Memória: Os 10 anos da 2ª publicação de “Ranma 1/2” no Brasil

Obra de Rumiko Takahashi em destaque…

Se Inu-Yasha é a obra mais famosa de Rumiko Takahashi no Brasil, Ranma 1/2 é uma das mais divertidas e talvez uma das mais subestimadas por aqui. Terceiro mangá mais longo da autora, Ranma 1/2 foi originalmente publicado entre 1987 e 1996 na revista Shonen Sunday, da editora Shogakukan, sendo compilado em um total de 38 edições. Recentemente ganhou uma reedição por lá, com mais páginas por volume, o que diminui o número total para apenas 20 tomos.

O mangá chegou ao Brasil pela primeira vez em 1998 por meio da editora Animangá, em uma edição de formato grande, parecendo uma revista e com leitura ocidental, como se fazia naquele momento. Era uma época em que praticamente não se publicava mangás no Brasil, e Ranma 1/2 era um dos poucos que tentavam existir logo após a febre da animação de Cavaleiros do Zodíaco na Rede Manchete.

Ranma 1/2 da Animangá. Fonte da Imagem: Google

A Animangá era uma proveniente de uma loja especializada em quadrinhos japoneses que existia em São Paulo e eles resolveram apostar nesse segmento esquecido no mercado editorial brasileiro na época. Embora sua iniciativa tenha sido sobrepujada tempos depois com a entrada da Conrad e da JBC na publicação de mangás, a editora persistiu com o lançamento de Ranma por alguns anos, mas a obra acabou descontinuada definitivamente por volta de 2003 ou 2004. Ao que consta, os volumes lançados pela Animangá cobriram apenas seis dos trinta e oito tomos originais. A divertida obra do rapaz que se transformava em garota toda vez que se molhava acabaria ficando sem um final decente em nosso país naquele momento.

Felizmente, para a alegria dos fãs, o mangá não seria esquecido pelas demais empresas do mercado e a JBC adquiriu a licença do título. Em setembro de 2009, há exatos dez anos, começava a chegar nas bancas de revistas o primeiro volume da nova edição de Ranma 1/2. A versão da JBC veio seguindo fielmente o sentido de leitura e o número de tomos originais. Segundo disse Marcelo del Greco, editor da JBC, em uma entrevista para o site Jbox, foram anos de negociação com a Shogakukan até a editora conseguir a licença.

Ranma, da JBC. Fonte da Imagem: Google

A publicação de Ranma 1/2 pela JBC seguiu sem percalços durante boa parte da publicação, embora tenha tido um atraso aqui e outro ali no decorrer dela. Ainda assim, a JBC cometeu certos erros imperdoáveis nesse mangá, como quando houve um problema na ordem das páginas de um certo volume e a empresa simplesmente colocou um bilhetinho para avisar do problema. Pois é…

Apesar dos pesares, a obra foi concluída em abril de 2013 com seus 38 volumes. Hoje é um tanto quanto difícil encontrar o título completo. É até fácil encontrar pacotes com x volumes pela internet, mas números esparsos pode ser um problema.

Parece bem difícil que haja um relançamento de Ranma 1/2 no Brasil, não somente por toda a situação do mercado atualmente (menos pontos de venda, preços mais altos, etc), mas também pelo número cada vez mais diminuto de obras mais longas. O jeito é ir atrás desses volumes com calma e muita paciência…


Memória é a nossa postagem de curiosidades em que buscamos relembrar algum fato, episódio ou época do passado do nosso mercado de mangás. Ela é publicada (quase) sempre uma vez por mês (embora algumas vezes publiquemos mais). Você pode conferir todas as postagens dessa série clicando aqui. Para ver outras curiosidades em geral, clique aqui.

Publicidade. Clique na Imagem para assinar o DAZN e assistir o campeonato Italiano, o inglês e vários outros. O primeiro mês é grátis.
Anúncios