Mangá Aberto: “Ten Count”

Veja como está o mangá

Mangá Aberto é uma nova coluna de resenhas aqui do blog em que mostraremos a edição física de um mangá, geralmente um lançamento. O nome advém de um antigo blog em língua espanhola que fazia exatamente isso^^.

A ideia é apresentar aos leitores exclusivos do blog o que já fazemos em nossas redes sociais, mostrar fotos do mangá acrescentando alguns detalhes sobre as obras e opiniões. A postagem de hoje será sobre a edição brasileira de Ten Count, mangá lançado em fevereiro de 2023 pela editora NewPOP.


DETALHES SOBRE A OBRA


Ten Count é de autoria de Rihito Takarai e foi publicado no Japão na revista de mangás BL’s Dear +, da editora Shinshokan, tendo seus capítulos compilados em um total de seis volumes. A obra ganhará uma adaptação animada para o cinema com data prevista para 2023.

No Brasil, o mangá foi anunciado pela editora NewPOP no dia 29 de janeiro de 2022 e o lançamento ocorreu nos primeiros dias de fevereiro de 2023, quando começou a chegar às lojas o primeiro volume.


FORMATO DA EDIÇÃO BRASILEIRA


A edição brasileira veio no formato 12,8 x 18 cm. Trata-se de um tamanho pocket similar a outros títulos da editora NewPOP, como Citrus. Ele é menor do que os mangás em formato padrão da JBC e Panini, mas é maior do que outros títulos da NewPOP como  As Flores do MalDevil Ecstasy e Uma Vida Imortal.

O acabamento veio em capa cartão com sobrecapa (falaremos disso mais adiante) e o papel usado no miolo é o offset 90g, aquele papel branco usado na maioria dos títulos da editora. Ao todo, são 178 páginas, todas em preto e branco.


SOBRECAPA, QUARTA-CAPA E LOMBADA


A sobrecapa da edição brasileira segue a mesma ilustração da sobrecapa japonesa. Entretanto, a versão local é bem mais limpa, com pouquíssimos elementos, possibilitando ver melhor a arte da ilustração.

A quarta-capa (a parte de trás do mangá) também possui uma boa harmonia, com poucos elementos e todos bem dispostos (uma ilustração, o selo da editora, o título da obra, etc). Como sempre, elogio a existência de uma sinopse, algo bastante útil para quem compra em lojas físicas.

A lombada também gostei, igualmente por simples e bastante sóbria.

Importante lembrar que Ten Count foi lançado com sobrecapa, então todas as imagens que mostramos até aqui são dela. Se você nunca viu um mangá com um desses itens, se trata de um item removível que fica logo acima da capa. No Japão e em outros países todos os mangás possuem, mas aqui no Brasil são raros os mangás que a têm.

Vejam a sobrecapa completa.

Sem sobrecapa o mangá fica como nas imagens a seguir, com sua capa, com o título do mangá e alguns números em uma capa de cor cinza.


CAPAS INTERNAS


As capas internas são brancas, sem nenhum desenho, inscrição ou pintura. Particularmente gosto assim, pois se não tem nada para colocar, melhor não colocar nada. Muitas vezes pegamos mangás da NewPOP em que não tinha nada nas capas internas e mesmo assim a editora coloria sem nenhum motivo aparente.


OUTROS TÓPICOS


A edição brasileira de Ten Count é boa como costumam ser a maioria dos mangás da editora. Achei a sobrecapa boa, com um bom material e a encadernação também é excelente. O papel também é bom, sem transparência, embora eu preferisse um de cor mais creme. No todo, acho mesmo a edição bem de boa.

Quando ao texto, eu achei ele bem adaptado (como costumam ser os mangás da editora) e só encontrei um problema de revisão (uma concordância verbal). No todo, o saldo foi positivo.


E UMA CONCLUSÃO


Algumas pessoas me falaram que Ten Count era um mangá bem problemático e que acontecia isso, aquilo e aquilo outro. A leitura do primeiro volume, porém, me mostrou uma obra totalmente diferente, com uma história simpática e interessante sobre um homem com uma fobia e um outrom que busca o tratar, tudo isso desenvolvendo-se lenta e calmamente. Genuinamente gostei da obra.

Entretanto, pessoas que confio bastante me disseram que a curva para o mal vem depois, a partir do terceiro volume. Então, assim, eu gostei desse primeiro número, mas não irei indicar a vocês. Como eu já sei de antemão que a obra vai para caminhos tortuosos, melhor não indicar. Mas se você quer tentar a sorte mesmo assim vai lá e compre o primeiro volume, pois você vai gostar dele. Continuar é por sua conta e risco.


Ficha Técnica


Título Original: テンカウント
Título: Ten Count
Autor
: Rihito Takarai
Tradutor: Erika Tanaka
Editora: NewPOP
Número de volumes no Japão: 6 (completo)
Número de volumes no Brasil: 1 (ainda em publicação)
Dimensões: 12,8 x 18 cm
Miolo: Papel offset 90g
Acabamento: Capa cartão com sobrecapa
Páginas: 178
Classificação indicativa: 18 anos
Preço: R$ 32,90
Onde comprar: Amazon

Sinopse: “Quando estou com o Kurose, acabo me iludindo um pouco achando que virei uma pessoa normal.” Shirotani, secretário do presidente da empresa Tosawa, possui Misofobia, e aceita receber um tratamento especializado do terapeuta Kurose, que encontrou por um acaso. Conforme o tratamento avança, ele se sente cada vez mais atraído por Kurose. Porém…? Um terapeuta hostil e um secretário com Misofobia. Uma sensível terapia amorosa.


NOS SIGA EM NOSSAS REDES SOCIAIS



Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: