Review – Miyuki-chan no país das maravilhas

miyuki-chanComo dói falar mal do Clamp…

Em 2010, a editora JBC lançou um interessante título chamado Miyuki-chan no país das maravilhas, do grupo Clamp. A obra saiu em uma edição especial pelo seu extinto (?) selo Graphic Novel e impressiona pelo seu acabamento gráfico. Nunca ouviu falar deste mangá? Então descubra agora como ficou a edição e como é a história.

Miyuki-chan

A edição nacional

Um primor de qualidade. Em uma época em que a JBC não prezava por esse quesito e não existia na maior concorrente uma preocupação com títulos de melhor qualidade, a publicação de Miyuki-chan no país das maravilhas surpreendeu e agradou a muita gente. O título é curtinho, apenas 120 páginas no total, mas dessas são 24 páginas coloridas, sendo doze no início do mangá e doze no final. A capa foi feita em um material mais grosso e resistente e a publicação ainda possuía orelhas que tornavam o material bem diferente dos mangás que a JBC publicava na época.

Trata-se de uma edição fascinante para pegar sempre que possível, folhear as páginas e ver os desenhos. O acabamento de Miyuki-chan no país das maravilhas dá de dez a zero em quase todas as edições publicadas atualmente, seja da JBC, seja da Panini. Se você for fã do Clamp não pense duas vezes em comprá-lo…

A história

Que decepção! Que história ruim! Ou melhor, que histórias ruins. Se o acabamento físico é primoroso, a qualidade da narrativa deixa muito a desejar. Miyuki-chan no país das maravilhas, como o nome deve sugerir, é livremente inspirado na obra de Lewis Carrol, Alice no país das maravilhas, uma das mais conhecidas e aclamadas histórias infantis de todos os tempos.

Porém se o título faz menção a uma história de impacto mundial, a obra não cumpre as expectativas iniciais e acaba trazendo algo menor ao leitor. Miyuki-chan não é uma adaptação do livro de Lewis Carrol, é uma obra que apenas tem como horizonte inicial essa obra infantil, mas só esse horizonte! Miyuki-chan não tem nada de infantil e não tem nada da obra de Carrol.

miyuki

Composto por várias pequenas histórias (no país das maravilhas, no país dos espelhos, no país do trabalho temporário, etc), esse mangá apresenta a vida de Miyuki e suas loucas aventuras em diferentes mundos mágicos. Cada capítulo é repleto de aventura, ação, assédio sexual e “comédia” que beira o absurdo.

Miyuki-chan no país das maravilhas não é uma boa história. Falta a sutileza característica do grupo Clamp. Se, em outras obras, como Kobato e Chobits insinuações sexuais são bem mais veladas, em Miyuki-chan é tudo muito explicito e isso diminui demais o valor da obra para quem já está acostumado com um outro tipo de padrão.

Contudo isso não é o maior dos problemas do mangá. O esquema narrativo praticamente se repete em todas as histórias: Miyuki é sugada para um mundo estranho, nesse mundo acontecem várias coisas – geralmente algum ser mágico deseja possuir a protagonista – e Miyuki consegue escapar daquele mundo, ao menos parcialmente. Tudo muito previsível, simples demais e, no fim das contas, ruim.

miyuki 02

Em resumo, esse não é um mangá para agradar um Clamp-fanático. Somente guardo-o na coleção devido ao seu acabamento e por ser obra do Clamp, não fosse isso eu nem passaria perto do título. Há quem possa gostar? Sim, claro que há. Pessoas que gostam de comédias nonsense ao estilo do recente Ageha ou de comédias com insinuação sexual poderão gostar da história. Como nenhum dos dois casos é o meu, achei um título bem desnecessário…

***

Título: Miyuki-chan no país das maravilhas
Autor: Clamp
ISBN: 978-85-7787-283-1
Formato: 13,5 x 20,5 cm
Páginas: 120 páginas (sendo 24 coloridas)
Acabamento: papel offset + 24 páginas coloridas em papel couché
Valor: R$ 14,90
Volumes: 1

Biblioteca Brasileira de Mangá

1 Comment

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: