[TRADUÇÃO] Kamome Shirahama fala de suas influências

Autora de Atelier of Witch Hat

A redação alemã do site de streaming Crunchyroll (por meio da figura de René Kayser e com ajuda da editora Egmont) realizou uma entrevista com Kamome Shirahama, autora do mangá Atelier of Witch Hat, e ela falou de suas influências e várias outras coisas.

A redação da Crunchyroll Itália traduziu a entrevista para o italiano nos últimos dias (clique aqui) e, agora, por meio dessa tradução, o blog BBM a traduz para o português para vocês.


CRUNCHYROLL ALEMANHA: Seus desenhos convidam os leitores a sonhar. Você os leva em uma viagem por paisagens fascinantes e mostra a eles lindas criaturas. De onde vem essa criatividade?

KAMOME SHIRAHAMA: Amo viajar e os lugares que vejo e as pessoas que encontro me inspiram. Quando desenho, adoro combinar elementos de diferentes lugares que vi em primeira mão. Cada lugar tem sua própria marca, como as plantas crescem, como as sombras repousam, como o vento sopra, o tamanho do céu e assim por diante. Não importa onde no mundo eu esteja; tudo é interessante e é fonte de inspiração.

Você chegou a dizer que Harry Potter a influenciou. Existem outras obras de fantasia que influenciaram seu processo criativo?

Claro, muitos trabalhos me influenciaram. Eu praticamente devorei O Senhor dos Anéis, As Crônicas de Nárnia e A História Sem Fim e assisti aos filmes que foram feitos a partir desses livros. Durante meus estudos, também conheci o trabalho do cartunista francês Moebius, que literalmente me surpreendeu. Atualmente estou viciada em Game of Thrones e vivo assistindo enquanto trabalho.

Quando criança, li muitas obras de fantasia japonesas, como Crônicas das Guerras de Lodoss ou The Knights of Alfheim. Já vídeo-games nunca foi a minha praia, mas mundos como Tactics Ogre ou The Legend of Zelda me encantaram.

Percebemos que a partir das edições 4 e 5 de Atelier of Witch Hat, a série fica progressivamente um pouco mais sombria. Podemos esperar um tom mais dark nos próximos capítulos?

Escrevi o mangá como uma história séria desde o início, mas como Coco enfrenta mais dificuldades agora, provavelmente parece mais sombrio. Embora Coco e suas amigas enfrentem muitas provações e elementos muito sérios estejam se desenvolvendo, há muito mais que isso na obra. Também quero retratar os aspectos culturais do mundo e a evolução das relações entre os personagens e espero que os leitores gostem tanto quanto eu.

Você pode nos contar sobre seu processo de trabalho? Quanto tempo você gasta em pesquisa, quanto desenhando e quanto pensando na trama?

Eu desenho um capítulo por mês. Depois de uma reunião com meu editor, preciso de cerca de uma semana para os esboços e levo de dez dias a duas semanas para terminar o capítulo.

Você gostaria que Atelier of Witch Hat fosse adaptado para anime? Houve alguma tentativa de contato por parte dos estúdios de animação?

Sonho em ter um anime meu desde pequena, então é claro que eu ficaria extremamente feliz. Eu gostaria de ver Coco e os outros em movimento.

Quais partes do seu trabalho você prefere fazer em equipe? E quais partes você prefere fazer sozinha?

Depois da reunião com meu editor, trabalho no enredo e nos esboços sozinha. Para a realização final tenho assistentes que me ajudam nos cenários, nas linhas cinéticas e nos tons de cinza.

O que leva você a incorporar uma ideia à sua história? Deve emocionar você ou fazer você pensar? Como você escolhe as ideias que terminam em seu mangá?

Para mim é algo muito importante não perpetuar estereótipos. Coco pode ser uma menina jovem, mas tento não descartar nada só porque ela é uma menina ou porque seja muito jovem. Às vezes, porém, algumas coisas passam no nível do subconsciente e eu espero aprender a perceber essas coisas mais cedo.

Todos os seus personagens crescem com sua própria força, mas também porque discutem e compartilham suas experiências com as pessoas ao seu redor. Esse tipo de desenvolvimento é algo que você tirou de sua experiência pessoal?

Estudei design na universidade e muitas vezes trabalhei em grupos. Essas experiências tiveram um grande impacto em mim: lidar com tarefas difíceis em um grupo de pessoas que possuem qualidades diferentes é essencial. Se você combinar as ideias, poderá encontrar soluções que nunca teria imaginado sozinho. Pela minha experiência, posso dizer que melhores resultados podem ser alcançados trabalhando com outras pessoas e trocando ideias do que você faria se transformasse isso em uma competição.

Você é muito ativa nas redes sociais, principalmente no Twitter e no Instagram, onde posta seus sketches de Atelier e dos quadrinhos que você ama, e até mesmo de suas viagens. O que esse tipo de comunicação representa para você?

Amo ver o andamento do trabalho dos artistas que mais gosto. Portanto, publico o meu e espero que os leitores gostem do mesmo jeito que eu. Sem mencionar quanta energia os comentários e as mensagens em minhas postagens me dão. Além disso, fico sempre muito feliz quando os fãs postam desenhos feitos por eles ou fotos do meu mangá.

Você já tem o final da sua história em mente? Ou você prefere que as histórias e personagens cresçam como flores em um jardim em vez de projetá-los como um arquiteto faria?

Tenho um rascunho na cabeça, mas ainda não tenho certeza se a história realmente se desenvolverá assim. Mesmo se você trabalhar em um cenário que tenha suas próprias regras, seus personagens às vezes agem de maneiras inesperadas e você tem que ajustar a história com base nisso. Espero que meus leitores estejam ansiosos pelos próximos desenvolvimentos.

Para terminar, você tem uma mensagem que gostaria de enviar aos nossos leitores?

Com a história de Atelier of Witch Hat quero mostrar que existe magia em qualquer pessoa e também o poder de mudar o mundo. Espero que todos os meus leitores ao redor do planeta, mesmo que ainda não tenham percebido que são mágicos, descubram que têm esse tipo de energia dentro de si. Agradeço sinceramente o seu apoio. Espero que você continue gostando da história.

Atelier of Witch Hat é publicado no Brasil pela Panini.
O sétimo volume, o mais recente da obra, se encontra em pré-venda na Amazon

2 Comments

  • Jefferson Alves

    Ótima matéria. Vlw pela tradução BBM 🥰…esse traço dessa mulher eh magnífico. Tbm curti as artes q ela fez pra algumas HQ’s.

  • Lucas Santana

    Eu ia parar de comprar os volumes mas por causa dessa entrevista vou continuar haha

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: