O odioso formato de Super onze

Este mês, a editora JBC concluiu o mangá Super Onze no Brasil e as críticas ao formato adotado continuam…

Super_Onze_34Quando em 2013, a editora JBC anunciou Super Onze, em um formato diferente, muitas pessoas já prenunciavam a volta do malvisto formato meio-tanko para as bancas brasileiras. Era um retrocesso, um atraso na vida do mercado de mangás nacional e muitos afirmaram que a editora passaria a colocar um milhão de meio-tankos nas bancas novamente.

O formato adotado, contudo, não foi o meio-tanko. Foi um formato ainda mais odiado pelos consumidores habituais de mangás. A editora pegaria Super onze e dividiria os dez volumes originais não em vinte, mas em trinta e quatro edições. Era o fim dos tempos para o mundo otaku.

 Onde a editora estava com a cabeça em fazer uma coisa dessas? Com certeza eles queriam apenas lucrar com a venda desse modo. Nunca que eu compraria um mangá em formato gibi. Vai sair muito mais caro comprar 34 edições a R$ 4,90 do que 10 edições a R$11,90.

Algumas dessas pessoas eram fãs de Super Onze que queriam ter o mangá em um formato melhor, enquanto outros apenas reclamavam por reclamar. Há reclamações e reclamações e há lados e lados. O lado dos fãs é compreensível, afinal todo mundo quer ter os títulos de que gosta no melhor formato possível, com o melhor papel, etc. Porém, o lado da editora também o é.

A JBC deixou claro desde o início que o público alvo de Super Onze não seria o consumidor habitual de mangás. A editora queria fisgar um novo público, a editora queria fazer os leitores de Turma da mônica e Tio Patinhas se interessarem também pelos quadrinhos japoneses, lidos de “trás para a frente”. E o que melhor do que um mangá de futebol em uma época próxima à Copa do mundo do Brasil?

Super Onze foi direcionado para crianças, não para consumidores de mangás. Não é por acaso que o título não ficava perto dos mangás nas bancas e sim na área destinada aos quadrinhos infantis. Não é por acaso que saiu em formato gibi e com um preço menor. É certo que 34 volumes do gibi sairá mais caro do que o valor de 10 tankos, porém é muito mais fácil para o pai de uma criança gastar R$ 4,90 na banca a cada 15 dias do que pagar R$ 11,90 de uma só vez.

Se a iniciativa da JBC deu certo ou não, não importa muito. Erros e acertos fazem parte de qualquer negócio e é preciso se arriscar de vez em quando para conseguir vender mais. Como eu disse é bastante compreensível a insatisfação por parte dos fãs com o formato adotado, porém é necessário compreender e aceitar que o título não foi pensado para eles e sim para um outro público muito diferente…

Quem sabe no futuro não venha uma edição mais caprichada e pensada para os fãs?

4 Comments

  • makoto

    Só que nem os ditos leitores de Turma da Mônica e Tio Patinhas quiseram o mangá e aí?

  • Foi uma cartada mercadológica. E elas podem dar tanto certo,quanto errado. gostei da ousadia, embora não curta também o formato. Mas como a editora tem os direitos de publicação dom título, nada impede que ela lance e formato tanko. Basta a galera que realmente deseja se mobilizar e pedir.

  • Até que foi uma boa tentativa… No fundo, como eu sou apaixonada pela franquia, eu queria muito mesmo o formato original, que tem contra capas muito bonitinhas, por sinal (Volume 5 em particular) Me dói tanto ver que um anime/mangá/game sobre futebol é tão desprezado num país onde se venera futebol…

  • Gabriel

    Foi mal, mas eu gostei, eu sei que a maioria prefere os tanko, vulgo normal, e eu tbm gosto, mas gostei desse, não achei ruim não, mas pode o fato de q após a finalização do mangá, eles começaram a ser colocados a venda naquelas máquinas de livros do metrô e eu gostei, torna minha viagem menos tediosa, e é barato kkkkk talvez essa situação tenha feito com que eu gostasse mais, e desculpa, eu gostaria de mais mangás nesse formato, para que quando eu terminasse (se terminar) essa coleção, ter mais algo pra ler. (PS: eu não fiquei sabendo do lançamento dos mangás nem cheguei a saber que tinha, por isso to meio que “colecionando” agr).

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: