BBM Lista: Mangás que inexplicavelmente ainda não foram lançados no Brasil

Listinha hoje? Sim, hoje é dia de lista^^.

Sabe aquele mangá famoso e de sucesso que tinha tudo para dar certo no Brasil? Por que será que ainda não foi lançado no país? Não estou falando das “modinhas” recentes que não apareceram por aqui ainda e sim de alguns títulos mais ou menos famosos que possuem excelentes histórias e por algum motivo, mesmo passados vários anos, ainda não deram as caras em solo brasileiro.

Pensando nessa questão, resolvemos elencar CINCO títulos, de nossa preferência, que inexplicavelmente ainda não deram as caras no Brasil. Não iremos falar de mangás do tipo Jojo, Gintama ou Hajime no ippo, pois o motivo deles não terem vindo é conhecido. Falaremos de alguns mangás que realmente não dá para entender o motivo de uma editora ainda não ter anunciado….

Com o Anime Friends, esperamos poder atualizar esta lista e comemorar a publicação de pelo menos um dos títulos a seguir. Dito isso, vamos à lista. Mas atenção: pode conter um ou outro spoiler. Continue por conta e risco.

***

zatch bell5. Zatch Bell, de Makoto Raiku

Por que esse mangá ainda não veio para o Brasil? Difícil achar uma explicação. Embora seja um mangá razoavelmente extenso, o título teria boa aceitação no país, visto que durante muito tempo seu respectivo anime foi exibido nas manhãs da tv Globinho. Fãs e mais fãs foram formados e com uma boa aposta de marketing, o mangá poderia vender inclusive para quem não costuma comprar os quadrinhos orientais.

Embora seja recente (se comparado a outros mangás) o fator nostalgia está impregnado na obra e uma propaganda ali e outra ali realmente conquistaria muitos leitores.

A obra de Makoto Raiku foi publicada de 2001 a 2007 na revista Shonen Sunday (Shogakukan) e rendeu 33 volumes encadernados. Será que, de algum modo, pesa para o seu não lançamento aqui o cancelamento dessa obra nos Estados Unidos? Mas será que títulos como Tutor Hitman Reborn vendem mais do que Zatch bell poderia alcançar? São questões que não sabemos responder.

***

bokurano4. Bokurano, de Mohiro Kitoh

Bokurano pode não ser muito conhecido, mas tem uma história espetacular e ainda teve seu anime exibido em terras brasileiras, totalmente dublado, e bem dublado. A história básica é a seguinte: um grupo de adolescentes acabam encarregados de salvar a terra da destruição utilizando um robô gigante. Muito clichê? Já viu essa história em muitos lugares?

Pois é, mas a virada ocorre muito rápido: para salvar o mundo, as crianças deverão lutar e… morrer. A cada luta uma criança é escolhida para a batalha e se ela perder, todo o planeta será destruído. Se ela vencer, a única pessoa que morre é a própria criança. Muitos questionamentos são colocados na obra e elevam o título a um patamar de obra perfeita…

No Japão, Bokurano foi publicado de 2003 a 2009 na revista Ikki, da Shogakukan, e teve 11 volumes encadernados. Devido à qualidade da obra, o baixo número de volumes, e ao fato de ter um anime exibido no Brasil consideramos um pouco inexplicável que esse título ainda não tenha sido lançado no país. Talvez o problema seja licenciamento, mas não parece ser o caso também, pois Bokurano foi lançado em vários países do mundo, inclusive em mercados menores do que o nosso… Resta esperar e ver se alguma editora acorda e lance o título em um ou dois anos…

***

nodame 013. Nodame Cantabile, de Tomoko Ninomiya

História divertida e cativante para todos os públicos. Comédia, romance e música clássica se mesclam nesse maravilhoso mangá. A história de amor de Negumi Noda (Nodame) e Shinichi Chiaki é uma das mais cativantes dos mangás e dos animes e mereceria uma publicação no Brasil. Para se ter uma ideia do valor dessa obra, Nodame Cantabile chegou a ser eleito como o melhor mangá shoujo pela Kodansha, em 2004.

Não bastasse isso, seu anime fez bastante sucesso e sua primeira temporada chegou a ser exibida no Brasil. Em vista disso, não há explicação possível para o título ainda não ter aparecido no país.

Nodame Cantabile foi serializado no Japão na revista Kiss, de 2001 a 2009, e teve ao todo, 24 volumes encadernados. Convenhamos: para um mangá de sucesso não é muito e não seria uma aposta arriscada….

***

maison ikkoku2. Maison Ikkoku, de Rumiko Takahashi

De todos os títulos desta lista, este pode ser considerado mais difícil entender o seu não lançamento no Brasil. Porém, ao mesmo tempo, é possível que muita gente sequer o conheça hoje em dia.

Maison Ikkoku é uma das obras mais lembradas de Rumiko Takahashi. Na época do sucesso de Cavaleiros do Zodíaco na rede Manchete ficamos conhecendo, por meio da revista Herói, várias obras da autora e Maison Ikkoku, ao lado de Ranma 1/2, era uma das mais desejadas.

Ranma veio, foi lançado e cancelado. Veio Inu Yasha e foi publicado até o fim. E, por fim, Ranma retornou por outra editora e foi publicado totalmente. E Maison Ikkoku nunca deu as caras.

A obra foi publicada nas páginas da revista Big Comic Spirit, entre 1980 e 1987, e rendeu apenas 15 volumes encadernados. Hoje essa obra parece não ter qualquer apelo comercial, e duvidamos que alguma editora o traga, mas de qualquer forma é difícil entender o porquê de Ranma ter saído, enquanto Maison Ikkoku não….

***

haruhi1. Haruhi Suzumiya, de Nagaru Tanigawa

O ano era 2006. O Japão e o mundo foram sacudidos com um anime sensacional que chamou atenção tanto pela sua história, quanto pelas decisões do estúdio. A melancolia de Haruhi Suzumiya conquistou fãs e desafetos em um período bem curto. A obra foi lançada de uma forma totalmente alterada sem seguir uma ordem cronológica. O resultado de tal empreitada foi positivo, pois como é uma obra que envolve viagens no tempo, a alteração da ordem cronológica causou um impacto bem interessante na história.

Anos depois, novos episódios foram produzidos. E novamente a decisão do estúdio gerou polêmica. Eles exibiram os episódios antigos de forma cronológica intercalados com os novos. Porém, a decisão mais estranha do estúdio ocorre quando, para representar um loop temporal, ele utiliza nada mais, nada menos que oito episódios. Vamos entender isso: eles animaram O MESMO episódio 8 vezes. Se foi falta de verba ou decisão épica nunca saberemos…

Haruhi originalmente é uma série de Light novels de grande sucesso no Japão. Seu sucesso foi tanto que gerou o anime e vários mangás e spin-offs. Se hoje existe um boom de animes derivados de light novels pode se dizer que é graças a Haruhi Suzumiya.

Não bastasse isso, Haruhi já foi publicado em vários países no mundo, inclusive aqui pertinho, na Argentina… Mesmo com todo esse histórico, o título jamais deu as caras no Brasil. Será que é pedir muito esse título no país?

***

Existe algum título “antigo” que você colocaria na lista de falar? Escreva nos comentários. Só não vale citar Super Campões, Shurato ou Fly, o pequeno guerreiro^^.

Biblioteca Brasileira de Mangás

11 Comments

  • Samara Barreira

    Desses, somente faria questão de Haruhi Suzumiya. Ainda iria pensar em Maison Ikkoku.

  • julia

    Eu colocaria Pandora Hearts aí, tem um bom fandom, já está finalizado e foi licenciado em varios países, o povo já cansou de pedir e nada, já teve até campanha ono eu citaria também Lovely Complex. Já o Haruhi acho que é por vir de light novel, pois ao pagar o licenciamento tem que cobrir os direitos do autor da light novel e do desenhista, se parar pra analisar temos poucos mangás vindo de novels que tenham saido no Brasil.

  • Ianne

    Lovely Complex. O anime foi lançado há quase uma década e o mangá finalizado há vários anos também com um numero modesto de volumes (17 volumes). Já é considerado por muitos um clássico da demografia shoujo e é muito querido por quem teve contato com ele.
    Mesmo antes de haver uma campanha de shoujos com ele incluído já era o shoujo mais pedido(Vez ou outra aparecia alguém pedindo ele diferentes de outros títulos pedidos no boom do anime e depois esquecidos) além de ser de longe o mais pedido na campanha. É do tipo que pode facilmente conquistar pessoas que não tenha muito apego com a demografia, e até de fora do nicho(Sim, é algo que sugeriria para uma pessoa que nunca teve contato com mangás/animes).

  • Isaura Luiza Paramysio

    Por que não citar Shurato, Fly e Super campeões?

    • Porque um monte de gente cita eles quando se pensa em “mangás antigos” ainda não lançados no Brasil…

  • Guilherme

    Olha, kyon, eu acho que quando haruhi suzumiya vir(porque eu acredito que virá cedo ou tarde)será pela newpop, haruhi é a cara deles, já publicaram madoka, então pra haruhi e só uma questão de tempo!!

  • Skip Beat! e Natsume Yuujinchou mais devem alegar que tem um numero grande de volumes porem se publicassem eu compraria.

  • Haruhi Suzumiya, Nodame Contabile e Gash Bell fariam sucesso se fossem lançados ainda hoje. Os outros 2 citados já tiveram seu tempo, agora já era.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: