outro mangá com papel Lux cream (Deathnote BE) também é perfeitamente viável e as editoras também praticamente não fazem.

      Até mesmo querer um ou outro mangá em papel polén, o mesmo de Vagabond, (Não, você está equivocada Vagabond não usa papel jornal, é papel pólen, e o papel polén é outro tipo de papel offset), é viável, mas as editoras não fazem. Pedir e lutar por coisas assim não é algo surreal, é algo palpável e muito possível de ser realizado. Então, sim, dá para mudar a cara do mercado brasileiro. MAS com um ou outro título, NÃO COM TODOS.

      —————————————————————–
      3. Agora é completa utopia achar que poderíamos ter todos os mangás com papel luxcream (DNBE) ou pólen (Vagabond) porque o preço iria nas alturas. Isso não é discurso pronto de editoras, é uma realidade dura e cruel. Só poderíamos ter esse aumento de qualidade mantendo o preço se tivéssemos um aumento substancial de compradores. Por quê? Quanto maior a tiragem, menor o preço unitário do produto. Isso também não é discurso pronto das editoras, é coisa que todo mundo vê no dia-a-dia ao tirar xerox, pro exemplo.

      Mas como teríamos aumento substancial de compradores se as editoras NÃO FAZEM PROPAGANDA adequada? Como teríamos aumento de compradores se nem passa mais animes na tv aberta? não dá. Qualquer coisa que se pense passa por esse gargalo. Enquanto esse gargalo da propaganda existir, o problema irá persistir. Como eu disse nos comentários da postagem “O que as editoras brasileiras deveriam aprender com as estrangeiras”: pelo menos propagandas no youtube deveriam ser feitas, afinal muita gente assiste animes e procura por músicas no youtube e ainda nem sabe que existe um mercado de mangás no Brasil. Mas as editoras não pensam nisso 🙁

      Então, se as editoras não fazem propaganda para aumentar o público consumidor, aumentar a qualidade significa sim aumentar o preço, por isso eu disse que é utopia querer que todos os mangás tenham qualidade impecável. Eu adoraria que todos os mangás fossem assim, mas se tem pessoas que reclamam que Planetes tá caro e não o compra por falta de dinheiro imagina se todos os mangás tivesse no mínimo esse preço?

      Não é necessário editora falar qualquer coisa para perceber essa realidade. Os compradores de mangás não querem qualidade impecável, querem preço baixo isso sim.

      Se Orange fosse R$ 19,90 como eu disse, estaria todo mundo reclamando e muita gente deixaria de comprar. Você vê isso sempre nas páginas das editoras, aconteceu com Naruto, aconteceu com Hellsing, aconteceu com Parasyte e olha que só estamos falando de mangás de banca e com qualidade questionável.

      Repetindo o que eu disse antes no outro comentário: estamos em um momento crítico. Pelo menos por parte da JBC. Se a transparência dos mangás resultar em más vendas é nítido que a editora ou escolherá aumentar a qualidade e consequentemente o preço dos mangás ou mudá-lo para um papel jornal mais barato, igual o do selo Ink. É isso o que pode acontecer. É previsível. E se as vendas não caírem? Ocorrerá o mesmo caso da Panini. Se as pessoas continuarem a reclamar e mesmo assim continuar a comprar os mangás, absolutamente nada mudará. DE NOVO: Para que mudar em time que está ganhando? Vejamos o caso de Gagsta, as pessoas reclamaram e a editora prometeu mudar. Se a qualidade continuar horrível nos volumes posteriores e as pessoas continuarem a comprar, qual a impressão que passará para a empresa? Que as pessoas não se importam e compram assim mesmo. Em breve veremos o que acontecerá….

      —————-

      Então é das duas uma: ou teremos vários mangás com preço baixo e qualidade baixa, ou poucos mangás com qualidade alta e preço alto.

      Qual que é o preferível? O último. É preferível que tenhamos menos mangás com um preço um pouco maior e uma qualidade adequada, do que mangás com qualidade ruim, afinal ninguém é rico o suficiente para comprar tudo.

      MAS mais uma vez eu repito a mesma coisa a realidade não é essa. Não é isso o que as pessoas querem e não é isso o que as editoras querem. Pela terceira (?) vez eu digo: porque elas iriam mudar em time que está ganhando?

      O máximo que podemos almejar para agora é uma ampliação da situação com títulos com acabamento e preço de zero eterno, planetes, gen pes descalços, etc, mas não mudar tudo.

      A realidade é essa, é visível, nítida para todos, não há como negá-la.

      ————————
      Então Samara: quer realmente mudar o mercado por inteiro? Não se conforma com a realidade e quer mudá-la? Então, temos algumas opções possíveis:

      1. Convencer as pessoas que não se importam, a exigir qualidade. Como eu disse no início do comentário: há como fazer isso? Eu não sei.

      2. Difundir o mangá para o maior número possível de pessoas, gerando mais e mais consumidores.

      3. Atingir o bolso das editoras, I.E, não comprar.
      Reclamações funcionam, mas se continuar a comprar não adianta absolutamente NADA.

      • Samara Barreira

        Se você diz que eu te interpretei mal, você também fez o mesmo. porque você também viajou na maionese, no ketchup e na mostarda legal… E BEM MAIS DO QUE EU, CONVENHAMOS! Então não coloque a culpa somente em mim, porque eu não vou admitir isso, OK? Afinal… Eu me responsabilizo pelo que eu falo e não pelo que você entende, tá legal? Eu não conheço todos os tipos de papel, como você, porque eu mal conheço o pisa-bryte e o offset e olhe lá, beleza? Vamos dividir a culpa, então. Porque você também agiu errado, então não me culpe pelos seus exageros. Quer saber? Mesmo com tudo isso, o que você disse nessa sua viajada louca, foi até um pouco interessante e instrutivo. Eu vou até te agradecer, porque também você também até que contribuiu um pouco. Enfim… Obrigada.

  • Guilherme

    Nossa, esse sim foi um grande desabafo,hein?hahaha!Mas sobre o que vc falou, cara eu acredito que dava para pelo menos transmitirem as palestras, ou ao menos os principais eventos, pra mim não é nada de outro mundo, se nós exigíssimos dos organizadores…Quanto ao que vc falou da maioria dos eventos em São Paulo, realmente como gostaria que isso fosse diferente, mas se eles acham que o publico alvo em sua grande maioria está em SP, então os eventos lá sempre vão ter prioridade…

    • Samara Barreira

      E por causa desse achar, que tudo continua a mesma coisa até hoje, e sem perspectiva de mudança. Afinal, há sempre alguém pensando por nós e nós deixamos isso acontecer. E como via de regra… Acabamos repetindo o discurso dessas pessoas e fazendo mesmo que elas. É um ciclo vicioso.

      • Guilherme

        Outro problema é que as vezes muitas pessoas também não tem vontade de mudar sa coisas, e isso não só falando em mangás, mais em outras coisas aqui no br, é PRECISO que as pessoas estejam dispostas a lutar pelos seus direitos!!!

      • Samara Barreira

        É verdade. O que eu mais vejo são pessoas conformadas com tudo, o que também é revoltante. Fazer o que?

      • Guilherme

        O melhor caminho é continuar enchendo o saco das empresas, dos conformistas e, se possível, por que não, boicotar eventos mal organizados, não da pra aguentar ter que ir a eventos organizados em patio de escola, sem qualquer infraestrutura…

      • Samara Barreira

        Eu nunca fui em qualquer tipo de evento, então não posso falar nada. A minha reclamação é só que eles são realizados bem longe de onde eu resido. No mais, você está certo. Temos que fazer isso mesmo, não só para eventos, mas para outras coisas relacionadas a mangás, animes.

  • Fábio

    Sinceramente, alem de preferir papel jornal para manga também vejo que é comum até no Japão verificar tal referencia, mas a quantidade de tinta que vaza do papel para o lado contrario é realmente agoniante.

    • Samara Barreira

      Cara, semana passada eu ganhei dois mangás em língua japonesa. Eles são impressos em papel jornal, mas são bem mais grossos que essa folha de seda que usam para imprimir os nossos mangás.

      • Guilherme

        É papel jornal sim, só que a gramatura deles é bem maior, eu diria que deve ser de 90 ou 100g, realmente deveria ser padrão aqui, já vi hq(brasileira tá gente)com papel de gramatura 170g, imaginem isso!!!

    • Samara Barreira

      O único mangá que eu já vi com uma gramatura comparável ao do Japão, foi Vagabond, que foi cancelado pela Jens – Nova Sampa. Eu não me importaria se todos os nossos mangás fossem impressos naquela gramatura, mesmo em papel-jornal.

      • Guilherme

        Sim, já tive a chance de conferir o vagabond da nova sampa, é um papel que não é exatamente papel jornal, não sei qual o nome do papel, mas acho que se as editoras de mangá fizessem como as de hq(isso pra editora de hq é BÁSICO), usar offset de 90, 100g ou quem sabe mais…

      • Samara Barreira

        Concordo contigo, Guilherme. Seria bem melhor, se as editas fizessem isso mesmo.

      • Guilherme

        Verdade, tanto que nunca tive problema de tranparencia com nenhuma hq de livraria que puguei até hoje,se as editora de mangá não fossem tão mão de vaca…

  • Sabe porque não vale a pena a transmissão? Assim como conheço fanaticos por futebol que preferem ver o jogo na tv por ser mais barato (sim, isso existe e MUITO) parte do publico que iria nesses eventos de manga prefeririam assistir na web. Pode parecer bizzarro mas é uma tendencia que vejo e muito.

    • Isso é uma tendência bem ruim, mas sei lá: quem vai só pela palestra em si deve ser um público muito menor do que o que vai no evento todo, então eu acho que não haveria problema em uma transmissão online….

  • Phammy

    Tudo que digo é que só quem trouxe realmente um Mangaká para um evento e fez um auê em cima disso foi a menor editora de mangás… E o Jr já comentou que quer trazer mais e que estava sondando as oportunidades. O coitado tem que competir com eventos europeus, japoneses e americanos… Mas quem sabe…

  • Samara Barreira

    Mais uma coisa, Kyon… Tem certeza de que eu realmente “viajei”, que eu “agi pela emoção” e, por isso, eu “te interpretei errado ao confesar te os meus desejos mesquinhos em relação aos mangás”, sério mesmo? Olha, ao meu ver, você está tentando separar algo que jás está interligado. Se a JBC tem o Henshin Online, e os demais grupos ou organizações que tratam de mangás e animes, por assim dizer, assimo como seu, tem página no facebook, blog, site e canal no youtube e tudo mais na internet, é para atrair mais público para os mangás e os animes, mais leitores. Você está subjugando a sua própria capacidade e o seu potencial para mudar as coisas e fazer acontecer. Acredito que os outros, também. Se não for para isso, para este objetivo, para que serve o que você está fazendo na internet e numa rede social como o facebook? Para que você fez uma página no faceook e um blog? Qual é o objetivo de tudo isso, o que é que você quer, de fato com tudo isso? Se for para sentar em cima do conformismo e da aceitação, não vejo utilidade alguma no que você está fazendo. Você, assim como os demais, estão perdendo o seu tempo aqui. Porque o seu trabalho nada está servindo. Não é nada pessoal, Kyon, mas tem coisas que não dá para aturar, mais. Se você não quer fazer algo para mudar porque aceita e já se conformou com isso ou não se importa, então não atrapalhe quem quer fazer algo com pensamento medíocre de um derrotado que desistiu antes mesmo de comentar. Sem ofensas. Eu não consigo aceitar a sua postura em frente a tudo o que está acontecendo. E tem mais… Ter transmissão ao vivo dos eventos pela internet, é o menos dos problemas e o mais insignificantes. Isso é um desejo seu. Só sei, e mesquinho ainda por cima. Afinal, não adianta nada ter isso, se o resto está por fazer. E se lá existe isso, é porque já cuidaram do essencial e do principal e que eu falei aqui e que você não deu a menor importância. Ter tranasmissão de algo ao vivo pela internet não é a causa, mas a consequência. Entenda isso. E pare de dizer que eu não entendi nada e que te interpretei mal, quando quem não entendeu aqui foi você. E quem me interpretou mal foi você. Afinal, eventos como esse não existiria sem sua principal fonte de existir, porque depende disso: mangás e animes. Sendo que o mangá foi o começo de tudo, o anime foi consequência e que ajudou a popularizar ainda mais o mangá. E os eventos ajudam a divulgar os dois, vem como redes sociais, blogs e sites relacionados ao assunto.

    • Sim, continuo dizendo que você não entendeu e esse último comentário mostrou mais uma vez isso. Eu critiquei praticas das editoras, critiquei praticas dos leitores e mesmo assim fui chamado de conformista, logo você não entendeu^^.

      Olha essa crítica: “por que as editoras mudariam em time que está ganhando?” Essa frase é ao mesmo tempo uma crítica dura às editoras por nao mudarem em nada e aos leitores por comprarem mangás com péssima qualidade. Só por essa frase ninguém poderia dizer que sou conformista…

      mas, né, cada um pensa como quer. Se sou conformista por criticar editoras e leitores sem me exaltar, que seja, não me importo mais, não conseguirei te convencer mesmo^^.

      • Samara Barreira

        Kyon, essa frase é uma faca de dois gumes. Portanto, perigosa. Eu interpretei ela como sendo a frase de um conformista, uma pessoa que aceita tudo sem questionar. E você diz que não. Tudo bem, é mais fácil para você enxergar que eu estou errada nas minhas ideias e convicções e, por tanto, insiste que está sendo mal interpretado porque lhe convém. Pense como você quiser ao meu respeito: sobre o que eu penso ou deixei de pensar. Não vai fazer a menor diferença, de qualquer forma. Não é nada pessoal, Kyon. Eu gosto da sua página e do conteúdo do seu blog, portanto, eu admiro pacas o seu trabalho. Tanto que eu coloquei para receber notificações, sempre que você posta algo novo. Eu só não vou aceitar as suas ideias e nem que você tente ao menos, impor as suas sobre a minha, com as seguintes alegações que você fez ao meu respeito:

        “Não, você não entendeu o que eu quis dizer. Existem coisas e coisas! Desejos e desejos. Não se deve confundir uma parte como o todo. Você foi levada pelas emoções e seus desejos pessoais e interpretou MUITO, MAS MUITO errado o que eu disse.”

        “Sim, continuo dizendo que você não entendeu e esse último comentário mostrou mais uma vez isso. Eu critiquei praticas das editoras, critiquei praticas dos leitores e mesmo assim fui chamado de conformista, logo você não entendeu^^.”

        Tudo isso porque você quer ficar por cima, quer ter o controle da situação. Quer ter a razão. Isso deixou de ser uma troca de ideias e de aprendizado saudável para ser um jogo de egos inflados, principalmente o seu. E você não quer admitir que está errado, porque dói muito, afinal vai ferir o seu precioso orgulho (?). Porque eu continuo tendo a certeza de que ter um streaming para eventos nos sites das editoras na internet, um mero capricho seu. Eu não vou a eventos, mas eu não estou perdendo grande coisa, principalmente se eu fico sabendo de tudo por aqui, nas redes sociais. Então, sinceramente? Eu não estou nem aí pra isso, honestamente. E tem mais… Isso não é tão importante, quando há tanta coisa para se fazer: atrair mais gente para o nosso meio, e a expansão do nosso mercado. E, como isso, mais qualidade no que compramos, entre outras coisas, como eujá disse anteriormente. Isso seria uma consequência, assim como hoje é lá na Europa e nos EUA, sem falar na própria Ásia. Você pensa no topo, sem pensar na base, nos fãs! E no quanto as editoras deveria nos respeitar e não fazem! Sempre ignoram as nossas perguntas, isso quando nos banem das páginas sóporque não concordamos com elas ou porque as cobramos contantemente. Acorda, Kyon. Um prédio sem uma base forte o que o sustente, ele iria ruir e ir abaixo ao menor abalo! Só queremos ser ouvidos, também! E ser tratados decentemente!
        Me convencer? Bem, se você tivesse argumentos convicentes para conversar comigo ao invés de ficar na defensiva, você teria realmente me convencido faz tempo. Eu não sou tão difícil a esse ponto. Mas Suas alegações sobre isso não são argumentos e nem servem para convencer uma pessoa, quanto mais a mim. ^^

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: