BBM Lista – Os mangás que demoraram menos tempo a sair no Brasil

Foi publicado no Japão e dias depois já estava no Brasil…

Talvez você não saiba, mas sempre que um volume novo de uma obra sai no Japão, a editora brasileira precisa negociar novamente com os japoneses para poder publicar o volume no Brasil. Ou seja, apesar de ter a licença de publicação de uma série, a editora local necessita de um aditivo ao contrato para continuar a lançá-la. É por isso que, por exemplo, é comum um mangá que estava encostado com a publicação japonesa voltar com um preço reajustado.

Mas não é só necessário negociar os novos volumes. A empresa tem que esperar receber os materiais para traduzir, editar e tudo mais, além de arrumar um lugar na grade de lançamentos. Por causa disso, em geral, quando um mangá está em dia com a publicação japonesa, a editora brasileira costuma demorar vários meses para lançar um novo volume que saiu no Japão já que é um processo que pode ser demorado, a depender do título e da editora japonesa. Assim, se um dado número saiu no oriente em janeiro, por aqui só será lançado em abril, em maio, em junho ou talvez apenas em dezembro e por aí vai.

Há casos, porém, em que as coisas fogem à regra e um volume sai no Brasil muito mais rapidamente do que se pensa, às vezes até em simultâneo com a publicação japonesa. Hoje iremos relembrar alguns volumes de mangás que tiveram a publicação no Brasil muito rápida. Vem ver 🙂


Operação Big Hero #01 e #02


O mangá Operação Big Hero, de Haruhi Ueno, teve o seu primeiro volume publicado no Japão no dia 17 de dezembro de 2014. A editora Abril licenciou a obra e publicou o mangá já em janeiro de 2015, um mês após o lançamento original.

A explicação para essa publicação tão rápida é bem fácil entender. Como é uma obra com o selo Disney, e o filme de animação estava sendo lançado na mesma época, tudo deve ter sido agilizado entre as empresas para conseguir uma publicação tão veloz. O mesmo ocorreu em outros países, na França o mangá saiu em fevereiro e nos Estados Unidos em março.

A rapidez da publicação brasileira se manteve no volume 2, embora com um pouco mais de atraso. O segundo tomo saiu no Japão em abril de 2015 e o brasileiro em junho do mesmo ano, dois meses após o lançamento.

Sinopse:  A história gira em torno dos irmãos Hiro e Tadashi, suas invenções e seus desejos, tudo isso permeado por um intenso sentimento de amizade. Tadashi é um rapaz que gosta de tecnologia e é muito dedicado em suas invenções. Por sua vez Hiro é um menino prodígio que aos quatorze anos frequenta a universidade e também dedica-se a fazer muitas invenções.


Resident Evil Bio Hazard Marhawa Desire #01


Se a publicação de Operação Big Hero foi rápida, a de Resident Evil Bio Hazard Marhawa Desire foi mais ainda, saindo no mesmo mês que a obra foi lançada no Japão, em junho de 2012. Essa agilidade, porém, foi apenas nesse volume inicial, não tendo se repetido nos demais.

Vale lembrar que, curiosamente, a obra foi anunciada como tendo periodicidade anual, mas acabou não sendo assim e os volumes foram saindo aos poucos, alguns meses após serem lançados no Japão. Até hoje é o mangá lançado pela Panini mais rápido em relação à publicação japonesa. Também era o mangá a ser lançado mais rapidamente no Brasil, até a publicação de Edens Zero em capítulos digitais começar.

Sinopse: No renomado Colégio Marhawa surge, misteriosamente, uma aluna transformada em zumbi. O bacteriologista Doug Wright e Ricky, seu sobrinho e assistente, são envolvidos nesta tragédia que, pouco a pouco, aumenta de proporção. Enquanto isso, Chris Redfield e sua equipe do B.S.A.A. seguem a trilha deixada pelo professor Doug. Essas duas tramas se entrelaçarão em um pesadelo inevitável…


Neon Genesis Evangelion #13 e #14


Falar da publicação brasileira de Neon Genesis Evangelion evoca uma história que começa com a editora Conrad. Não vamos nos aprofundar nela por ser de conhecimento corrente (caso não conheça clique ali no título da obra que você irá a uma página sobre o mangá em que você conseguirá entender tudo), mas o fato é que a obra foi parar na editora JBC e, após continuar a primeira versão da editora Conrad, ela também relançou a obra.

Essa publicação foi seguindo até que se teve a notícia de que o volume 13 seria lançado no Japão após mais de dois anos sem um volume novo por lá. Vários países anunciaram a publicação do volume simultaneamente, em parceria com a editora japonesa, e o Brasil foi um deles. A publicação brasileira acabou sendo uma coincidência daquelas: em outubro de 2012, havia saído o volume 12 e em novembro saía o volume 13, em simultâneo com o Japão. Se tivesse sofrido algum atraso extra em meses anteriores, a empresa brasileira não teria conseguido a publicação simultânea.

Importante lembrar que no mesmo mês a editora também publicou o volume 25 (equivalente à primeira metade do volume 13) da primeira versão, que a JBC havia continuado da Conrad. O 26 seria publicado no mês seguinte.

A publicação simultânea não acabaria apenas aí. Depois do volume 13, o tomo 14, o último da série, também sairia junto com o Japão, sendo publicado exatamente no mesmo dia, 20 de novembro. A editora conta, porém, que apesar de essa ser a data oficial do lançamento no Japão e no Brasil, a publicação brasileira começou um dia antes, no dia 19, pois no 20 seria feriado em São Paulo. O ponto é que, quando começou a distribuição, no dia 19, já era dia 20 no Japão^^.

Esse lançamento é ainda mais valioso, pois havia um capítulo extra nunca publicado na revista, então quem comprou o mangá no dia 19 de novembro conseguiu ler o mangá inteiro antes mesmo que um japonês^^.

Além do volume 14, também saiu nesse dia o volume 27 da primeira versão do mangá. O 28 sairia no mês seguinte.

SinopseO enredo de Evangelion se passa em 2015, em um mundo que acabara de ser reconstruído após a dizimação de metade da humanidade na catástrofe que ficou conhecida como “Segundo Impacto”. O Japão ganha uma capital provisória, a Tokyo-2, cujo Governo promove a construção da futura capital denominada Tokyo-3. Mas a construção da nova metrópole serve apenas de fachada para erguer uma cidade-fortaleza com tecnologia altamente avançada para resistir à ofensiva dos Anjos, monstruosos seres, cujo ataque já havia sido previsto pela humanidade. A organização especial paramilitar, denominada NERV, foi incumbida da missão de combater tais ameaças usando mechas gigantes chamados de Evas, que são pilotados por jovens rigorosamente selecionados. Um deles é Shinji Ikari, um tímido adolescente. Na realidade, há mais de dez anos ele foi abandonado pelo pai, Gendo Ikari, atual comandante supremo da NERV. Aos 14 anos, Shinji é chamado por ele para pilotar o incrível EVA-01, a última esperança da humanidade na batalha contra os Anjos. Assim dá-se início a uma aventura inigualável em que ficção científica se mistura aos sentimentos mais complexos e profundos do ser humano.


Fairy Tail #44 e #46


Em geral, o mais rápido que as editoras conseguem fazer é publicar um volume novo de mangá três meses após ele sair no Japão, menos que isso é muito raro. Além dos casos já citados acima, outros dois volumes que saíram com uma diferença de tão pouco tempo foram os volumes 44 e 46 de Fairy Tail.

A JBC publicava Fairy Tail desde 2010 até que a versão brasileira ficou em dia com o Japão, mas como Hiro Mashima trabalhava rápido, novos volumes saíam seguidamente no oriente. Muitas vezes, um volume saiu por aqui apenas três meses depois de sair no Japão, mas em dois casos saiu mais rápido ainda. O volume 44 foi publicado no Japão em julho de 2014 e o mesmo saiu no Brasil em setembro do mesmo ano. Já o volume 46 saiu em novembro de 2014 no Japão, e aportou por aqui já em janeiro de 2015. Impressionante!.

Sinopse: Órfão, Natsu quando pequeno foi encontrado por um dragão chamado Igneel, que acabou adotando-o. Foi também Igneel quem treinou o garoto e o ensinou a dominar o fogo. Mas, certo dia, o dragão desapareceu misteriosamente. Desde então, Natsu tem percorrido várias cidades procurando o seu pai adotivo, sempre acompanhado de Happy, um gatinho falante que possui asas. Em uma dessas viagens de busca, o feiticeiro conhece Lucy, uma jovem atraente, cujo sonho era fazer parte de uma guilda – uma espécie de cooperativa que atua como mediadora de assuntos relacionados a trabalhos e informações para feiticeiros –, mais especificamente da Fairy Tail. O sonho da garota não demorou muito para acontecer, pois Natsu acaba ajudando-a a entrar para o bando da Fairy Tail. Na realidade, Lucy será mais uma aliada na jornada em busca a Igneel. Juntamente com Gray e Elza, Natsu e sua nova amiga irão enfrentar poderosos magos pertencentes a guildas das trevas, além de viverem muitas aventuras emocionantes.


Foram só esses casos? Certamente deve ter outros. O volume 36 de The Seven Deadly Sins, por exemplo, é um deles, e um exemplo bem recente. Saiu em abril de 2019 no Japão e já em junho do mesmo ano saiu no Brasil. Além dele, deve existir outros volumes que a gente não se recorda. Agora publicação simultânea, no mesmo dia ou mês, apenas Evangelion e Resident Evil, mesmo, não teve outros.

Anúncios

3 comentários

  1. Gostaria muito de um relançamento de Evangelion por aqui em um formato melhor, com melhor acabamento, melhor qualidade de papel, enfim… uma versão de “luxo”. Mas pelo que eu li parece que Evangelion foi um fiasco tanto na Conrad quanto na JBC.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s