BBM Lista: mangás que decepcionaram em 2016

One-Punch-ManOs mangás que prometiam, mas decepcionaram…

Todos os anos, alguns mangás chegam cheios de pompas e expectativas e, para muitos leitores, elas se confirmam. Para outros, porém os títulos não passam de extrema decepção, pois não correspondem ao hype gerado pelos fãs. Alguns não chegam a ser ruins, mas estão longe de merecem a fama de “grandes obras” ou de “melhor mangá” que muitas pessoas colocam.

No fim, é aquela velha de história de que você não deve se deixar levar pelas expectativas dos outros. O problema é que algumas vezes o hype é gerado por você mesmo, por conhecer a obra de outras mídias ou gostar do autor. Na lista hoje, apresento os quatro títulos lançados em 2016 e que me decepcionaram bastante, por um motivo ou outro.

***

One punch man 01One-Punch Man

Hype enorme. Diziam ser uma revolução, uma paródia das histórias de ação e aventura das mais divertidas, o suprassumo do overpower. O que eu vi foi um mangá sem graça que quase não me arrancava sorrisos e não apresentava nada do que as pessoas tanto falavam. Não é um mangá ruim, mas está longe – muito longe – de ser “o melhor mangá do mundo”. Nem mesmo uma releitura – quase um ano depois – foi capaz de fazer minha opinião mudar e eu acabei achando o mangá mais sem graça ainda. Os vilões serem caricatos não têm graça nenhuma. Saitama ganhar com um soco só, menos ainda.

One-Punch Man é só um mangá mediano que cumpria o seu papel, mas claramente não é o melhor “de luta” e nem o melhor de “comédia” em publicação no Brasil, existindo pelo menos umas 5 obras em cada categoria que supera o título. Em razão disso, ele foi uma completa decepção e, por isso, está presente na lista. Como existiam obras melhores no mercado, abandonei o título após o segundo volume…


fate stay night 01Fate/Stay Night

Mesmo sendo pertencente ao checklist de dezembro de 2015, Fate/Stay Night começou a chegar às bancas apenas em janeiro de 2016 e foi uma decepção imensa para um fã da franquia. Diferentemente de One-Punch Man em que fui levado pelo hype dos outros, nesse eu me empolguei com o mangá pelo fato de ter adorado as adaptações animadas e me decepcionei profundamente.

A verdade é que muita gente critica esse mangá por misturar rotas do jogo, mas isso é o de menos. Na verdade, isso nem chega a ser importante. O problema real é que Fate/Stay Night é um péssimo mangá e o autor responsável pelo título parecia não dominar a técnica de fazer narrativas. Logo em seu primeiro volume, a obra foi corrida demais, não dando tempo para o leitor respirar. As transições entre uma cena e outra também eram mal executadas e o resultado foi um primeiro volume fraquíssimo que qualquer fã da franquia deveria sentir nojo.

Esses problemas apresentados em Fate, eram quase os mesmos apresentados em Steins;gate (mal adaptação, falta de técnica narrativa, etc) um ano antes, mas em um nível bem mais elevado, tanto que o primeiro volume de Fate/Stay Night se tornou o pior primeiro volume que li na vida. Não tive a menor vontade de continuar a acompanhar um mangá assim por 20 volumes e desisti logo no primeiro. Achei muito melhor ficar com as animações que eu ganharia mais.


Ninja Slayer 01

Ninja Slayer

Um título desconhecido e que eu não tinha a intenção de pegar, mas aí lá fui eu ver um vídeo do Pipoca e Nanquim, canal no Youtube de um dos editores da Panini, e ele falou super bem do título, que era isso, aquilo outro e eu fiquei motivado, quis ver com os meus próprios olhos e… a mais pura decepção.

O mangá era horroroso. A começar com um estilo de arte carregada de traços que não me agrada (que o papel jornal só fez piorar) e uma história sem noção sobre um sujeito que ataca ninjas. Era o convencional do convencional. Uma obra para passar longe, extremamente boba e que eu não conseguia esboçar nenhuma reação. Há quem tenha gostado, não foi o meu caso.

Se tornou o segundo pior primeiro volume que li na vida, perdendo apenas para Fate/Stay Night.


Uq HolderUQ Holder!

Seguindo a ordem, depois de um hype gerado pelos outros, agora é um hype gerado por mim mesmo, UQ Holder!. Por ser do mesmo autor de Love hina, eu criei uma enorme expectativa em torno do título e imaginava uma história divertida. O primeiro volume mostrou que tinha potencial de evolução, mas do segundo em diante ele se mostrou muito convencional e não me apresentou uma história satisfatória, com um excesso de Deus-ex-machina que tiravam toda a emoção do mangá.

O que aconteceu com o humor do Akamatsu? O que aconteceu com a capacidade dele de criar uma boa história? Parece que Love hina foi uma exceção… Abandonei o mangá após o terceiro volume.

***

Essas foram as minhas decepções de 2016. Penso que, agora, eu aprendi a não criar hype por títulos que desconheço.

Quais mangás vocês compraram em 2016 e te decepcionaram, leitores?

Curta nossa página no Facebook

 Nos siga no Twitter

BBM

28 Comments

  • Isaura Luiza Paramysio

    Acho que sou a única pessoa que gosta de Ninja Slayer.
    Sim…. de gostar mesmo.

  • Bruno

    One punch man, não é bom??
    Parei logo no primeiro 😡😡😡

    • Favor ler o texto corretamente^^. O texto diz de modo claro OPM “Não é um mangá ruim”.

      Como você pode ter interpretado que isso é dizer que ele não é bom????

  • Concordo contigo quanto a OPM e UQ-Holder!, fui levado pelo hype e quando fui ver as obras achei meio ‘-‘… Outras decepções pra mim foram Boku no Hero e LoveCom, entendo quem goste, mas simplesmente não funcionou comigo, vai entender hahaha

    • Gabriele

      Boku no hero foi o pior mangá que li nos últimos tempos. Não consegui ler o volume inteiro, achei simplesmente horrível. Além de todos os outros motivos, ainda tem um filme com o mesmo plot. Muito clichê mesmo.

  • João

    Olha eu gostei de One Punch Man, achei divertido, tenho certa curiosidade em saber mais sobre os heróis Classe S (quais seus poderes? Será que tem alguém infiltrado? uma conspiração?),O porquê do aparecimento dos monstros, etc… mas realmente não tem nada de espetacular no mangá. Como entendi que voce foi “vítima” do hype, concordo e compreendo sua decepção.

    Como não fui com as expectativas elevadas achei “colecionável” e não droparei, porém dos atuais 16 titulos que eu coleciono ele é o mais fraco talvez empatando com o Ataque de Titãs.

  • Concordo contigo em relação a One-Punch Man.

    Antes de chegar às bancas, li pela internet o 1° volume pra ver se colecionava quando a Panini lançasse, mas a história não me prendeu.

    Realmente é um mangá mediano.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: