[Curiosidade] “Sakura – Clear Card” já foi lançado em quais países?

Tá todo mundo adiantado?

Na última sexta-feira, 23 de agosto de 2019, a editora JBC finalmente anunciou o mangá Card Captor Sakura – Clear Card Arc, a continuação direta do clássico Card Captor Sakura, obra do famoso grupo CLAMP.

Por ser continuação direta de uma obra tão querida do público, desde que se noticiou que as autoras fariam a obra, ficou claro que Clear Card chegaria ao Brasil mais cedo ou mais tarde. Ou seja, nunca foi uma questão de “se” viria, mas sim de “quando”. Eu achava que ela aparecia na época da adaptação em animê, em 2018, mas acabou só vindo agora. Isso não interessa muito na verdade, o importante é que a previsão se cumpriu e a obra veio mesmo.

Mas como anda esse mangá em outros países? Ele já é lançado em diversos locais pelo ocidente? E como a anda a publicação neles? É isso o que você saberá em nossa postagem de curiosidades de hoje. Vem ver :).


ALEMANHA


Na Alemanha, o mangá Card Captor Sakura – Clear Card Arc é publicado desde julho de 2018 pela editora Egmont e a publicação por lá já vai bem avançada por lá, uma das mais adiantadas do ocidente. Em setembro de 2019 publicarão o sexto volume da obra, encostando a publicação japonesa, que lançará o sétimo no mesmo mês.

A versão alemã trata-se de uma edição pocket (+- 12 x 18 cm) e sai ao preço de 6,50 Euros (cerca de 30 reais pela cotação atual). Não conseguimos informação se a edição tem ou não sobrecapa ou outros detalhes adicionais. Por fim, além da versão impressa, a Egmont também publica o ebook da obra, ao preço de 5,49 Euros.

Capa do primeiro volume alemão

No país, o mangá original de Card Captor Sakura foi publicado pela primeira vez, também pela Egmont, entre 2000 e 2002, sendo concluído nos 12 volumes originais. Entre 2009 e 2011, a obra foi relançada pela mesma empresa, seguindo a reedição japonesa (aquela que serviu de base para o relançamento da JBC) também em doze volumes. Além disso, no país foi publicado uma versão quadrinizada da animação e alguns artbooks.


ARGENTINA


A edição argentina de Card Captor Sakura – Clear Card Arc é bem recente, lançada pela Ivrea, a maior editora do país, desde junho de 2019. Apenas dois volumes foram publicados até o momento por lá, o segundo tendo saído na semana passada. É uma edição padrão argentina, formato menor, com miolo em offset e capa com sobrecapa. Atualmente custa 335 Pesos Argentinos (cerca de R$ 24,52 pela cotação atual), mas dado o cenário econômico na Argentina deve sofrer reajustes dentro em breve.

Capa argentina

A edição original de Card Captor Sakura foi publicado na Argentina lá por volta de 2001, na mesma época em que saiu no Brasil. Posteriormente, a editora local perdeu o contrato, pois a Kodansha – empresa japonesa – deixou de licenciar obras para o país, fato que permaneceu até 2016. Em 2018, a Ivrea licenciou a obra novamente e começou a publicar a versão especial de aniversário da revista Nakayoshi, que reduz os 12 volumes originais para apenas 9.


ESPANHA


A edição espanhola do mangá é publicada pela editora Norma, uma das maiores do país, desde abril de 2018 e vai seguindo bem, com cinco volumes publicados até o momento, o último deles agora em agosto.

A versão da Espanha é lançada em formato pocket com sobrecapa e papel offset, como costumam ser os mangás  de lá. O preço é o padrão da editora, 8 euros (cerca de 37 reais, pela cotação atual). Até onde a gente viu, não se publica a versão em ebook por lá.

Capa espanhola

A série original de Card Captor Sakura foi publicada originalmente na Espanha pela Glenát (filial de uma empresa francesa de mesmo nome) entre 2001 e 2002 em idioma espanhol, e entre 2007 e 2008 a mesma empresa também publicou o mangá em idioma catalão (falado na região da Catalunha, onde fica Barcelona). Hoje, a Glénat espanhola não existe mais e a editora Norma chegou a anunciar, em 2016, um relançamento da série original seguindo a edição de aniversário da revista Nakayoshi, porém até hoje ela não saiu, devido a problemas de aprovação. Contamos essa história em uma postagem própria, leia clicando aqui. Felizmente, a empresa conseguiu todas as aprovações e o primeiro volume já tem data para sair, leia mais clicando aqui.


ESTADOS UNIDOS


Nos Estados Unidos, o mangá Card Captor Sakura Clear Card Arc começou a ser publicado em dezembro de 2017 pela editora Kodansha US, filial da empresa japonesa de mesmo nome. Assim como na Alemanha, a publicação está bem avançada e em setembro publicarão o sexto volume, o mais recente do Japão.

A publicação americana segue o formato 12,7 x 19 cm (mais ou menos o tamanho da edição brasileira de The Ancient Magus Bride) e custa 10,99 dólares (cerca de 45 reais). Essa versão pode ser comprada na Amazon brasileira (clique aqui) sempre por um valor menor do que esse. Por fim, além da versão impressa, o mangá sai também em formato digital, ao preço de 7,99 dólares.

Capa americana

A obra original de Card Captor Sakura foi publicado nos Estados Unidos entre 2000 e 2002 pela Tokyopop, sendo relançado entre 2004 e 2005 pela mesma empresa. Entre 2010 e 2012, o mangá saiu mais uma vez no país, agora pela Darkhorse em um ominibus de quase 600 páginas por volume. Em junho de 2019, a obra começou a ganhar mais uma edição, dessa vez pela Kodansha US e seguindo a versão de aniversário da revista Nakayoshi, com o detalhe de ser em capa dura.


FRANÇA


Na França, Card Captor Sakura – Clear Card Arc começou a ser publicado em novembro de 2017 pela editora Pika Edition, tanto em formato impresso, quanto em digital. Cinco volumes foram publicados até o momento e o sexto está previsto para outubro.

A versão impressa é também lá publicada em formato pocket (12 x 18 cm) e sai ao preço de 6,95 euros (cerca de R$ 32,00). A versão digital custa 4,49 euros.

Capa francesa

A obra original de Card Captor Sakura foi publicada na França pela primeira vez em 1999 pela editora Manga Player, mas apenas dois volumes foram lançados. Em outubro de 2000, a Pika Edition relançou a obra e a lançou até o final, concluindo-a em julho de 2001 com a publicação do volume 12.

Em outubro de 2008, a Pika relançou a obra mais uma vez, agora, porém, reduzindo o número de volumes originais de 12 para apenas 6. Essa versão foi concluída em setembro de 2009. Por fim, em abril de 2018, a Pika começou a publicar a Edição especial de aniversário da revista Nakayoshi, que reduz os doze volumes para apenas 9. A empresa lançou o mangá mensalmente concluindo-a em dezembro de 2018.


ITÁLIA


Na Itália, o mangá Card Captor Sakura Clear Card Arc começou a ser publicado apenas agora em 2019, no mês de maio pela editora Star Comics. Somente dois volumes foram publicados até o momento, o segundo neste mês de agosto.

A edição italiana é pocket (11,5 x 17,5 cm) e não tem sobrecapa. Seu preço é o mais baixo entre os países europeus, apenas 4,50 Euros (cerca de R$ 20,70). Por lá não saiu a versão digital.

Capa italiana

A obra original de Card Captor Sakura começou a sair na Itália em outubro de 1999 também pela Star Comics, sendo concluído em dezembro do ano 2000, completando 12 volumes no total. Entre setembro de 2011 e agosto de 2012 a obra foi relançada seguindo a reedição japonesa.


No México, Clear Card ainda não começou a ser publicado. O mangá original foi lançado no passado pela editora Toukan, em um total de 50 revistas. Atualmente, a editora Kamite está republicando a obra, seguindo a versão de aniversário da revista Nakayoshi. Na Polônia, por sua vez, a edição original de Sakura começou a sair apenas agora em 2019. Três volumes foram publicados até o momento. Em Portugal não saiu nada até onde a gente sabe.

Agora chegou a vez do Brasil. A editora JBC ainda não divulgou quando o título começa a ser publicado, mas deve ser em breve.


*As conversões de outras moedas para o Real presentes neste post são apenas para referência, elas não servem para mostrar que em um local é mais caro ou barato do que em outro. Numericamente, por exemplo, a edição italiana é a mais barata de todas, mas isso não quer dizer necessariamente que ela seja de fato. Talvez para os franceses seja mais barato pagar quase 7 euros do que para o italianos pagarem 4 e meio.

**Em outros países não se costuma falar muito de papéis, de modo que a gente não sabe exatamente em que papel tal ou qual obra foi lançada. A gente sabe que na Espanha e na Argentina é papel branquinho porque acompanhamos esses países há algum tempo e conhecemos o padrão de lançamentos deles. Do resto, ficaremos devendo.

%d blogueiros gostam disto: