Memória: Há 12 anos mangá “Naruto” era lançado pela primeira vez no Brasil

Um dos títulos de maior sucesso de nosso mercado…

O ano era 2007, o mês era maio. E Naruto, mangá de Masashi Kishimoto, era lançado pela primeira vez no Brasil pela editora Panini. A publicação marcava não somente a vinda de um grande título para o mercado brasileiro, mas também iniciava a era dos mangás da Weekly Shonen Jump pela Panini. Até então, a empresa não havia publicado nenhum mangá da revista mais famosa do Japão. Mais que isso, foi também o primeiro mangá da Shueisha pela Panini.

Se a Panini esperava um enorme sucesso com o lançamento da obra no Brasil? Certamente podemos dizer que sim, sem qualquer medo, mas talvez a empresa não esperasse que fosse tanto sucesso quanto foi. A adaptação em animê viria a ser exibida em TV aberta pelo SBT e isso faria a série explodir de popularidade, provavelmente como nunca mais se viu desde então.

Ao que parece o mangá vendeu muito (MUITO MESMO) na época, tornando-se um dos maiores ou mesmo o maior sucesso dos mangás naqueles anos, tanto que em 2010, ainda com o mangá em publicação, a Panini relançou a obra em uma versão mais econômica, chamada pela empresa de Naruto Pocket.

A obra até hoje encontra-se em evidência em nosso país, com sua terceira publicação, esta chamada de Naruto Gold, devido aos detalhes em dourado na capa.

Além da série principal, a Panini publicou alguns databooks da série e outros mangás da franquia, Naruto Gaiden, Rock Lee e a Primavera da Juventude e Boruto (atualmente em publicação). A panini lançou até mesmo a light novel The Last: Naruto The Movie agora no início de 2019. Trata-se de um sucesso incontestável e que ninguém pode desmerecer.


Segundo o banco de dados do site HQManiacs, o primeiro volume do mangá começou a sair no dia 17 de maio de 2007 e o resto é história. Então hoje completam-se doze anos dessa marca. Essa primeira publicação da obra ainda contou com assinatura com direito a um box para os assinantes, tendo sido a primeira experiência da editora com assinaturas de mangás.

O título foi lançado entre 2007 e 2015, inicialmente em periodicidade mensal e posteriormente bimestral para não encostar com a publicação japonesa. Foram 72 volumes ao todo. No meio disso, a editora ainda relançou a obra em formato pocket, iniciando-se em maio de 2010. Como dito mais acima, atualmente a editora está lançando a terceira edição brasileira do mangá, chamada de Naruto Gold.

SinopseEsta é a Vila Oculta da Folha. Naruto é o garoto mais problemático da Academia Ninja e está sempre aprontando todas!! Seu grande sonho é se tornar um shinobi digno do título de Hokage, o mais forte e respeitado ninja da vila, e superar todos os Hokages anteriores…!! Mas um segredo em torno de seu nascimento o mantém distante tanto de seu sonho quanto das pessoas…!!

Memória é a nossa postagem de curiosidades em que buscamos relembrar algum fato, episódio ou época do passado do nosso mercado de mangás. Ela é publicada sempre uma vez por mês (embora algumas vezes publiquemos mais). Você pode conferir todas as postagens dessa série clicando aqui. Para ver outras curiosidades em geral, clique aqui.

8 Comments

  • JackVON

    Não sou muito fã de Naruto, mas reconheço que é uma obra incrível, e que merece todo o sucesso que tem

  • Marcelo

    Só perguntando uma coisa, já que esse é o primeiro tópico relacionado a Panini mais no topo da página.

    Nada ainda do checklist dela pra esse mês? Já estou achando que talvez pintem uns atrasos (mais alguns, né).

    • Nada.

      E do checklist de maio apenas dois mangás entraram em pré-venda até o momento. DBED #02 e Dr. Stone #05. Por outro lado já entrou em pré-venda também DBED #03, que é de julho. O_o

  • Ken-Oh

    E comprei até o fim essa 1° versão. 72 volumes… Tempo q passa…
    Lembro q era de lei passar na banca e caso tivesse lá comprar sem titubear, infelizmente o mangá tem uma queda de qualidade na história lá pro final, mas n me arrependo da compra n, tenho ali guardadinho na minha estante.

  • Rafael

    Lembro de que comecei a coleção no volume 15, até então o meu segundo mangá da vida e o que realmente me impulsionou a entrar nesse ramo de colecionador. É uma pena que a história decaiu tanto na parte final, mas ainda tenho muito carinho pela série.

    • Victor

      Parecido contigo…

      Meu primeiro mangá efetivamente foi Shaman King… Naruto eu comecei estava no volume 6… Foi uma correria pra conseguir achar os 6 volumes, mas deu tudo certo… Mais ou menos a mesma pegada com Bleach… OP apesar de já acompanhar os lançamentos do Japão só comecei a comprar no lançamento da Panini… A tríade sagrada dos Shonen…
      Orgulho de olhar pra estante e ver essas três coleções completas e em dia, só Bleach que não muito kkkkkk

  • Zâmike Zeny

    Apesar de sua estranheza em seu desenrolar final (E, gostemos ou não, coerente) essa obra tem um cantinho especial em meu kokoro (rs). Só pude ($$) colecionar a primeira publicação a partir da segunda parte (Shippuuden), mas quando o gold foi publicado comprei a primeira parte numa black friday. Sim, minha coleção tem duas caras, rs. Se algum dia vier um kanzenban que me agrade (tomara que não! $$)…

  • Chico

    Meu primeiro mangá, colecionei com muito afinco e apreço até o fim da saga do Pain.
    Depois, além do desinteresse com o caminho que a história seguia, várias coisas aconteceram na vida que me fizeram deixar não só Naruto como mangás em geral de lado. Me arrependo.
    Voltei recentemente a colecionar e pretendo completar a coleção com a edição Gold.
    Me lembro da arte japonesa do kintsugi de fazer reparos com ouro derretido, preenchendo e colando partes de alguma peça com um dourado que dá ainda mais valor ao objeto, que era então considerado perdido. Sinto que é o que eu vou fazer com a minha coleção de Naruto. Aquele finalzinho quebrado, falho, que ficou assim por vários motivos ruins, vai ser preenchido com o ouro da coleção gold (rs) e, completo, vai ter um valor muito maior, pelo menos pra mim.
    Naruto não é nem de longe um mangá perfeito ou uma obra-prima. Mas faz parte da minha história e de quem eu sou hoje. Volta e meia me pergunto, com a maior sinceridade, se o Naruto desistiria tão fácil de determinada situação pela qual eu passo e quando chego à conclusão de que ele não se daria por vencido, eu vou lá e sigo em frente. Naruto ainda me move, por mais bobo que isso soe.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: