Memória: relembre anúncios de mangás feitos de forma esquisita

Ou quase isso…

Quem é mais novo no mundo dos mangás talvez não se lembre, mas houve um tempo em que algumas editoras não faziam anúncios de novos títulos por qualquer meio. Assim, mesmo se você tivesse acesso à Internet, você só saberia que um certo mangá foi lançado no Brasil ao ir na banca de revista e se deparar com ele. O tempo passou, a Internet se popularizou mais e as empresas começaram (ou tentaram) usar ela de forma mais eficiente, realizando os anúncios, tendo interação com o público, etc.

O resultado é que hoje em dia é um pouco mais fácil saber as informações diretamente das próprias editoras, embora ainda existam muitos gargalos de informação. A postagem de hoje, porém, vem falar do passado (nem tão passado assim, como se verá) e relembrar 3 vezes em que ficamos sabendo de um futuro lançamento no Brasil de forma pouco convencional.

***

Gate 7 (NewPOP)

Em abril de 2011, o site JBox divulgou que o mangá Gate 7, do CLAMP, seria lançado no Brasil pela editora NewPOP. A informação era uma total surpresa, visto que o mangá não tinha nenhum volume publicado no Japão até então.

O mais curioso, porém, foi o modo como o site ficou sabendo. Não foi a NewPOP que anunciou. O Jbox tomou conhecimento do lançamento por meio do próprio CLAMP. As autoras colocaram no site oficial delas a informação de quais editoras publicariam a obra pelo mundo. A NewPOP só confirmaria a informação em 2012.


No game No life (NewPOP)

Em julho de 2014, um caso semelhante ao de Gate 7 aconteceu, mas sem que se revelasse a editora. Yuu Kamiya, brasileiro autor de No game No life, informou por meio de seu Twitter que tanto o mangá, quanto a light novel seriam publicados no Brasil.

Em outubro do mesmo ano, a NewPOP divulgou o lançamento. O mais curioso desse anúncio por meio do autor é que aparentemente a NewPOP também não sabia que ela havia sido escolhida^^. A editora afirmou que tinha mandado proposta muito tempo antes e não obteve resposta. Ela só soube que a licença era dela um tempo depois de o autor divulgar que a obra sairia no Brasil.


Novo Lobo solitário

Esse é um caso recente e um caso esquisito para o lado ruim. Em março de 2017, a editora Panini anunciou a publicação do mangá Novo Lobo Solitário, continuação direta de Lobo solitário. Só que a forma como a editora escolheu para anunciar o título foi a mais esquisita possível.

Ela divulgou em sua página no Facebook um podcast e pediu para os seguidores ouvirem-no. No final do podcast havia a informação de que seria anunciado algo relacionado a Lobo solitário em um certo vídeo de um certo canal no Youtube. E foi nesse canal no Youtube que a obra foi anunciada. Pareceu que a Panini queria divulgar mais o podcast do que seu novo lançamento. Passados quase um ano, ainda estamos bastante incrédulos com isso.

***

Curta nossa página no Facebook

 Nos siga no Twitter

BBM

Anúncios

3 Comments

  • Urashima

    O mais esquisito no caso do Novo Lobo Solitário é o lançamento em si, pois o “velho” ainda está no começo. O Levi Trindade já explicou que foi imposição dos japas e coisa e tal, mas ainda assim é muito bizarro.

    • Guilherme D'ravem

      E pra ficar mais esquisito ainda, o Novo Lobo começa já com spoiler do fim do “velho”.

Comments are closed.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: