NR 279. JBC divulga mês de lançamento e outros detalhes de Akira [atualizado]

Enfim…

A editora JBC divulgou hoje, por meio de seu Henshin online, outros detalhes do mangá Akira, de Katsuhiro Otomo. O mangá sairá no formato 17,8 x 25,6 cm (maior que Ghost In The Shell), miolo em Papel Lux Cream e custará R$ 69,90. O primeiro volume sairá em junho e terá 362 páginas. Como era esperado, o título é de distribuição exclusiva de livrarias e lojas especializadas. Por meio de release, a editora também revelou que terá sobrecapa. A edição ainda terá 8 páginas coloridas no primeiro volume.

Sobrecapa completa. Clique para ampliar

A editora não divulgou uma periodicidade, pois a empresa não tem certeza quanto tempo demorará as aprovações dos demais volumes. A ideia é lançar dois volumes por ano. Ainda assim, a empresa deverá oferecer planos de assinatura em seu site.

Akira foi originalmente serializado entre 1982 e 1990 na revista Young Magazine, da Kodansha, sendo concluído em 6 volumes encadernados. A obra ganhou o mundo devido ao seu filme de animação de 1988, chegando inclusive ao Brasil.

O mangá foi publicado pela primeira vez em nosso país entre 1990 e 1998, em formato de revistinha, com leitura ocidental e totalmente colorido. Com o boom dos mangás no Brasil no início dos anos 2000, o relançamento era considerado algo iminente, mas acabou não acontecendo. A explicação oficial é que o autor não liberava mais a licença para a publicação no Brasil. Durante anos várias editoras tentaram adquirir os direitos da obra, sem sucesso. Até mesmo a Companhia das Letras, famosa editora de livros, tentou, mas não conseguiu.

O título foi finalmente anunciado pela editora JBC em abril de 2015, com previsão de lançamento para dezembro do mesmo ano. A obra acabou sendo adiada, pois a empresa não recebeu o material. Uma nova previsão foi feita, 2016, mas igualmente ela não se cumpriu, dessa vez também pelas extensas e demoradas aprovações. Agora, finalmente Akira será republicado no Brasil.


Sinopse: Em 2019, 38 anos depois da eclosão da 3ª Guerra Mundial iniciada com uma misteriosa explosão atômica, o mundo estava devastado. Nas ruas de uma Neo Tokyo pós-apocalíptica, jovens delinquentes dedicam suas vidas a espalhar o terror e o caos. Gangues se enfrentam pela cidade e, após sofrer um acidente inexplicável, Tetsuo Shima, começa a sentir reações esquisitas que parecem ter despertado poderes jamais imaginados. Isso acaba atraindo a atenção de agentes secretos do Governo envolvidos em um projeto com experiências sobre poderes sobrenaturais. Enquanto Kaneda tenta resgatar seu melhor amigo das garras do Governo, uma terrível e poderosa entidade pode estar prestes a despertar. A trama densa e profunda de Akira leva a discussões sobre poder, corrupção e reflexões sociais, tudo revestido com muita ação

***

Compre o mangá em pré-venda em: Amazon / Fnac

Curta nossa página no Facebook

 Nos siga no Twitter

BBM

Postagem publicada dia 05/05/2017

Atualizada dia 12/05/2017 para a inclusão da sobrecapa completa e da informação de que a obra terá 8 páginas coloridas no primeiro volume.

17 Comments

  • guilherme

    Kyon, como vc sabe que a cia das letras tentou publicar akira?

  • Fabio Rattis Lima

    se for mesmo 2 por ano, será bacana, nao vai pesar muito no bolso.

  • Bruno

    Aparentemente um formato superior ao de ghost in the Shell, e com uma diferença pequena no preço

  • João Vitor

    Uma periodicidade semestral? 😮
    Algum mangá já foi publicado no Brasil com uma periodicidade igual ou semelhante?

    Já é possível concluir que a JBC diminuiu o número de mangás lançados por mês para focar em um lançamento de volumes de luxo?

    • Roses

      Já houve séries de lançamento em periodicidades longas pela NewPOP e Conrad.

      Esse conclusão jamais pode ser feita por não termos provas ou dados concretos, fora a observação. Então já dá para criar uma hipótese bem fundamentada? Sim. Mas certeza e conclusão só se a editora se pronunciar.
      Tirando isso, também ACHO que a editora está mudando seu foco de mangás de baixa qualidade mensais de preços baixos com tiragens grande e distribuição ampla… para mangás de qualidade maior e diferenciado, para um público restrito e selecionado, distribuição limitado e tiragens bem menores.
      É como vivo comentando, por mais esquisito que pareça de primeira, uma forma de vencer uma crise econômica é diminuir sua atuação para o filão que não foi muito afetado. A classe média foi uma das que mais foram afetadas, passar a focar na classe alta mais estável, que preza um item caro e chique, é uma estratégia muito válida. Vender pouco pode ser tão lucrativo quanto vender muito, tudo depende do lucro x número de edições. 🙂

      • Urashima

        Se não me engano no final dos anos 90 a editora Abril fez algo parecido com as publicações da Marvel e DC. Só que ao invés de trazer novos titulos em novos formatos, como a JBC está fazendo, ela pegou os titulos de banca e passou tudo pra formato de luxo. Enfim, pra corroborar com o que você escreveu, o mercado de quadrinhos de luxo continua com a todo vapor, vide o sucesso que continua sendo GITS ou Sandman (R$ 145,00) que a Panini anunciou uma nova impressão. Vende-se menos mas com uma margem melhor e muito menos riscos.

      • João Vitor

        Obrigado pelas informações sobre periodicidades longas em lançamentos sobre outras editoras.

        Em relação a diminuição de lançamentos da JBC tornou-se preocupante, pois de um ano para o o outro a quantidade de mangás lançados caiu muito, somando isso em uma época de crise acaba resultando em uma preocupação.

        Vamos torcer para que dê certo essa estratégia, caso eles divulguem informações.

  • Ribeiro

    Gostei do preço, esperava que saísse por R$ 99,90. Ja estou vendo a reclamação do preço no Facebook da JBC, a licença não deve ser nada barato e com essa qualidade.

  • pimpao10

    Essa periodicidade S2

    Não sei porque se fala em “crise” na JBC, só pelo fato dela diminuir seu checklist. Sinceramente acho até normal, tendo em vista que ela é uma editora pequena comparada a Panini. Anormal foi 2014/15/16 que nenhuma das editoras deu folga pro meu bolso! Saudades 13º…

    • As mudanças são reflexos de uma diminuição de vendas ocasionada pela crise econômica. Daí que diminuir o ritmo de publicações é natural para enfrentar o problema e evitar uma “crise” de verdade. A NewPOP fez exatamente a mesma coisa. Lançava de 4 a 6 mangás por mês em 2015, a agora diminuiu para 3.

      Eu acho que a JBC não está bem, mas também não acho que ela esteja mal como algumas pessoas dizem.

      • Eu tenho pesadelos com um mercado de mangás como um monopólio nas mãos da Panini. A JBC e a NewPOP tem que sobreviver a essa crise. Façam o que for preciso, mas pelo amor de deus sobrevivam!

        • “Não sei porque se fala em “crise” na JBC, só pelo fato dela diminuir seu checklist.”
          @PIMPAO10, perfeita colocação na minha opinião. Concordo com você e já vinha falando em todo o canto sobre isto há tempos, até que ano passado a JBC começou a fazer o que eu vinha falando, diminuir seus lançamentos por mês para mais pessoas poderem comprar mais coisas da própria editora. O público de mangá já é um tanto quanto restrito, se as editoras lançam muitas coisas ao mesmo tempo nos forçando a escolher, é óbvio que quem sai mais perdendo são elas mesmas…u_u
          Logo, para mim a JBC está com a estratégia correta e torço para que continuem assim. =)

          @HARLE, no fim das contas, quem e o que vai decidir por mantermos NewPOP e JBC no mercado dando equilíbrio, somos nós e os títulos que ambas pegarem. Atualmente estou comprando mais JBC (mesmo que a Panini esteja lançando bem mais títulos…). Aliás, este ano, nas compras que fiz para mim, comprei mais NewPOP do que Panini (por incrível que isto possa parecer)…

  • João

    Coleciono Knights of Sidonia, The Seven Deadly Sins, My Hero Academia, To love-Ru e comprei recentemente Ghost in The Shell, Box Limite, Kit Soul Eater Not, e Kit Genshinken. Fiz minha parte pra editora não falir.

  • O mais interessante nas notícias sobre Akira, além do preço (eu também achei que seria uns R$100,00, é que se realmente saírem 2 por ano, além de aliviar o bolso de qualquer um, o mangá vai terminar de ser lançado justamente no ano que em a história do mangá começa… No mínimo intrigante. =)

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: