Resenha: Spicy Pink

Um amor sem querer em meio a muito humor…

Wataru Yoshizumi. Esse nome foi bastante conhecido pelo público brasileiro consumidor de mangás há cerca de dez anos. Entre 2009 e 2010, a editora Panini trouxe muitas obras da autora, quatro ao todo, sendo Marmalade Boy o mais famoso deles. Autora de mangás shoujos (destinada no Japão ao público feminino juvenil), quase todas as obras delas que vieram ao país eram provenientes da revista Ribon. Uma delas, porém, distava: Spicy Pink.

Spicy Pink foi publicado no Japão entre 2006 e 2008, sendo concluído em um total de 2 volumes. Ao contrário das demais obras da autora lançadas no Brasil, esse mangá fora publicado na Chorus, uma revista da demografia Josei (destinado a mulheres adultas no Japão) e tem como personagens pessoas adultas, que já trabalham, namoram, pensam em se casar, etc.

Aqui no Brasil, o mangá foi publicado em 2010 naquele formato padrão da Panini na época, com miolo em papel jornal e preço baixo. Lemos a obra recentemente e viemos falar um pouquinho sobre ela para vocês.

  • Sinopse Oficial

Por insistência de sua amiga preocupada com a sua (falta de) vida social, a desenhista de mangá Sakura vai a um bar onde conhece Koreeda, um cirurgião plástico muito charmoso, mas um tanto inconveniente. Apesar de não ter se animado muito com esse primeiro encontro, ela resolve dar uma chance ao rapaz… E a vida de Sakura, já bastante atribulada, vai virar de pernas para o ar.

  • História e Desenvolvimento

Sakura é uma mangaká e tem uma vida bastante atribulada, sempre tendo que se esforçar demais para conseguir entregar suas obras dentro do prazo. Embora tenha contato com suas amigas, praticamente todas também criadora de mangás, ela não tem uma vida social das mais agitadas. Na verdade, enquanto sua amiga Misono Kamijou, uma famosa autora de shoujos, está sempre com um namorado novo, Sakura está sozinha há vários anos. Um dia Kamijou convida Sakura para ir em um encontro a cegas em grupo e lá ela conhece o cirurgião plástico Koreeda, um sujeito que a garota logo de cara irá odiar.

Apesar disso, o homem a pede em namoro e após um tempo os dois começam efetivamente um relacionamento. Entretanto, um não amava o outro. Estavam juntos por conveniência, a garota para ter mais vivência para suas histórias, o rapaz para satisfazer a sua família que gostaria muito que ele se casasse logo. Obviamente, essa relação inicial irá evoluir e os dois passarão a gostar um do outro.

Spicy Pink é um mangá de romance com boas doses de comédia. Os prazos apertados de Sakura rendem bons sorrisos, a implicância de Koreeda com ela também e, é claro, não podemos esquecer do trabalho de destaque da coadjuvante Kamijou cuja a personalidade (é uma mangaká famosa e quer um marido que não dependa dela) traz boas doses de risadas.

É claro que o drama também está presente, com história tristes, relacionamentos conturbados e traições, mas o humor da obra é o que mais se destaca. Um dos melhores momentos, a nosso ver, é quando Sakura resolve transar com Koreeda e a garota acaba dando um chute no rosto do namorado porque ele não queria apagar a luz^^.

O desenvolvimento da obra é bom, com a autora utilizando-se de várias estratégias e duplos sentidos para a história caminhar. O encontro de Sakura com seu ex-namorado, o retorno inesperado de uma certa pessoa, além de uma cena ou outra que parece ser uma coisa, mas não é, tudo isso é feito para gerar um certo atrito, uma certa tensão nos leitores com os rumos da narrativa. Esse personagem trairá esse? Esse outro não é fiel a este? E assim por diante.

O mangá termina de uma forma bem realista. O que todo mundo espera acontece, mas a obra (ou antes a própria personagem) não dá certeza de que aquele casal formado é para sempre. A obra termina deixando claro a mensagem mais definitiva em relação a um relacionamento, o importante é aproveitar o momento de felicidade.

  • Conclusão

Spicy Pink pode parecer a algum desavisado uma obra completamente genérica, mas quem der uma chance a obra perceberá seu charme único, com personagens interessantes, muitas confusões, mal entendidos e um humor para lá de divertido.

Pode não ser a melhor comédia romântica já feita, mas sem dúvida é título que vale a pena ler, principalmente se você já está cansado de ler obras desse gênero que se passam na escola. Sim, pois, às vezes é muito bom ler uma obra que mistura comédia com romance tendo personagens adultos como protagonistas…

  • Ficha Técnica

Título: Spicy Pink
Autor: Wataru Yoshizumi
Tradutor: Karen Kazumi Hayashida
Editora: Panini
Dimensões: 13,7 x 20 cm
Miolo: Papel jornal
Acabamento: Capa cartonada simples
Classificação indicativa: 14 anos
Preço: R$ 9,90

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s