Resenha: Dementia 21

A primeira obra de Shintaro Kago no Brasil

Poucos anos atrás era meio inimaginável que certas obras de certos autores pudessem ser lançados no Brasil. Parecia que não havia público para esse ou aquele tipo de obra, ou as editoras não acreditavam que tinha. Mas o mercado é dinâmico, as coisas vão mudando, as pessoas vão amadurecendo e o consumo vai sendo moldado, de modo que a aceitação de certas obras passa a ser mais fácil.

Shintaro Kago, um dos expoentes do humor grotesco, era um desses autores inimagináveis há pouco tempo e agora nós temos um título desse autor publicado no Brasil. Coube à editora Todavia, uma empresa novata, nascida em 2016, a honra de trazer pela primeira vez uma obra dele ao país, Dementia 21.

Dementia 21 foi publicado originalmente no site Comiccloud, da BookLOUD, tendo mais de 30 capítulos e sendo reunidos em 7 volumes de poucas páginas, variando entre 86 e 100. A publicação ocorreu apenas e tão somente em formato digital, não existindo volumes físicos no oriente até onde a gente conseguiu pesquisar.

Em 2018, porém, a obra ganhou uma edição impressa pela primeira vez no mundo. A editora americana Fantagraphics Books resolveu realizar uma coletânea de algumas histórias e escolheu 17 delas para publicar em um volume de quase 300 páginas nos Estados Unidos. A obra parece ter dado certo, pois em fevereiro de 2020, a editora lançou um segundo volume, contendo as histórias faltantes.

A editora Todavia negociou Dementia 21 diretamente com a Fantagraphics e o anunciou em fevereiro de 2019, apenas cinco meses após o lançamento da obra na América. A empresa, porém, deixou claro que o lançamento só ocorreria em 2020 e assim o foi, com a publicação do volume nos primeiros dias de março.

Lemos o volume e viemos falar nossas impressões sobre o título para vocês.

  • Sinopse Oficial

Um dos mais cultuados artistas do mangá da atualidade, Shintaro Kago é um dos expoentes do gênero ero guro nansensu, tradição nascida nos anos 1930 e que usa o humor, o grotesco e o nonsense para falar de forma ácida da sociedade japonesa e de suas normas e tabus. Neste que é um de seus mais celebrados trabalhos, Kago-san criou uma obra-prima cômica sobre os percalços de uma dedicada cuidadora de idosos. As aventuras da jovem Yukie Sakai ― que envolvem alienígenas, monstros, idosos psicóticos e dentaduras possuídas pelo demônio ― dão a medida do talento desse artista extraordinário e são uma janela para uma das mentes mais divertidas e perturbadoras do quadrinho mundial. Yukie é a mais bem avaliada cuidadora de idosos da Green Net. Seus clientes são atendidos com paciência e dedicação, conforme ela serve sopas, dá remédios e faz companhia a senhoras e senhores que, a princípio, seguem uma rotina tranquila. Porém, o que parece ser um trabalho simples se transforma rapidamente num pesadelo surreal que vai pôr à prova a inteligência e a dedicação da cuidadora. Nas dezessete histórias deste livro, Shintaro Kago colocará Yukie diante de missões tão difíceis quanto assustadoras e, para o terror da jovem, francamente bizarras.

  • História e Desenvolvimento

Se você nunca ouviu falar de Shintaro Kago talvez você seja um privilegiado. Ou talvez você esteja perdendo algo que iria revolucionar o modo como você lida com os mangás. As cenas apresentadas pelo autor em suas obras são bem fortes e que afastam muitas pessoas logo de cara. Mesmo a gente sempre teve uma certa dificuldade em adentrar no mundo do autor e nunca lemos uma obra completa dele, usualmente parando em um ou dois capítulos, porque a gente não conseguia continuar. Acontece…

Dementia 21 é uma obra um tanto quanto leve em comparação com outros títulos do autor e, por isso mesmo, é uma boa porta de entrada para os títulos do artista. A história centra-se na cuidadora de idosos Yukie Sakai, uma das mais queridas e habilidosas da agência em que ela trabalha, que está sempre querendo obter uma boa recomendação de seus clientes e, por isso, não mede esforços na hora de satisfazê-los. Entretanto, ela acaba sendo odiada por uma de suas veteranas e o problema começa aí. Acontece que essa veterana dorme com o patrão e o convence e dar casos mais difíceis para a garota. A partir daí Sakai começará a ter contato com muitos e muitos casos inusitados…

O volume possui um total de 17 capítulos e, apesar de uma pretensa continuidade, cada um deles é independente (com exceção de um ou outro em que aparece personagens previamente apresentados), tendo sua história iniciada, desenvolvida e completada dentro do próprio capítulo. Desse modo, você não precisa necessariamente ler o mangá em ordem certinha ou pelo menos não precisa ler todo de uma vez, podendo apreciá-lo por mais tempo, pouco a pouco.

De um modo geral, em cada história Sakai é incumbida de uma missão (cuidar de um idoso ou de um grupo de idosos) e ela vai até a casa de seu cliente. Entretanto, a cada capítulo algo bizarro acontece. Em um, uma dentadura toma conta da mente de um idoso, em outro uma idosa tenta matar seus cuidadores, em mais um começam a aparecer idosos na casa o tempo todo, em outra uma mulher tem poderes que, se ela se esquecer de uma pessoa, essa pessoa deixa de existir e assim por diante. Alguns capítulos fogem a essa regra, como em um em que apresenta o passado de Sakai e o modo como ela se tornou uma excelente cuidadora, ou um outro que mostra uma suposta viagem de férias.

Independente de qual tipo de história, Dementia 21 é um suprassumo da comédia nonsense. É uma daquelas obras que parecem indicar um título de terror, com um suspense aqui e ali e umas caras sombrias de vez em quando, mas o que se passa, na verdade, é apenas um humor ácido, crítico, que usa das caricaturas, do sem sentido para criar uma história bem humorada e que pode até nos fazer pensar em alguns momentos.

A história em que Sakai vai cuidar de três irmãs e todos os dias aparecem mais e mais idosos é uma das mais emblemáticas da obra. A cuidadora se desdobra para dar conta de 3, de 6, de 9, de 30 pessoas ao mesmo e a cada instante vai surgindo mais, do nada. O que parece uma história macabra, sobrenatural, termina por ser uma história mais aterrorizante ainda quando se descobre que a causa não tem nada de sobrenatural e sim é uma obra macabra da maldade do ser humano e do modo como eles tratam os idosos, como se fossem inúteis e só estivessem os atrapalhando.

O Japão é um país com uma alta taxa de idosos e o mangá apresenta em várias histórias uma dura crítica ao modo como são tratados os mais velhos no país. Em uma outra história, as três filhas de um senhor desejavam que ele morresse, tamanha a falta de empatia para com a pessoa que as criou. Em outra é criado um Idoso Royale em que um monte de “velinhos” deviam lutar entre si para conseguir um certo prêmio e assim por diante.

Nem todas as histórias, porém, apresentam uma crítica ao modo como os japoneses tratam os idosos, alguns são a comédia pela comédia, utilizando nonsense atrás de nonsense, que lembram bastante aqueles desenhos animados dos anos 1940, 50 e 60. Um dos capítulos emblemáticos disso acontece já perto do final em que um dos personagens decide andar de carro e Sakai a acompanha. Ele é obrigado a andar numa pista exclusiva de idosos, mas coisas acontecem e eles passam a ir em pistas exclusivas das mais malucas possíveis, uma destinada apenas a suicidas, outra para criminosos em fuga e assim por diante.

Outro capítulo muito divertido é um que imita o dia da marmota (Feitiço do Tempo), em que Sakai resolve ajudar um velhinho que queria participar do Comiket e certas coisas acontecem e Sakai termina por reviver a mesma coisa inúmeras vezes. Em mais um interessantíssimo, a cuidadora vai na casa de um “”Ultraman”” e uma série de acontecimentos levam a ele e a diversos outros seres gigantes, já idosos, conversando e lembrando dos velhos tempos em que eram jovens e combatiam.

Se  você olhar  com calma, mesmo esses capítulos que são o humor pelo humor tem um pouco de crítica, que mostra o modo como os idosos são vistos, com a falta de cuidado que os parentes têm com eles e a errônea ideia de que eles atrapalham as famílias. Muitas vezes, o que falta é sensibilidade e bondade nas pessoas para cuidarem dos seres que nos geraram e enfrentaram muitas coisas por nós ou por nossos pais. Dementia 21 é um mangá que nos diverte bastante e também nos ensina ou nos relembra o papel do idoso ou antes o nosso papel perante eles.

  • A edição nacional

A edição nacional do mangá veio no formato 17 x 24 cm (o mesmo dos mangás do selo Tsuru da Devir, como O Homem que Passeia e Uzumaki), com miolo em papel offset 120g e capa cartonada com orelhas. O volume tem 280 páginas e custa R$ 69,90.

Trata-se de uma edição bem caprichada, com uma capa mais “aveludada”, dando uma sensação bem aprazível ao passar a mão nela. O papel do miolo é mais grosso do que os que são usados nos mangás convencionais e a impressão fica bem mais nítida do que nos demais títulos em offset do mercado. O acabamento como um todo é excelente, pois podemos folhear o título sem percalços, além de ser possível abrir o volume inteiro sem que ele se feche sozinho.

Quanto ao texto, ele está bem adaptado, sendo bem confortável para a leitura, sem gargalos linguísticos, sem termos japoneses desnecessários, etc, podendo ser lido mesmo por quem não é otaku hardcore. A tradução da obra, ainda contextualiza, por meio de notas de rodapé, a origem dos nomes dos personagens, que são, em geral, referências a figuras japonesas. Para além disso, também não notamos erros de revisão, então o trabalho da editora foi bastante competente.

  • Conclusão

Obras de humor dificilmente conseguem agradar as pessoas de forma unânime, pois existem coisas que para uns parecem ser bem engraçadas, enquanto que para outras não. Dementia 21 é um título de humor que apela demais para o nonsense, mas aquele nonsense bastante escrachado que todos nós nos acostumamos a ver quando crianças em desenhos como Perna Longa, Pica Pau, entre outros. É um título que diverte pelo exagero, ao mesmo tempo em que faz alertas importantes sobre o modo como vemos e como tratamos os idosos. Pode até não agradar todo mundo, mas é um mangá excepcional, bem feito e que vale a pena ler.

Em suma, Dementia 21 foi uma escolha bastante acertada da editora Todavia como o seu primeiro mangá. Não sabemos se ela vai lançar outros no futuro, mas o sucesso desse título pode fazer com que a empresa se anime a trazer mais títulos. Até o momento em que esta postagem vai ao ar, a editora ainda não comentou se pretende fazer o segundo volume de Dementia 21 lançado nos Estados Unidos.

  • Ficha Técnica

Título original: ディメンシャ21
Título NacionalDementia 21
Autor: Shintaro Kago
Tradutor: Drik Sada
Editora: Todavia
Dimensões: 17 x 24 cm
Miolo: Papel Offset 120g
Acabamento: Capa cartonada com orelhas
Classificação indicativa: 14 anos
Preço: R$ 69,90
Onde comprarAmazon / Comix / Livraria da Travessa / Lojas Americanas / Submarino

%d blogueiros gostam disto: