Mangás digitais pela JBC em breve

E não é o prometido Henshin Drive

No último dia 12 de novembro, durante o evento Henshin +, a editora JBC comentou que o projeto do Henshin Drive (um aplicativo para leitura de mangás digitais que a empresa vinha desenvolvendo) acabou esfriando por burocracias. Ao que se sabe, os japoneses não gostaram muito da ideia de se fazer um esquema Netflix de distribuição de mangás. A editora deixou subentendido que até daria para implementar a ideia, entretanto com poucos títulos no catálogo não seria atrativo para o público brasileiro.

Porém, a JBC também comentou que em breve começaria a publicar ebooks e os primeiros seriam os títulos nacionais da editora, como Henshin Mangá e as obras da série Combo Rangers. Todos eles já disponíveis em diversas plataformas, como Kindle e Google Play.

Agora a grande novidade vem do site do ISBN. Ele marca o registro de algumas séries japonesas para o formato digital, o que em teoria indica que elas  serão as primeiras obras a serem vendidas em ebook pela editora. São elas:

-Battle Angel Alita (1 a 9)

-Blame! (1 a 10)

-Fort of Apocalypse (1 a 10)

-Knights of Sidonia (1 a 15)

-Samurai 7 (1 a 2)

-The Ghost In The Shell (1 e 2)

-The Seven Deadly Sins (1 a 24)

-Ultraman (1 a 9)

O detalhe curioso é que Battle Angel Alita será a versão em 9 volumes, provavelmente seguindo a edição digital publicada pela Kodansha em 2014. Outro detalhe é que, à exceção de Ultraman que pertence à Shogakukan, todas as séries são licenciadas pela Kodansha.

Como ainda não houve um anúncio oficial, não há como saber quando esses mangás serão efetivamente vendidos.

***

Curta nossa página no Facebook

 Nos siga no Twitter

BBM

3 Comments

  • pg

    Tomara que vingue e comece a virar algo padrao como ta sendo nos EUA,porque:
    1) há um limite de quanto espaco podemos ter pra manter nossas coleções
    2) acaba com a desculpa de nao reimprimirem certos numeros que ficam impossiveis de achar com o passar do tempo,nos deixando a mercê dos mercenários FDPs dos Mercados Livres da vida…

  • Se eles conseguirem colocar todo o catalogo em versão digital vai ser uma boa. Até porque hoje em dia muitos jornais e revistas são vendidos assim.

  • Ao não entrarem no mercado de mídia digital, estão dando um tiro no próprio pé, pois quando você se depara com títulos/volumes difíceis de encontrar, boas chances de optar por scans online (pirataria) que não gera lucro algum pra eles.

    Heh.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: