NR 117. JBC oficializa mudança de distribuição

magiAdeus distribuição setorizada de mangás…

Tempos atrás, a editora JBC havia dito que tentaria passar todos os títulos de distribuição setorizada para distribuição nacional. A empresa já havia modificado Parasyte, Gangsta e os títulos de distribuição setorizada e agora a editora anunciou a mudança dos outros títulos que faltavam.

zetman_10

Zetman e Magi: o labirinto da magia passarão a ter distribuição nacional também. Inicialmente essa mudança fará com que os moradores de cidade de “fase 2” (quase todas do país) tenham que adquirir dois volumes por mês, o número “atrasado” e o número atual.

***

BBM

15 Comments

  • Roses

    A Panini ainda trabalha com setorizada, ou melhor “em fases” como eles chamam. Ainda não é um adeus definitivo.

    • Eu sei, mas de grão em grão, a galinha enche o papo!
      Nunca me conformei com o fato dos gibis de super-heróis terem distribuição nacional e os mangás necas.
      Espero que as coisas melhorem pra JBC agora.

    • João

      Mas com certeza servirá de exemplo não apenas para a Panini, mas também para as demais editoras concorrentes. Ótima iniciativa da JBC.

      • Roses

        Isso só faz sentido quando estamos falando das primeiras a mudarem, a JBC e a Panini são as últimas duas que ainda usam/usavam a distribuição setorizada. Que outras editoras trabalham com fases? NewPOP nunca trabalhou em fases, nem a L&PM, Lumus, Alto Astral, Nova Sampa. Me corrijam se estiver enganada, mas são só essas duas. Elas não estão servindo de exemplo para ninguém!! Assim como as duas também foram as últimas a abolir o meio-tankobon, mais uma vez são as últimas a abolir a distribuição em fases. JBC ainda traduz coisas do inglês, por exemplo, que nenhuma editora além dela tem feito ultimamente. Foi a última a parar de usar quadros brancos na edição e finalmente depois de anos e anos começar a reconstruir e redesenhar os fundos apagados.
        JBC dificilmente tem iniciativas, é sempre a última a aderir o que todo mundo já faz há anos. A única iniciativa que a JBC já teve foi o tamanho BIG, não consigo lembrar nenhuma outra.

        • João

          É a editora que menos cancelou títulos em sua história, perdendo apenas para a NewPop, isso é um ótimo exemplo em começar e terminar algo. Depois dos fiascos da Nova Sampa em começar um título pela metade e não ter uma boa venda por motivo óbvio jamais comprarei com a mesma. Acredito que me expressei mal sobre ser exemplo para outras editoras, mas devido a grande quantidades de volumes que a JBC lança por mês, os moradores de cidades mais afastadas das metrópoles brasileiras tendem apenas a ganhar.

          • Roses

            Várias editoras pequenas não cancelaram ainda. De fato é um mérito que eles tenham tão poucos cancelamentos, é um progresso que finalmente depois de uns 16 anos? Tenha parado com essa setorização. Sem dúvida alguma! Minha birra é o “iniciativa”. 🙂

        • Por que a JBC é atrasada? Há alguma explicação lógica? Por que eles, por exemplo, lançam edições que chamam “de luxo”, como Black Edition, mas elas SEQUER têm costura nas páginas? Talvez seja birra minha…ou não.

      • João

        Sim, mas queira me desculpar pela iniciativa, ainda tenho muito a aprender sobre esse “mundo” que me fascina a cada dia. E tive uma aula agora com você me explicando sobre as editoras, mesmo já acompanhando a grande maioria das suas postagens quando tenho tempo.
        Muito obrigado pelas respostas.

  • segundo vi em uma materia de 2012 do XIL, o preço de mangas podem ser influenciados se forem nacionais. Espero q não aumente mais nada pq tá osso :/

  • […] As mudanças de distribuição implementadas por JBC e Panini começaram no início de março, pouco depois de a NewPOP anunciar seu desligamento das bancas de revistas. A JBC foi a primeira a informar que seus títulos de distribuição setorizada passariam a ter distribuição nacional. O primeiro título da JBC a sofrer essa mudança foi Parasyte, seguido de outros até que a editora oficializou a mudança de toda a sua linha no dia 18 de março. […]

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: