BBM Lista: Os 5 autores de mangás mais publicados no Brasil

novo

Com o sucesso do mangá Another (que chegou a ganhar reimpressão), a editora JBC apostou nesse sucesso e foi buscar três outros mangás do mesmo desenhista: Um excepcionalmente muito bom (Só você pode ouvir), um bom (Feridas) e um ruim (Tsumitsuki). Brincadeiras sobre a JBC só trazer mangás do autor do Another ainda hoje pipocam nas redes sociais, mas a verdade é que o Hiro Kiyohara está longe de ser um dos mangakás com mais títulos publicados no Brasil.

Kazuo koike
Kazuo Koike

Pensando nisso, resolvemos fazer uma pesquisa básica e ver quais seriam os mangakás com mais títulos publicados em território nacional. A missão não foi fácil e exigiu escolhas: conta ou não conta relançamentos? E títulos cancelados? Se contássemos relançamentos Kazuo Koike entraria fácil, pois Lobo solitário foi relançado incontáveis vezes (ainda que quase todos eles tenham sido cancelados), e Criying Freeman também saiu mais de uma vez, além de outros títulos do autor que também foram publicados por aqui.

Entretanto, decidimos não contar relançamentos e nos focar apenas em títulos únicos. Decidimos também não contar databooks, apenas mangás e light novels. Outra escolha importante foi sobre o conceito de autor. O que é um autor? Um nome na capa? Quem escreve? Um grupo de pessoas? Quem desenha? Apesar de no senso comum parecer óbvio, a definição de autor ainda hoje é discutida na filosofia e na área de letras. Porém, resolvermos não entrar nesse mérito e contabilizar quem desenha, quem escreve, etc. Com essa metodologia, conseguimos chegar nos cinco autores com mais títulos no Brasil. De todos os listados aqui, creio que só há uma surpresa, o resto todo mundo poderia adivinhar facilmente. Vamos à lista.

***

5. Takeshi Obata

O famoso desenhista é um dos mangakás que tem mais títulos publicados no Brasil, contabilizando sete obras ao todo, sendo cinco mangás e duas light novels. Os grandes sucessos Death note e Bakuman, o recente All you need is kill e os mais antigos Hikaru no Go Blue Dragon – Ral Ω Grad formam o catálogo de Obata no país. Além deles, também contam com sua participação as duas light novels de Death Note , L change world e Another note, o caso dos assassinos de Los Angeles. Todos os títulos foram publicados pela editora JBC.

4. Akira Toriyama

akira toriyamaSem dúvida, Akira Toriyama não poderia faltar na lista. Devido ao sucesso de Dragon Ball, a Conrad foi atrás de um monte de coisas relacionadas ao mangaká e trouxe outros seis títulos do autor, a enciclopédia de Dragon Ball Z, além de um volume especial chamado Mangaká: Lições de Akira Toriyama. Fora os títulos citados, foram lançados no Brasil: Dr. Slump, Sandland, Marusaku, Nekomajin, Kajika e Cowa.

3. Osamu Tezuka

20101108193922!Osamu_TezukaO “deus” do mangá também é um dos reis em frequência no Brasil, além de ser o único a ter obras publicadas por três editoras brasileiras (JBC, Conrad e Newpop). Até o momento, nove títulos de Tezuka foram publicados no Brasil: Adolf, A princesa e o cavaleiro, BuddhaCrime e CastigoDon Drácula, Dororo, Kimba, Metrópolis Os filhos de Safiri. A Newpop já disse que em breve haverá mais obras de Tezuka e ele poderá alcançar novas posições…

2. Kasuke Maruo

Esse provavelmente você não ouviu falar e talvez ele nem devesse estar na lista, pois seu nome não se encontra na capa de nenhum mangá. Porém Kasuke Maruo é responsável pela coordenação de uma série de mangás publicados no Brasil, a coleção Mangá de Dohuka, hoje nas mãos da L&PM. Os títulos são adaptações de obras literárias para o estilo mangá e não apresentam nome de artistas, apenas o nome autor da obra original. Embora sejam obras colaborativas de diversos desenhistas, a coordenação é de Kasuke Maruo, então resolvemos listá-lo aqui. Até o momento, há doze obras publicadas (2 pela JBC e 10 pela L&PM).

1. Clamp

ClampAlguém duvidava? Sem contar relançamentos, o Clamp tem 18 obras publicadas no Brasil, sendo dezesseis mangás e duas light novels. Não há dúvidas que o sucesso de Sakura Card Captors e Guerreiras Mágicas de Rayearth foram o estopim para que o grupo se tornasse conhecido e reconhecido no Brasil, mas é a qualidade das histórias que ainda faz obras do grupo serem lançadas e relançadas no país. Há quem não goste do Clamp, mas o sucesso é inquestionável e como um clamp-fanático eu não poderia deixar de achar que lançaram muito pouca coisa aqui, precisamos de mais^^

***

Essa é a lista dos cinco autores que mais tiveram mangás publicados no Brasil. Confesso que senti falta de um Masami Kurumada da vida, mas a verdade é que poucos títulos dele foram publicados aqui, tendo em vista que mangás como Lost Canvas e Episódio G não são de autoria de Kurumada, apesar de pertencer ao universo criado por ele.

Mas e para você, leitor? A lista está de acordo com o que você esperava? Não concorda com a metodologia empregada? Os comentários estão abertos ao público…

Biblioteca Brasileira de Mangás

30 Comments

  • Gabriel

    Realmente, infelizmente aqui no Brasil só temos 3 obras do Kurumada (Saint Seiya, Seiya Seiya Next Dimension e B’TX), eu ainda espero que a JBC traga ao menos Otoko Zaka que está em publicação na Itália.

  • “Porém, resolvermos não entrar nesse mérito e contabilizar quem desenha, quem escreve, etc”

    Bem, baseado no critério de vocês o Kurumada deveria estar na lista, por que ele tem 8 publicações no Brasil (7 mangás e um light novel).

    Cavaleiros.do Zodíaco
    B’tX
    Next Dimension
    Lost Canvas
    Lost Canvas Gaiden
    Episódio G
    Saintia Shô
    Gigantomaquia (light novel)

    • Faz sentido, o texto dá margem a esse tipo de interpretação. Vou até editar depois^^. Valeu pelo toque.

      Mas assim Lost canvas, episódio G e etc nao foi nem escrito nem desenhado pelo Kurumada. Só tem o nome dele por ele ser o criador da franquia. O máximo que ele faz é supervisionar. Por mais que não tenhamos entrado no mérito do que é ser um autor, alguém que não participou ativamente da obra, não poderia ter computado elas como de sua autoria.

      É o mesmo caso do CLAMP, por exemplo. Listamos 18 obras, mas se fossemos seguir isso de nome seria 19, pois teve um pela Panini em que o CLAMP tem nome nos créditos, mas o grupo só participou da produção do anime. Tezuka idem com a releitura de Astroboy d Akira Himekawa…

      • O Kurumada é sempre creditado como co-autor. Em várias entrevistas a Chimaki Kuori (Saintia), a Shiori (Lost Canvas) e o Okada (Episódio G) falaram que além de supervisionar, o Kurumada também dá dicas e cria personagens, como foi no caso das Saintias, que foi uma categoria criada pelo próprio Kurumada. Enfim, o critério é vocês quem decide.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: