Resenha: o divertidinho “Love In The Hell”

Amor no inferno?

Muitos mangás – especialmente aqueles mais desconhecidos – acabam passando despercebido pela maioria das pessoas que acabam priorizando os títulos mais famosos, mais comentados ou os de sua predileção. Ainda assim existem obras fora do radar que conseguem divertir bastante e – mesmo que de forma superficial – nos fazer pensar. Love In The Hell faz parte dessa lista.

Publicado pela editora JBC entre fevereiro e abril de 2015, o mangá Love In the Hell acabou lançado em meio a uma avalanche de títulos e acabou ficando relegado, principalmente por suas capas e sua premissa um tanto quanto estranha.

O título do mangá, as capas e a sinopse nos deixam preparados para uma obra ruim, com cenas eróticas grotescas e desnecessárias, além de uma temática nada agradável. NO ENTANTO, as coisas não são bem assim, Love In The Hell até tem nudez e violência, porém é bem mais do que isso e nos apresenta uma narrativa muito gostosa de ler.

Na obra acompanhamos Rintarô Senkawa, um jovem de seus vinte e poucos anos, que morreu após bater a cabeça depois de uma bebedeira, e foi parar no Inferno. O mangá, então, começa com ele sendo recebido em sua nova morada por uma Oni chamada Koyori (que seria a responsável por ele sofrer terríveis castigos para expiar seus pecados) e o rapaz se recusando a acreditar na nova realidade.

No mundo de Love In The Hell você é mandado para o inferno se seus pecados em vida foram maiores do que suas boas ações. Basicamente, se você matasse uma formiga e nunca fizesse uma boa ação para compensar, mesmo assim você seria mandado para lá e deveria passar no mínimo um ano, tendo a pele ou a cabeça arrancada, sendo jogado em um lago de enxofre, e toda a sorte de crueldades para expiar os seus pecados e conseguir sair de lá.

Rintarô não sabia o motivo de ter sido enviado para o inferno e, mesmo após aceitar a realidade, se recusava torrencialmente a ser torturado (afinal, quem é que gostaria de sofrer dor atrás de dor?), só que existe um pequeno problema nesse modo de pensar. No inferno você também sente fome e precisa de dinheiro para comer (assim como para ter roupas, alugar uma casa, etc) e, para tanto, a maneira mais convencional para se conseguir grana (chamados na obra da DOILARES) é ser torturado^^. Há como ganhar dinheiro conseguindo um emprego ou fazendo outras coisinhas, mas existe limitação de tempo e proibições, de modo que a tortura é a maneira mais eficaz de se conseguir trocados (além de que, com isso, a pessoa estará expiando parte de seus pecados).

Em todo esse contexto, veremos Rintarô buscando escapar da tortura, se envolvendo em confusões e, claro, sendo torturado. A comédia é o ponto alto da obra por vermos o rapaz envolto em diversas situações hilariantes (ele sendo pego por uma flor e chupado constantemente; ele aceitando um emprego em que sua função é ver dois onis horrendos transando, etc, etc), além da presença de alguns personagens que são por si só parte da alma da obra. Um dos amigos que Rintarô fará no lugar, por exemplo, é um masoquista de primeira, então o que para Rintarô e todas as pessoas comuns é algo doloroso e amedrontador, para esse amigo será o seu maior prazer, ser torturado dia após dia.

A obra segue uma ordem cronológica, mas os capítulos são semi-episódicos, apresentando uma situação que começa, se desenvolve e termina dentro dele mesmo. Existe, sim, uma continuidade (a maioria dos capítulos relembra algo que aconteceu anteriormente), mas os capítulos são feitos para se ler e se divertir com cada história contada. É assim a obra toda com a exceção do final.

Obviamente, o mangá precisa ser concluído em algum momento, então é necessário um clímax para acabar com ele. Basicamente, Rintarô está realizando trabalhos escondidos e, por meio de um deles, consegue saber o motivo de ter sido mandado para o inferno. Cônscio do que aconteceu, ele nem tem tempo o suficiente para se desculpar, pois coisas acontecem e o rapaz terá que se arriscar em uma aventura para salvar a sua Oni. Esse final destoa um pouco do resto da trama, mas é compreensível dado a natureza da obra.

Love In The Hell, apesar do título, é um mangá que fala praticamente nada sobre amor no inferno, ao menos não aquele amor que se esperaria entre um homem e uma mulher. Durante todo o mangá até sugerem que Koyori gosta de Rintarô e vicê-versa, mas não é nada tão explorado assim. O verdadeiro amor no inferno é o modo como tudo acontece, como as pessoas (onis ou humanos) pensam. Koyori, apesar de querer torturar Rintarô, só quer o bem do rapaz, para que ele saia o mais rápido possível do inferno. O mesmo vale para outros onis. Seria uma metáfora para amar é sofrer? Talvez…

Por mais que o humor seja o destaque da obra, volta e meia somos apresentados a algo mais sério, que nos faz pensar sobre a situação horripilante em que os personagens estão. Se já é ruim sentir dor uma vez por qualquer batida em uma quina de um móvel, sentir dores atrás de dores e isso dificilmente ter fim provoca muito medo, principalmente em nós que temos uma mentalidade cristã. A gente até chega a conjecturar que seria bem interessante ver uma narrativa mais densa sobre o assunto, sobre esse universo. Sim, pois, se Rintarô acha que não deveria estar no inferno, ao mesmo tempo ele pensa de forma degenerada, buscando enganar, e isso precisa ter consequências. Ao mesmo tempo, vemos que até crianças podem ir parar no lugar. Uma apresentação mais séria e dramática sobre essas questões fariam surgir uma obra grandiosa.

Ainda assim, o modo como foi feito, dando um destaque mais ao humor da obra, foi mais do que o suficiente e nos propiciou uma experiência bem interessante e vale bastante a pena. Então, se você está procurando algo bem bobinho e diferente para se divertir, Love In The Hell é uma boa pedida, pois ele é bem competente no que consegue fazer. Os três volumes que compõem o mangá, ainda estão disponíveis na Comix. Você também pode encontrá-los em lojas de usados.

FICHA TÉCNICA

Título original: 地獄恋 LOVE in the HELL
Título NacionalLove In The Hell
Autor: Reiji Suzumaru
Tradutor: Edward Kondo
Editora: JBC
Dimensões: 13,5 x 20,5 cm
Miolo: Papel jornal
Acabamento: Capa cartonada simples
Classificação indicativa: 18 anos
Número de volumes no Japão: 3 (completo)
Número de volumes no Brasil: 3 (completo)
Preço: R$ 12,90
Onde comprar: Comix

5 Comments

  • Yoshidayama

    Não lembro o que acontece na obra especificamente, mas era divertido e bem desenhado. Pena que só teve 3 volumes.

  • mhoa

    Essa minissérie é mto boa. Bem escrita e bem desenhada. Até poderia ter virado uma série mais longa. Pra quem tiver interesse, realmente em qualquer lugar você acha… Sebos, lojas online, OLX, etc. Vale a pena!

  • Chrno

    Tenho a coleção desta obra quando ela foi lançada.
    O flashback da menina fantasma(?) dói o coração, meus olhos lacrimejaram na hora.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: