Resenha: Puella Magi Kazumi Mágica – volume 01

kazumiNovas guerreiras…

A enorme franquia Madoka Mágica continua a ter continuidade em território nacional. Depois do mangá e da novel da série principal, e dos mangás The Different Story, Oriko Mágica e Oriko Mágica: outra história, a editora NewPOP trouxe ao país Puella Magi Kazumi Mágica – Malícia inocente, o mangá de título longo e esquisito e com a maior quantidade de volumes de obras da franquia (5) lançadas até agora.

O título começou a ser publicado ano passado e atualmente se encontra no volume 3. Aqui, no entanto, falaremos apenas do volume 1, visto que à época do lançamento o título não me interessou e só o adquiri recentemente ao encontrar em uma banca de minha cidade.

Kazumi Mágica é uma história completamente diferente dos outros e, apesar de se passar no mesmo universo (ou nos mesmos universos) das outras séries, aparenta ser uma história à parte sem qualquer relação com a história principal. Kazumi Mágica é, portanto, uma obra que pode ser lida de forma independente, mesmo por quem não conhece ou não gosta de Madoka Mágica.

Em Puella Magi Kazumi Mágica: Malícia Inocente conhecemos Kazumi, uma garota que, após ser sequestrada, fica desmemoriada e descobre possuir magia. Ao lado de suas amigas Umika (a garota que escreve best-seller) e Kaoru (a menina que gosta de jogar futebol), bem como algumas outras meninas que aparecem, Kazumi é uma garota mágica e combate o poder das bruxas. Mas o que tem de diferente nesse mangá em relação aos outros títulos da franquia? Veremos agora…

Kazumi magica 01

Puella Magi Madoka Mágica é, antes de tudo, uma história dramática, uma história triste. Embora comece de uma maneira amena, buscando mostrar um lado alegre das garotas mágicas, logo a obra vai ficando tensa e mostrando que não há nada de bom em lutar contra as bruxas. The different Story e Oriko Mágica não se diferenciam muito da série principal. Todas elas focam-se em mostrar a tristeza que é a vida das garotas mágicas…

Kazumi Mágica parece ser diferente. Embora ainda tenha os conflitos e as lutas contra as bruxas, o mangá tem um toque de comédia que pode agradar algumas pessoas. Logo nas primeiras páginas temos duas gags muito comuns, a menina caindo em cima de um homem em uma posição constrangedora (com o agravante de ela estar pelada O_o) e esse constrangimento sendo interrompido por algo mais importante, o estomago da garota avisando que ela está com fome^^. Várias outras cenas acontecem para fazer você rir, como o medo de Kazumi ou o mau humor de Umika. A própria personalidade engraçadinha de Kazumi é feita para gerar um efeito de humor no leitor, de modo que tanto nos afeiçoamos a ela, quanto rimos por suas atitudes.

O que há mais de “estranho” em Kazumi Mágica? Muita coisa, na verdade. Por ter um tom diferente da série principal (em que o objetivo era fazer um contraste entre o lado fofinho das meninas e o lado obscuro e cruel do mundo das garotas mágicas e das bruxas), esse mangá possui algumas liberdades. Nas transformações as garotas ficam peladas e não raras vezes são mostradas em poses esquisitas. Mas nem “sensual” isso chega a ser, visto que os desenhos são horrorosos. Vocês podem notar só pela capa do primeiro volume, o modo como o artista desenha o mangá. Rostos com formas estranhas e as roupas das garotas mágicas completamente esquisitas. Sem dúvida, muito diferente da série original…

Além disso, temos as bruxas. As duas que aparecem no primeiro volume distam muito das que conhecemos na série original, especialmente por serem provenientes de seres humanos normais e se parecem com monstros. A primeira bruxa, por exemplo, chega a dizer que ganhou os poderes de alguém e essa informação fica no ar. As garotas mágicas até colocam a hipótese de que qualquer pessoa possa virar uma bruxa, sejam pessoas más ou não… Difícil saber por um volume se a história segue AQUELE padrão de Madoka Mágica em que as bruxas são criadas a partir de xxxxx, mas nos próximos devemos ter uma resposta mais clara.

De todo modo, a história faz parte da franquia Madoka Mágica e é natural pensar que o clima de comédia desse primeiro volume perca força em relação ao drama, mas isso é só especulação.

A edição nacional

A edição de Kazumi Mágica veio no mesmo formato 128 mm x 187 mm, mesmo das outras séries da franquia Madoka, papel offset 90g e algumas páginas coloridas. A média de páginas, entretanto, é apenas 144. O preço das duas primeiras edições é R$ 12,00, a terceira é R$ 12,90.

Veredicto

Puella Magi Kazumi Mágica: Malícia inocente possui uma narrativa bem simples e não inova em nada. Além disso, os desenhos são realmente horríveis e não possuem nada de especial. Porém, por mais convencional que seja, a narrativa acaba sendo bastante divertida e muito agradável para uma leitura descompromissada. Se você deseja uma história assim Kazumi Mágica é uma boa opção; entretanto se deseja algo mais que isso, existem outros mangás bem melhores…

BBM

4 Comments

  • gilberto94819

    Tem uma coisa que sempre achei estranha nas edições de Puella Magi da NewPOP. Parece que eles redimensionaram a imagem em relação ao original, e isso fez que os screentones ficassem desalinhados, borrados, mal feitos e os traços ficassem serrilhados. E isso acontece em todos os mangás de Mágica. Não acredito que seja problema tecnológico ou de impressão da NewPOP, pois tenho outros mangás deles e esses não apresentam esse tipo de problema.

  • Ótimo texto.
    Realmente achei o traço do desenho delas bem feio, mas assumo que de inicio o traço de Madoka Magica também não era algo que me agradava muito fui gostando ao longo do tempo digamos. Ainda não tive oportunidade de ler esse mangá ainda, mas fiquei curioso de ver como é essa história. Quem sabe em breve kk
    https://somaisumaleatorio.wordpress.com/

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: