O que a Panini pode ensinar às outras editoras brasileiras?

Muitas consumidores, por algum motivo desconhecido, gostam de comparar editoras de mangás, mostrando pretensas qualidades de sua favorita e apontando defeitos (e supostos defeitos) das concorrentes. Geralmente as discussões são improdutivas, pois muitas vezes há uma tentativa de desqualificar outras editoras por motivos, até certo ponto, infantis.

planet-manga-preto

Não achamos correto ficar comparando as empresas, pois cada uma tem suas especificidades. Como comparar uma multinacional com (possivelmente) centenas de funcionários com uma empresa nacional de 30 membros? E como comparar esta última com uma que só tem 4 empregados fixos? É preciso ser muito cuidadoso para não ficar criticando as editoras à toa, comparando infrutiferamente com as demais.

Entretanto não se pode ignorar que as editoras têm sim suas diferenças. Cada uma tem características próprias, tendo tanto erros quanto acertos bem distintos. Mas o que eu acho interessante é que muitos desses acertos poderiam muito bem ser seguidos pelas concorrentes, com vistas a melhorar seus produtos e sua imagem para com os consumidores. Em vista disso, resolvemos, então, realizar uma série de postagens listando alguns itens que as editoras nacionais poderiam aprender umas com as outras.

Vale dizer que esta abordagem é muito imediatista, ou seja, está embasada especificamente no momento atual, podendo haver uma mudança drástica de cenário em muito pouco tempo. Em resumo, isso vale para o agora, pois daqui a um mês ou dois as concorrentes podem começar a se mover e a colocar em prática as atitudes das concorrentes…

Panini_planet manga

Começaremos mostrando o que as outras editoras nacionais poderiam aprender com a Panini. Note-se que só iremos colocar características positivas da editora que nós acreditamos que se fossem seguidas pelas outras empresas melhorariam a qualidade das mesmas. Ou seja, mesmo conhecendo os pontos falhos dela (que são inúmeros), não os levaremos em consideração; o que importa aqui são as qualidades que a Panini têm e que faltam às suas concorrentes. Agora que já estabelecemos as bases dessa série de postagem, vamos à primeira delas:

***

5. Loja online

Falta para as editoras de mangás uma loja online própria para vender seus produtos. Querendo ou não, a editora ter uma loja própria é imprescindível para estreitar as relações com o leitor. Muitos títulos não se encontram na maioria das lojas sejam físicas, sejam onlines, mesmo que tais títulos não estejam esgotados. Com uma loja própria, as editoras poderiam vender diretamente a seus leitores essas obras e evitariam pedidos desnecessários de reimpressão de mangás ainda em estoque, além de diminuir os velhos problemas que ocorrem com distribuição e fretes exorbitantes que diversas lojas online cobram…

Entre as maiores editoras, a Panini é a única a possuir uma loja própria. Tem seus problemas é verdade, mas pelo menos possui uma. Duas das concorrentes da Panini há tempos prometem, mas até o momento isso não se concretizou. Em relação a uma delas, ao que parece, a loja já deveria estar pronta, mas a empresa que estava desenvolvendo faliu e, com isso, todo o planejamento acabou não se concretizando. Já a outra disse que a loja está em fase de testes e, em breve, será liberada. Aos consumidores, resta esperar…

4. Sistema de assinatura mais rápido e intuitivo

assine paniniSomente Panini e uma das demais editoras fazem assinatura de seus mangás. Porém, o sistema da concorrente é bastante lento, necessitando esperar o contato da editora para poder realizar o pagamento, independente de a assinatura ser por cartão ou por boleto bancário. No sistema da Panini, a assinatura é automática.

A concorrente precisa implementar essa melhoria para seu sistema de vendas ser melhor. Com tantos anos fazendo assinatura me parece muito estranho que o sistema da concorrente seja tão rudimentar. Será que não haveria um jeito de melhorá-lo?

Quanto às editoras menores já está na hora delas criarem um sistema de assinaturas também. Sabemos que uma delas já disse não possuir estrutura para um sistema de assinaturas, mas será que custa muito colocar um ou outro funcionário novo para implementar esse sistema? Assim como no caso das lojas online próprias, assinaturas são importantes para os leitores, pois como dito antes muitos mangás não chegam às bancas e a maioria das lojas online cobram fretes exorbitantes. Parte importante da melhoria do mercado de mangás no Brasil passa justamente por uma loja online e um sistema de assinatura rápido e eficiente.

3. Cumprir o checklist 

checklistQuando uma editora divulga seus lançamentos para um mês, essa divulgação ganha status de uma promessa aos seus leitores e, não raras vezes, as editoras deixam de cumpri-la. Há quem não se importe, porém mesmo assim seria bom que as empresas evitassem esses atrasos. Talvez as pessoas não reparem, mas a Panini é a editora que mais segue à risca o checklist. No último ano, somente em oportunidades isoladas a Panini não conseguiu lançar todos os títulos prometidos.

Essa organização devia ser uma constante nas demais editoras, independente do tamanho delas e do números de funcionários. Sabemos que podem ocorrer problemas com gráfica ou com atraso na aprovação de materiais por parte do Japão, mas será que não daria para as editoras se organizarem para minimizar esses contratempos?

2. Manter a periodicidade

O pior desses atrasos é a não manutenção da periodicidade acordada. Quantas vezes a gente já não viu um mangá ser anunciado como bimestral, mas a diferença entre um e outro ser de três meses ou mais? Mesmo na maior concorrente da Panini aconteceu recentemente um caso de um mangá de dois volumes ser anunciado como mensal, mas o segundo volume só sair dois meses após o primeiro.

Sabemos das dificuldades das empresas, sabemos dos problemas, mas acho que daria para dar uma melhorada nesse aspecto. Se a Panini consegue manter a periodicidade direitinho de seus títulos porque as concorrentes não conseguem? Não seria o caso de contratar mais funcionários para adiantar diversos passos da confecção dos mangás?

1. Onegai desu

onegai desuUm local específico para pedidos de mangás nas redes sociais foi uma das melhores ideias implementadas pela Panini. Antes de ela criar esse canal era realmente muito ruim ver as pessoas pedindo mangás e mais mangás em meio a postagens interessantes que a editora fazia no facebook. Desde que a editora criou o Onegai-desu (nome do local específico para pedidos de mangás) as discussões nas postagens ficaram mais focadas nos conteúdos das postagens ou à apresentação de outras reclamações bem mais relevantes do que pedidos de títulos.

As demais editoras deveriam seguir o exemplo e criar um canal exclusivo para isso. Embora nenhuma delas tenha tantos pedidos quanto tinha a Panini, ainda assim há um incomodo no excesso de pedidos que ocorrem de vez em quando.

O Onegai-Desu se tornou um lugar importante para os pedidos dos leitores, visto que a editora italiana já atendeu a alguns dos mangás mais pedidos nesse canal, como Tokyo Ghoul e Akame ga kill… E então, concorrentes, por que não implementam isso também?

***

Essa foi a postagem de hoje. É preciso ficar claro que essas ideias são ditas por alguém que está “do lado de fora” das empresas, um leitor, consumidor, fã e colecionador como você. Seriam medidas que se eu estivesse dentro das editoras e tivesse poder de decisão e a empresa tivesse verba suficiente, implementaria o mais rápido que pudesse, a fim de melhorar a empresa perante o público. Talvez não seja possível para as empresas realizar essas melhorias a curto prazo, mas as medidas apresentadas aqui realmente seriam muito úteis a elas e a nós.

***

A segunda matéria dessa série de postagens sai daqui a duas semanas, novamente em uma segunda-feira, e tratará da editora Newpop. Mas o que você acrescentaria a essa lista? O que retiraria dela? Acha que fomos perfeitos ou criticamos demais? Diga-nos nos comentários^^.

Biblioteca Brasileira de Mangás

19 Comments

  • Olha, concordo e não concordo com o seu post (e provavelmente esse comentário vai ser longo).

    Vamos começar pelo que você disse acertadamente: não dá para comparar uma multinacional com uma empresa nacional. Ah, mas a JBC conseguiu nos últimos anos fazer frente, sim conseguiu, porém é inegável que a Jump vai sempre optar por colocar um super título nas mãos de uma editora que pode render outros contratos. Ah, mas a Panini Brasil é diferente da Itália, desculpa, mas tem que ser muito infantil pra pensar assim. Óbvio que eles não negociam juntos, mas é só ver os catálogos, uns 80% do que saiu na Itália pela Panini, saiu no Brasil pela Panini, é a facilidade de já negociar algo que é da empresa em outro lugar. Isso a JBC não tem, por ser apenas brasileira.

    Sobre os pontos que você colocou, dois eu acho que não são validos.

    A loja online não é boa, e ter apenas por ter não é um grande exemplo. Nunca consegui comprar nada lá, primeiro por só aceitarem cartão de crédito e o meu ser usado em outras coisas, e segundo por terem um limite de peso. Fui comprar 10 mangás e não podia porque excedeu o limite, ai não adianta de nada.

    As assinaturas são um fiasco. É vergonhoso o sistema de assinaturas da Panini. Ah, mas é mais rápido para confirmar, sim, essa é a única vantagem. Os mangás nunca chegam, o cliente tem que todo mês ligar para reclamar, quem não teve problemas com o Pacote Kuroko? O meu levou 6 meses e com direito a processo no Procon. A JBC demora na resposta do pagamento? sim, mas todas as séries estão disponíveis para assinatura, e eu nunca precisei ligar para ele porque meu mangá não chegou.

    Sobre os outros, concordo com tudo que foi dito. Talvez eu só abra uma ressalva no Onegai-Desu. É muito fácil para a Panini trazer os mais pedidos, isso vem novamente aquela nossa questão da “multinacional x nacional”. A JBC comentou que queria Tokyo e T4M, porém teve que escolher apenas um dos dois. A Panini tem mais “cash” para trazer quase tudo o que os leitores pedem, ai é fácil abrir uma área de pedidos. Se a JBC abrir uma e não trouxer o “mais votado”, o pessoal não vai estar nem ai se foi por falta de dinheiro ou porque a editora japonesa não quis.

    E para finalmente encerrar esse longo post. Eu não gosto de ser “puxa-saco” de editora nem nada, e como disse, concordo com muitas das coisas que você disse, mas na minha opinião pessoal, acho que a Panini está devendo e muito para o seu tamanho. Berserk e Planetes já provaram que a Panini pode fazer mais do que tem feito, parece um pouco falta de vontade deles.

    Adorei seu post, parabéns.

    https://itadakimasuanimes.wordpress.com

    • Samara Barreira

      Concordo com você. Eu também nunca consegui comprar um mangá sequer na loja online da Panini porque não aceitaram o meu cartão de crédito. Motivo? Nem eu sei. Só sei que a transação foi recusada, simples assim. Em relação a assinatura da Panini, é só você dar uma olhadinha nos comentários da fanpage da Panini e nos grupos para perceber o quanto as pessoas estão insatisfeitas com ela e os problemas apontados por eles. Um exemplo? Um amigo meu assinou Dragon Ball e todo mês ele tinha que ligar atrás do mangá por causa dos constantes atrasos. E ainda assim, ele ficou sem dois volumes. A Panini não dá prioridade aos seus assinantes, mas para os mangás que vão para banca, porque se a pessoa ficou sem receber algum volumes, é porque isso é bem óbvio. No mais, concordo que é ridículo mesmo comparar uma editora multinacional e cheia da grana com uma editora brasileira, só que isso não justifica o fato de a Panini insistir em imprimir os seus mangás em um papel higiênico. Deveriam imprimir os mangás em um papel mais decente, como aconteceu com Hideout, Berserk e Planetes. Afinal, grana para isso, ela tem. Só não faz porque não quer e fica querendo empurrar material de baixíssima qualidade para os seus consumidores.

    • Samara Barreira

      Ah, mais uma coisa… Kyon, até pouco tempo atrás a Panini atrasava (e muito!) para colocar o checklist do mês no ar. Agora é que aprenderam a colocar no dia certo, mesmo assim ainda está errado, porque o checklist tinha de sair dia 1º de cada mês e não no 10º dia. A loja online da Panini não é boa, primeiro por só aceitar cartão de crédito. Eles deveriam trabalhar com boleto (algo que eu mais uso) ou depósito bancário (uma saída alternativa). E nem sei porque não aceitaram o meu cartão, que é internacional ainda por cima!

    • Samara Barreira

      PS: Onde já se viu uma mulnacional como a Panini não oferecer assinatura de todos os títulos que ela publica? Só há assinatura para alguns mangás, mas a grande maioria, não. Por que será que isso acontece? E tem mais… A tiragem da Panini é extremamente inferior às demais editoras e mesmo assim ela ainda alega ter prejuízo com os títulos que, volta e meia são interrompidos e mandados para a geledeira, onde serão cancelados oficialmente depois de uns anos. Então, Kyon, os únicos pontos positivos da Panini seria a Periodicidade e o Onegai Desu (já que por ser uma multinacional, ela tem bastante cacife junto às grandes editoras japonesas e pode trazer qualquer mangá que ela quiser).

      • Lucas

        Samara, não assinatura de todos os títulos porque ela ainda cancela muitos títulos, logo, não querem arcar com essa responsabilidade.

        Só vou dizer uma verdade aqui: é justamente pela Panini ser multinacional e ter mais “cash” que é muito mais vergonhoso o fato dela produzir coias com qualidade infinitamente inferior a JBC. Pelo que é e pelos títulos que tem, a Panini deveria ser 1000x melhor,, mas é pior que a JBC. Sinto em informar, mas nesse caso a empresa nacional está dando um baile na multinacional.

  • Bom quanto as assinaturas realmente vejo muitas reclamações. Mas tenho que dizer que eu só compro Panini na loja online sempre 6 a 8 títulos por mês. Nunca cheguei no limite de peso realmente e realmente só pago com cartão. Mas funciona muito bem..compro, pago e recebo na semana seguinte sem atrasos.

  • Guilherme

    Olha, faz muito tempo que não compro nada da panini, pois me cansei da qualidade deles, pra uma empresa que tem centenas de funcionários, atuação no exterior, mais capital e mais reputação frente as editoras japonesas, ela DEVE E MUITO em relação a concorrentes menores com newpop e jbc(que tambem não são perfeitas, mas pra mim são melhores que a panini).Kyon, sinceramente as vezes eu acho que eles não levam a divisão de mangás deles a sério, como já faturam pra caramba com as hqs da marvel e dc e com os albums de figurinhas, parece que manga é só mais um negócio pra eles, vc não concorda?

    • Levar a sério eu acho que levam. O problema é justamente ser uma empresa uma multinacional. Eles não veem com clareza a dimensão do mercado nacional.

      Por exemplo: quando foi que a Panini começou a melhorar a qualidade? Depois que a JBC melhorou a deles e viu que o povo pedia isso. O povo quer mangás baratos sim, mas também quer títulos com acabamento e papel de qualidade.

      Eles eram líderes do mercado, a Newpop não fazia frente e a JBC tinha sérios problemas antes (muito mais do que agora) então não havia razão para qualquer melhoria. Quando a JBC se moveu, a Panini teve que seguir o mesmo rumo para não perder leitores…

      Além disso, deve haver muita, mas muita burocracia lá dentro e as mudanças devem ser difíceis. A Beth Kodama em suas entrevistas e em suas postagens no facebook deixa claro que ela só dá a ideia, quem decide são as instâncias superiores…Na JBC e na Newpop é diferente, com certeza há muito menos burocracia, o Cassius e o Júnior devem conseguir resolver as coisas de maneira bem mais independente….

      • Samara Barreira

        Rapaz… Uma editora pequena/média começar a bater de frente com a Panini, com a JBC, não é pouca coisa, não. Mesmo assim, a qualidade da JBC em sua linha de “mangás normais” não é lá grande coisa, convenhamos. A qualidade da JBC nos mangás só se faz superior em relançamentos e em edições especiais, somente. Já a NewPOP (mesmo que no começo não era lá essas coisas, mas já humilhava muita editora, como a JBC, que publicava mangás com papel pisa-brite de 60g) e a Alto Astral não são assim, felizmente, pois qualquer mangá que lancem, a qualidade é inquestionável.

      • Guilherme

        Realmente, a newpop é uma editora que a gente deve dar todo o apoio e atenção, mesmo sendo uma editora “pequena” e até recente no mercado, eles empregam uma qualidade bem acima das suas concorrentes maiores, e isso em TODOS OS MANGÁS, não só relançamentos e edições especiais, além de investir mais em light novels, coisa que a panini nunca fez, por exemplo.
        E kyon, nunca tinha pensado dessa forma, talvez uma empresa pequena tenha mais liberdade editorial mesmo, mais quanto ao que vc falou sobre não conhecerem o mercado nacional, ai já discordo um pouco, eles já estão aqui a um bom tempo e já deveriam ter uma ideia de como as coisas funcionam por aqui, não?

    • Quem cuida da parte de edição e possibilidade de títulos com certeza sabe de tudo. A Beth em suas palestras mostra ser bastante conhecedora. Mas será que quem decide realmente conhece? Essa é a questão…

      • Guilherme

        Seria essa então uma desvantagem de ser uma editora grande?

    • É o fato de a editora ser grande que a faz trazer os mangás da shonen jump de sucesso. É isso que fez a editora trazer Aoharaido e Lovely complex, Akame ga kill e Tokyo Ghoul. E o público quer isso. Ser uma grande editora nunca é problema…

      O problema são as inovações. Ou falta delas….Talvez inovar e fazer melhorias seja mais difícil para uma multinacional por causa de burocracias. No exemplo que eu usei antes, a Panini só começou a arriscar em obras de maior qualidade quando percebeu que o público queria, mas existe um problema: o público já queria antes!!! Em 2011, quando foram lançados Sora no otoshimono e Kobato o primeiro volume desses mangás vieram com uma sofrível transparência das folhas. O público reclamou e reclamou. Dizem às más línguas que foi isso que fez o Del Greco sair da JBC (mas isso não é comprovado pelo que eu sei). A JBC começou, aos poucos, melhorar a qualidade. A Panini, não… Não sei se eu fui claro….

      • Guilherme

        É, realmente a panini parece ser menos inovadora que suas concorrentes, por exemplo, nunca lançaram uma light novel, uma pena, eu pessoalmente acho que poderiam se dar bem nessa area…

    • Samara Barreira

      Eu já não acho uma boa a Panini lançar light novels por aqui. Afinal, se as light novels não venderem como certos mangás não venderam, elas podem ser igualmente canceladas. E ainda tem o problema das baixas tiragens. Se os mangás para bancas possui um tiragem baixa, algo direcionado às livrarias, como uma light novel, teria uma tiragem ainda mais reduzida. Traduzindo… Será quase impossível achar e não daria para quem quer. Sem contar que a Panini não é bem fã de reimpressão.

      • Guilherme

        Verdade, tinha me esquecido desde detalhe, do jeito que a panini é, com seu largo histórico de cancelamentos…

    • Lucas

      Perfeito, Guilherme. Eles “produzem” mangás única e exclusivamente para fazer parte do mercado, isso se chama “ter representatividade”, não importando se dá lucro ou não, o importante é não deixar a concorrência pegar 100% da fatia do mercado e impedi-los de crescer.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: