Quadrinho coreano “A Espera” em pré-venda

Saiba mais

Na noite desta quarta-feira, 30 de junho de 2021, a editora Pipoca & Nanquim disponibilizou, no site da Amazon, a pré-venda do quadrinho coreano A Espera, de Keum Suk Gendry-Kim, mesma autora de Grama.

A edição brasileira virá em formato idêntico ao de Grama, no formato 15 x 21 cm, com miolo em papel offset 90g, capa dura e sobrecapa macia ao toque e verniz localizado. O preço é R$ 69,90, mas está saindo agora com 30% de desconto, por R$ 48,90.

A obra possui 252 páginas e o lançamento está previsto para o final de julho. Para comprar em pré-venda, basta clicar aqui.

Sinopse: Keum Suk Gendry-Kim, a premiada autora sul-coreana de Grama, apresenta sua nova graphic novel a tratar dos males da guerra: A Espera. A obra surgiu de uma revelação que a artista teve em seu núcleo familiar: sua própria mãe foi separada da irmã durante a Guerra da Coreia. Keum veio a descobrir depois que não se tratava de algo tão incomum entre o povo coreano, cuja vida foi completamente alterada quando Sul e Norte se lançaram em um combate armado, nos anos 1950. A partir de entrevistas com sua mãe e outras vítimas de separações forçadas, nasceu A Espera, obra que assume contornos documentais e pessoais caros à autora e que influenciaram o direcionamento deste emocionante quadrinho. Jina é uma romancista, filha de Gwija, uma senhora coreana que, aos dezessete anos, foi obrigada a se casar com alguém que não conhecia para escapar do destino cruel de servir às tropas japonesas como “mulher de conforto”, na Segunda Guerra Sino-Japonesa. Apesar do casamento forçado, Gwija encontra a felicidade; mas ela durou pouco. Separada do marido e do filho durante a Guerra da Coreia, ela consegue chegar ao Sul e começar uma nova família, porém, sem jamais se esquecer da antiga. Anos depois, Jina promete ajudar a mãe a encontrar seus amores de outrora, só que, tendo se passado 70 anos desde a trágica separação, essa espera torna-se cada vez mais aflitiva e desesperançada. Gwija, agora uma idosa de saúde frágil, vê-se cada vez mais distante do sonho de rever seus entes queridos e de fazer as pazes com o passado. Conforme escreveu o jornalista e quadrinista Joe Sacco, autor dePalestina e Notas sobre Gaza, “A Espera é uma reflexão comovente, lindamente desenhada e magistralmente contada sobre como a História se impõe, separa as pessoas e deixa tantas vidas sem solução.” 

%d blogueiros gostam disto: