Resenha: Deathdisco #01 e #02

Uma estranha menina e um mundo estranho…

Existem autores japoneses – sejam antigos ou contemporâneos – que são bastante aclamados pela crítica, mas que, entretanto, dificilmente têm espaço em mercados de mangás menores como o brasileiro, ficando relegados por muito tempo. Um exemplo de autor atual que quase não tem espaço por aqui é Atsushi Kaneko, conhecido por seu mangá Bambi.

Bambi chegou a sair no Brasil entre 2006 e 2009 pela editora Conrad, mas nesse período teve apenas quatro dos seis volumes publicados, ficando incompleto devido aos problemas que existiam na empresa na época. Desde então nenhuma obra de Kaneko havia saído no Brasil.

Em 2019, porém, veio a esperança, com uma nova obra e por uma nova empresa. A editora Darkside Books (conhecida por seus livros de terror com um excelente acabamento) anunciou que publicaria no Brasil o mangá Deathdisco, era o retorno do autor ao país.

Deathdisco foi publicado no Japão entre 2014 e 2018 na tradicional revista de mangás para adultos Comic Beam, da editora Enterbrain, tendo seus capítulos compilados em um total de 7 volumes.

No ocidente, a obra só havia sido publicado em mercados maiores (França, Itália e Espanha), sendo o Brasil o primeiro país americano a lançar o mangá. Por aqui, o título foi anunciado pela Darkside Books em 2019 e começou a ser publicado em setembro de 2020. Alguns meses depois, a empresa lançou também o segundo volume.

O mangá acompanha a história de uma garotinha conhecida como Deathko, uma assassina profissional que odeia tudo e todos, e que sai à noite para caçar suas vítimas sem um pingo de remorso.

Em meio a isso, conhecemos diversas histórias das futuras vítimas da garota, seus planos malignos e tudo mais.

Basicamente, no mundo de Deathdisco existe uma organização misteriosa e clandestina chamada de Guild, que escolhe, de tempos em tempos, vítimas para serem mortas. Tais vítimas, conhecidos como cabeças, são todos pessoas que fazem algum mal aos outros, em geral bandidos da pior espécie.

Os responsáveis pelos assassinatos são conhecidos como Reapers (ou Ceifadores) e – após receber o aviso da Guild – eles vão atrás de suas vítimas todos vestidos com fantasias espalhafatosas para não terem suas identidades reveladas. Quem conseguir matar a vítima recebe uma recompensa, por isso há, até mesmo, competição entre os reapers.

Deathko é outra dessas reapers e ela é uma ceifadora que pouco se importa com as regras, não gostando de fazer média (ou amizade) com outros reapers. Sua personalidade é meio difusa e difícil de entender. Ela odeia o mundo, é mitomaníaca e parece ter uma ânsia, uma necessidade extrema por matar, ficando em um total enfado quando não tem um serviço para fazer. Não dá para saber se ela é humana ou não, parecendo um ser assustador, vindo dos portões do inferno.

A verdade é que temos pouco conhecimento sobre Deathko e as pessoas à sua volta (apenas umas informações jogadas aqui e ali e que não ajudam a montar o quebra-cabeça) e isso se deve, sobretudo, à natureza da obra, divido em pequenos arcos narrativos nos quais uma pessoa será alvo de um dos ceifadores.

Nesses dois volumes, vemos três histórias (três arcos), com três pessoas malvadas, cada uma a seu modo, cada um com seu próprio crime, são pessoas que enganam, que matam, que torturam, que fazem mal a pessoas inocentes de todas as formas e os reapers vão atrás, buscando conseguir a cabeça e a recompensa.

Até o momento não temos explicações sobre quem é a Guild e o porquê dela punir essas pessoas, nem mesmo os ceifadores sabem o motivo e a história se desenrola mesmo assim. Seria, então, apenas uma justiça paralela, uma espécie de “”deathnotismo””? Ou seria algo oculto do governo?Isso fica para os próximos volumes.

Outros ceifadores…

Uma coisa que é importante dizer é que Deathdisco é um mangá que você consegue ler muito rápido. Embora existam algumas passagens com bastante texto, uma boa parte dos quadros é sem nada, com sequências de cenas que passam voando de tanta emoção. Também é importante falar do intenso uso de preto na obra, que destaca a atmosfera sombria e estranha e faz com que você perceba que está lendo algo bem pouco usual.

Deathdisco é um mangá um tanto quanto diferente mesmo, com algumas passagens bizarras, mas que encantam e fazem a gente querer continuar a ler sem parar, virando página atrás de página, em busca da resolução e das demais cenas.

É uma obra que te pega pelo esquisito e te deixa com uma pulga atrás da orelha com o clima e com a história. Quem são aquelas pessoas? Por que aceitaram ser ceifadores? Não sentem remorsos? Etc, etc, etc. É uma história realmente intrigante e vale a pena conhecer. Sem dúvida, recomendamos para todos os leitores que desejam se aventurar em uma obra um tanto quanto diferente.

***

A edição brasileira de Deathdisco vem no formato 15 x 21 cm, com miolo em papel offset e capa dura com verniz localizado. O primeiro volume ainda tem páginas coloridas. Trata-se de uma edição praticamente impecável em relação à qualidade, sendo bem maleável, quase nenhuma transparência das páginas, etc, etc, etc. É uma edição que é toda uma experiência, você toca o produto, observa a qualidade e então lê com gosto, com a certeza que o dinheiro foi bem gasto.

O ponto negativo, porém, é justamente o dinheiro. Ele custa R$ 59,90 por volume, o que o torna bastante inviável para uma grande parcela dos consumidores de mangá e, notadamente, muita gente deixou a obra passar, sem pensar duas vezes.

Para quem tem pouco poder aquisitivo, felizmente a obra sai apenas de forma eventual, então é possível ir juntando grana até o novo volume ser publicado e/ou esperar boas promoções. No momento em que esta postagem vai ao ar, por exemplo, os dois volumes já lançados estão com um bom desconto na Amazon.

Dito isso tudo, reafirmamos a nossa grande recomendação à obra.

Ficha Técnica

Título Original: DEATHCO (デスコ)
TítuloDeathdisco
Autor:  Atsushi Kaneko
Tradutor: Renata Garcia
Editora: Darkside Books
Número de volumes no Japão: 7 (completo)
Número de volumes no Brasil: 2 (ainda em publicação)
Dimensões: 15 x 21 cm
Miolo: Papel offset
Acabamento: Capa Dura
Classificação indicativa: não especificado
Preço: R$ 59,90
Onde comprar: Amazon / Americanas / Submarino / Travessa

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: