Anúncios

O autor talentoso que queria ser um autor talentoso

Ele queria salvar vidas…

Existem mangás que são bastante impactantes por si mesmos, apresentando uma história que faz todos se emocionarem e refletir sobre a vida, o universo e tudo mais. Existem alguns, porém, que além da própria história em quadrinhos, possui paratextos que também  te fazem parar para pensar sobre toda a existência e sobre a humanidade de modo geral. Planetes é um desses mangás.

Planetes é o primeiro mangá de Makoto Yukimura, o autor de Vinland Saga, e lendo o mangá logo fica claro o talento do artista ao criar uma história de ficção que parece bastante fidedigna, com dramas humanos bastante profundos. Nos paratextos do terceiro volume, porém, a gente vê a verdadeira humanidade do autor, ao mostrar-se ainda insuficiente de criar histórias grandiosas que pudessem salvar pessoas.

O autor relembra uma história em que viu na televisão, em que duas garotas de apenas dez anos se suicidaram pulando de um prédio, após deixarem um bilhete dizendo que não tinham motivos para morrer, mas também não tinham motivos para viver. Suicidaram-se por não ver um sentido na vida. Só isso já dá uma intensa reflexão. Por que fizeram isso? Como seria a vida dessas meninas para chegarem a esse ponto? Se não tinha motivos para morrer por que pularam? Qual o sentido disso tudo? Horas e mais horas a gente perderia pensando e discutindo apenas isso.

Yukimura, porém, dá um passo a mais e em vez de centrar a discussão sobre o porquê elas terem se matado, ele indaga sobre um modo de salvá-las. Sim, pois, se há muita gente que decide acabar com a própria vida, há muitas outras dedicadas a querer que elas desistam disso.

O autor várias vezes rememora esse caso e fica pensando o que teria dito ou feito para as meninas não pulassem. Ele relata que pensou na ideia de mostrar apenas 3 quadrinhos dizendo que só revelaria o quarto se elas desistissem de pular. Yukimura elocubra sobre os desafios disso, comentando que teria que ser um desfecho para lá de divertido, e termina dizendo que gostaria muito de ser um autor talentoso ao ponto de criar uma história assim. Uma história que fosse sucesso e pudesse salvar pessoas. Vejam o texto na íntegra:

Talvez o autor não tenha noção, mas a obra dele certamente deve ter salvado muita  gente. Não que tenha um humor impossível de não rir como ele queria, mas sim porque Planetes é um mangá animador. Tem seus dramas, sim, mas é uma obra calorosa e que faz as pessoas pensarem muito positivamente sobre a vida.

Planetes foi publicado no Japão entre 1999 e 2004 na revista Morning, da editora Kodansha, sendo concluído em um total de 4 volumes. No Brasil foi publicado pela Panini em 2015.


Essa foi mais uma postagem de curiosidades em que relatamos alguns fatos engraçados e/ou interessantes que aparecem nos paratextos dos mangás. Você pode conferir todas as que fizemos neste link. Para curiosidades em geral você pode clicar aqui.

Para quem não sabe, paratextos são, resumidamente falando, elementos à parte do texto principal de uma obra. Ou seja, são os comentários dos autores, as entrevistas que eventualmente aparecem, o prefácio e o posfácio, etc. São desses elementos que tiramos as curiosidades destas postagens.

Anúncios

4 Comments

  • zoldyckp

    Makoto é um excelente mangaká e principalmente contador de histórias. Até hoje lembro quando li esse trecho, em um dos volumes de Vinland Saga:

    ” “Por que estamos vivos?” Não tenho uma resposta precisa para esta pergunta, embora já conte com 37 anos. Não há um motivo particular para eu fazer este questionamento, e não teria palavras para replicar se me dissessem para parar de indagar sobre isso. Mas não posso deixar de me perguntar. Por que vivemos, damos vida à próxima geração e herdamos uma cultura? O que há depois disso? Vocês não acham estranho? Quase tudo o que concebemos, desde copos, lápis, computadores, prédios, estradas, leis e nações, foi pela sobrevivência da humanidade, para que pessoas continuem a viver. E eu aqui, pensando nessas coisas… O que me mantém vivo hoje são as pessoas que dependem de mim e o medo que tenho de morrer. Mas isso não responde meu questionamento filosófico, e tenho a impressão de que não explica por completo o motivo que faz a humanidade se esforçar tanto para continuar viva. Talvez, vai saber, nós tenhamos algum objetivo comum ao nascer e somente eu não saiba o que é. Um objetivo tão grandioso, que requer toda nossa capacidade e tempo disponível ou morrermos sem hesitar para cumpri-lo. Um motivo para a continuidade da humanidade. Se houver, o que seria? Gosto de imaginar essas coisas.”

  • Cara, Planetes é muito bom.

    Lembro que li a primeira vez próximo dos 16 anos e não entendia muito bem as reflexões propostas mas o mangá me cativou de tal forma que comprei quando saiu pela Panini e hoje, já me desfiz te toda minha coleção de mangá por diversas questões, mas o Planetes é o único que permaneceu na estante <3

Comments are closed.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: