Editora Devir relançará o mangá “Tekkon Kinkreet”

Quinto título da editora…

No dia 22 de dezembro o site Mundo Gonzo divulgou o possível lançamento do mangá Tekkon Kinkreet pela editora Devir, mas como a notícia não citava fonte alguma e não conhecíamos o site, não nos parecia nada confiável e tratamos como um simples boato.

Agora, porém, conseguimos a confirmação e a editora realmente publicará o mangá em 2018. Entretanto ainda não há data certa para a publicação do título.

Tekkon Kinkreet é de autoria de Taiyo Matsumoto e foi publicado entre 1993 e 1994 na revista Big Comic Spirit, da Shogakukan, sendo concluído em 3 volumes. No Brasil, o mangá foi lançado ainda em 2001 pela editora Conrad sob o título de Preto & Branco, tendo sido o primeiro tankobon a ser lançado no país. À época, porém, o título foi publicado com leitura ocidental.

Sinopse: O autor é um legítimo representante da nova geração dos quadrinhos japoneses. Seu traço desafia o famoso “estilo mangá”. Os seus personagens, ao contrário do que acontece na maioria das HQs orientais, apresentam olhos puxados e sua narrativa mostra influências dos quadrinhos americanos e europeus. O livro conta a história de dois garotos – Preto e Branco. Órfãos, eles vivem nas ruas de Treasure Town. No entanto, estão longe de serem considerados indefesos. Eles podem voar e possuem força incomum. São os “donos da cidade”. Todos os temem e querem seu lugar; Yakuza (a máfia japonesa), grupos rivais e até cultos religiosos. A história é uma interessante ficção, que mescla elementos de Peter Pan com o Cavaleiro das Trevas (o clássico de Frank Miller que, na década de 80, revigorou o Batman), construindo uma história realista e empolgante. Nas páginas do livro, Matsumoto usa Preto e Branco para contar uma história bizarra e violenta, uma crítica social em forma de quadrinhos. Sua arte é admirável. Mesclando tons claros e escuros com extrema competência, utilizando “tomadas de câmeras” (o ângulo de que o leitor vê a cena) ousadas e abusando da criatividade na diagramação dos quadrinhos, ele confere à história o ritmo exato imposto pelo roteiro.

***

Curta nossa página no Facebook

 Nos siga no Twitter

BBM

7 Comments

  • JMB

    [OFF-Topic] Kyon, tá sabendo do recall que a Panini supostamente tá fazendo de One-Punch Man 10 por conta de terem duplicado uma das pernas e a bunda da personagem Tatsumaki na capa? Coisas que só editoras BR fazem por vc 😎

    • pimpao10

      Uma coisa legal da Panini é que eles fazem a troca por qualquer motivo. Só pra testar, troquei um volume de Berserk que estava com o logo da Panini desalinhado com os demais volumes! Eles fazem aquele Pac reverso pra você enviar pra eles e depois te mandam de volta. Quando notei que algumas páginas de Planetes estavam de ponta cabeça(?!) eles me enviaram de volta um Slam Dunk e quando pedi pra fazerem a troca eles me deixaram com o Slam Dunk e me mandaram o volume certo!
      Depois dessa até animei de trocar um volume meu de Limit com a JBC, que veio com umas páginas faltando. E o legal é que eles te mandam o mangá certo e junto uma embalagem pra você postar o mangá sem custo de volta pra eles. Não ficam pra trás da Panini no Recall, mas acho que não trocam por motivos mesquinhos, eles pedem até foto do defeito se me lembro bem. Se trocarem, mando Nanatsu todo de volta. Não tem uma lombada alinhada!!!

  • Rafael Ribeiro

    Uma critica social em forma de quadrinhos….. acho que nao sou o público desse manga, talvez os descontruidos e os q representam as minorias… kk

    • Alison Varjolo

      Crítica social não é necessariamente relacionado a minorias não, viu? ^^
      Crítica social pode ser estar relacionado a qualquer problema que a sociedade vive. Nunca li esse mangá, mas crítica social japonesa costuma estar relacionada a trabalho, suicídio e coisas assim…

  • Carne Moída

    Excelente relançamento. Teve uma época que eu estava financeiramente melhor e os meus dedos estavam coçando para adquirir a versão da Conrad em uma época onde os vendedores não vendiam cobrando os olhos da cara. Hoje você não encontra por menos de R$ 150,00. Felizmente eu não comprei e agora posso ter a chance de adquirir a versão da Devir. Espero que tenha boas vendas para que as outras obras (Sunny, Ping Pong e Takemitsu Zamurai) desse excelente mangaká possam ser publicadas futuramente.

  • Ufa, vou economizar uns trocados nessa, porque tenho a versão da Conrad. Confesso que o fator replay dessa obra não é alto na minha lista de leitura.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: