BBM lista: 6 Histórias com protagonistas deficientes

Conheça ou relembre…

Uma das características mais fortes dos mangás (em posição aos demais quadrinhos) é como histórias podem ser absolutamente mundanas, focadas em emoções, relações ou simples segmentos da vida. Gêneros como o histórias de vida escolar (School Life) e cotidiana (Slice of Life), por exemplo, utilizam dessa característica para atrair leitores, oferecendo histórias familiares do dia a dia japonês e criando grande representatividade.

Infelizmente, nem todas as minorias são bem representadas no mundo dos mangás e quando são, costumam ser imensamente fantasiosas e completamente fugir da realidade. Um caso disso são exatamente as pessoas como deficiências físicas.

Hoje, selecionamos seis dessas raras histórias com protagonistas deficientes, desde aqueles realistas, até os mais fantasiosos, que já foram publicadas no Brasil. Acompanhe com a gente esta lista:


A VOZ DO SILÊNCIO


Com certeza uma das obras mais realistas e de fato centrada nas dificuldades de um deficiente no Japão que já foi publicado no Brasil e até mesmo por lá. Nesta história acompanhamos Shouko, uma menina surda, ainda estudante, que acaba sendo vítima de bullying e preconceito pelos colegas, professores e adultos devido à sua deficiência.

A voz do silêncio #01. Foto: NewPOP

Na série a autora apresenta de fato a vida de um surdo, usando linguagem de sinal, os aparelhos auditivos e até a forma “estranha” deles falar no mangá, tudo isso com o apoio de uma associação de surdos japonesa que lhe confere uma legitimidade extra.

Trata-se um história cotidiana e vida escolar, com pitadas de romance e drama que foi publicado no Brasil pela NewPOP com 7 volumes.


DORORO


Difícil definir o nome da deficiência nesta obra, mas com certeza é totalmente único. Na história Hyakkimaru tem vários pedaços de seu corpo sacrificados pelo pai em troca do favorecimento dos espíritos e sucesso.Tendo sobrevivido a tal desgraça, a criança é acolhida por um velho que lhe faz partes artificiais. Mas conforme a história corre, ele passa a caçar os demônios que lhe tiraram pedaços e, a cada um morto, uma parte de seu corpo nasce novamente.

Dororo #01. Foto: NewPOP

Se o anterior era realista, este aqui é fantasioso no nível mais absurdo possível. Ainda assim, Dororo é um clássico e um dos primeiros a trabalhar esse tipo de “falta de pedaços” acontecendo com um protagonista.

Com bastante menção à mitologia e história japonesa, Dororo foi escrito por Osamu Tezuka e foi publicado no Brasil pela NewPOP em 4 volumes. É com certeza o melhor exemplo de séries com um protagonista com várias deficiências e partes de seu corpo faltando.


VAGABOND


Não, Musashi não é deficiente, mas Sasaki Kojirou é! Protagonizando a partir do volume 14, você acompanha o crescimento e ponto de vista da criança muda e que um dia irá se tornar o rival do protagonista Musashi.

Vagabond #01. Foto: Panini Mangás

Embora seja realista, a deficiência ali dificilmente é o centro da obra, embora apresente seguimentos bem focados nisso. Além disso, exatamente por ser uma obra histórica de samurai, não representa em nada a realidade atual dessas pessoas.

Vagabond é baseado na história de Musashi e escrito por Takehiko Inoue, mesmo autor de Real*, e ainda não foi concluído no Japão. É uma série recheada de drama e ação com um traço magnífico. A publicação da série aqui no Brasil é cheia de cancelamentos pela Conrad e Nova Sampa, mas na mão da Panini parece que será concluído (assumindo que seja concluído no Japão…). Atualmente a série está parada com 37 volumes.

*“Mesmo autor de Real”, e o que seria Real? Só uma das melhores histórias trabalhando deficientes já escritas no Japão, mas que ainda não apareceu por aqui. Assim como Slam Dunk (outra obra do autor), é uma obra de esportes, mais especificamente basquete, mas com cadeirantes!


CODE GEASS – O PESADELO DE NUNNALY


Nunnally é outra personagem que só conheceu desgraça. No ataque que tirou a vida de sua mãe, ela foi baleada diversas vezes e perdeu o movimento das pernas e a visão, sendo encarcerada numa cadeira de rodas.

Code Geass – O pesadelo de Nunnaly. Foto: Guia dos Quadrinhos

Embora seja uma personagem secundária na franquia de Code Geass, no spin-off O Pesadelo de Nunnally ela é protagonista, sendo portadora do poder Geass e pilotando robozões por aí. Sendo assim, ela é provavelmente o único exemplo de protagonista cadeirante ou cego no Brasil, embora seja algo que apareça bastante nos personagens secundários. Embora a série em geral tenha um toque de realismo (dentro de um mundo sci-fi), sua deficiência passa longe de ser o foco da história.

Code Geass O Pesadelo de Nunnally possui 5 volumes e foi publicado pela JBC no Brasil, junto com outros mangás da franquia.


FULLMETAL ALCHEMIST


E se o assunto é perder partes do corpo… Quem melhor que os irmãos Elric? Resultado de uma transmutação que não deu certo, Alphonse (Al) perdeu seu corpo todo e Edward (Ed) perdeu um braço e uma perna. A deficiência corpórea (?) de Al é absolutamente fantasiosa e não representa muito nesse assunto, mas a perda dos membros do irmão já é outra história.

Fullmetal Alchemist. Foto: Editora JBC

Por ter perdido os dois membros, Ed depende de próteses mecânicas, e aí que entra um assunto interessante nesse mundo das deficiências físicas! Em geral na história, as próteses são feitas não para substituir a função dos membros, mas como uma forma de imitar esteticamente, para esconder aquela falta e parecer “normal”. Em FMA, entretanto, Ed usa suas próteses como ferramentas, sem vergonha, sem a preocupação de parecer normal.

No fundo, acaba sendo um modelo muito positivo para deficientes e usuários de próteses funcionais, reforçando a ideia de que as próteses deveriam estar lá para melhorar a vida de seus usuários e não como forma de tentar “corrigir esteticamente sua anormalidade”. E só por isso, FMA merece um lugar de destaque neste assunto!


GANGSTA.


Mais um surdo para a nossa lista! Em  Gangsta. conhecemos Nicolas Brown, um dos personagens principais da história. Assim como A Voz do Silêncio o personagem é visto usando linguagem de sinais e falando de forma diferenciada, que refletem bem a realidade dos deficientes auditivos.

Gangsta. #02. Foto: Editora JBC

Gangsta. é publicado no Brasil pela JBC e ainda não foi concluído no Japão, e tem tido pausas ocasionais.


Outras histórias com personagens com algum tipo de deficiência publicados no Brasil incluem: Fairy Tail, Diário do Futuro, Elfen Lied, Hunter x Hunter, Bleach, D.Gray-man, Black Lagoon, Basilisk, Yu Yu Hakusho, BTOOOM!, Samurai Champloo, Blood Blockade Battlefront, One Piece, Nausicaä, Cavaleiros do Zodíaco: The Lost Canvas, The Ancient Magus Bride, Honey & Clover e diversos outros. Conhece alguma outra história centradas em deficiências ou que as retratam de forma positiva? ^^

Um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s