BBM Lista: 7 curiosidades aleatórias sobre mangás publicados no Brasil

O primeiro mangá em certos quesitos

Biblioteca Brasileira de Mangás é um blog que, além de notícias, gosta muito de números, curiosidades e outras coisas sobre o mercado brasileiro de quadrinhos japoneses. E este post é mais uma matéria feita pelo fascínio de levantar alguns dados curiosos que as pessoas podem não saber ou nunca ter pensado antes.

Dito de outro modo, são coisas completamente aleatórias que as pessoas não sabiam que queriam saber^^.

Na nossa lista de hoje, pegamos alguns quesitos e fomos verificar qual foi o primeiro mangá lançado no Brasil que atendia a eles!!!! Separamos sete itens. Então, divirta-se (e talvez aprenda) com as curiosidades a seguir 🙂 .


1º Mangá lançado no Brasil


 Lobo Solitário (1988, Cedibra)

Até onde se sabe (pode haver tido outros antes, sem que se tenha registro), Lobo Solitário pela editora Cedibra foi o primeiro mangá lançado no Brasil, ainda em 1988. Em sentido de leitura ocidental, esse mangá teve apenas 9 volumes publicados por aqui, todos de poucas páginas.

Primeiro volume de Lobo Solitário pela Cedibra. Foto: Guia dos Quadrinhos

1º Mangá lançado em sentido de leitura oriental


 Dragon Ball (2000, Conrad)

Sobre Dragon Ball não existem dúvidas. Até o ano 2000 todas as publicações japonesas lançadas por aqui tinham saído em sentido de leitura ocidental, como se fosse um quadrinho americano. A primeira obra a respeitar a ordem de leitura original foi Dragon Ball, em 2000 pela editora Conrad.

Capa do primeiro volume de Dragon Ball pela editora Conrad. Foto: Guia dos Quadrinhos

1º Mangá com 200 páginas lançado no Brasil


Sua Majestade o Imperador Hirohito (1989, Vox Editora)

Durante anos foi comum que os quadrinhos japoneses publicados por aqui viessem em formato de revistinha com poucas páginas por volume. Mesmo os primeiros mangás em sentido de leitura oriental, como o Dragon Ball, vieram dessa forma. Este, por exemplo, teve seus 42 volumes divididos em 83 por aqui.

Somente em meados dos anos 2000, início dos anos 2010, é que isso mudou e se tornou constante o lançamento de obras com o mesmo número de páginas que o original nipônico, geralmente com cerca de 200 páginas.

O que pouca gente sabe é que ainda em 1989, um mangá foi lançado no Brasil seguindo o número de páginas originais e em formato de livro, foi Sua Majestade O Imperador Hirohito. Possuía apenas um volume e foi lançado pela Vox Editora.

Capa do mangá. Foto: Guia dos Quadrinhos

1º Mangá com 200 páginas lançado em sentido de leitura oriental


 Mangaká: Lições de Akira Toriyama (2002, Conrad)

O Imperador Hirohito é fruto de seu tempo e foi lançado em sentido de leitura ocidental. Assim, o primeiro mangá de 200 páginas com sentido de leitura original só foi ser publicado no Brasil em novembro de 2002 pela editora Conrad, com esse volume único.

Capa do mangá. Foto: Guia dos Quadrinhos

1º mangá volume único lançado no Brasil


Pelo que foi visto nos dois itens acima, o primeiro volume único lançado no Brasil foi, obviamente, Sua Majestade o Imperador Hirohito. Já o primeiro volume único em sentido de leitura oriental lançado no Brasil foi – também obviamente – Mangaká: Lições de Akira Toriyama.


1º mangá a ser concluído no Brasil


Mai – A garota sensitiva (novembro de 1992, Abril)

O primeiro mangá (com mais de um volume) a ser concluído no Brasil Mai –  Garota Sensitiva, pela editora Abril em 1992. Existe um problema, porém. Mai é, de fato, o primeiro mangá realmente concluído no Brasil, começando em agosto de 1992 e terminando em novembro do mesmo ano, porém não é a primeira publicação de mangá completa por assim dizer.

Dois anos antes, a editora Nova Sampa havia publicado o mangá Crying Freeman como uma minissérie de quatro edições. Entretanto, a publicação da empresa não foi a obra completa. Pelo que se sabe a editora pegou um arco do mangá e o publicou, apenas isso. Então o primeiro mangá realmente completo é o Mai.

Capa do primeiro volume do mangá. Foto: Guia dos Quadrinhos

1º mangá em sentido de leitura oriental a ser concluído no Brasil


Guerreiras Mágicas de Rayearth (Junho de 2002, JBC)

Por fim, o primeiro mangá em sentido de leitura oriental a ser concluído no Brasil foi Guerreiras Mágicas de Rayearth pela editora JBC. A Fase 1 terminou em dezembro de 2001, e a Fase 2 terminou em junho de 2002, um mês antes de acabar Sakura Card Captors, mangá das mesmas autoras.

Capa do primeiro volume do mangá. Foto: Guia dos Quadrinhos

4 Comments

  • Sua Majestade o Imperador Hirohito e Mangaká: Lições de Akira Toriyama. Dois volumes únicos que eu quero mto na minha coleção
    O Lições inclusive, é o único one-shot que me falta do Toriyama

  • Mohamad

    Poxa que quadro legal!

    Fico ansioso para possíveis novos posts sobre curiosidades, uma outra sugestão, gostaria de ver um post sobre os mangás favoritos dos editores aqui do Blog, eu sempre fico curioso para aprender mais sobre os gostos de outras pessoas!

    • Faltou dizer que o mangá Sua Majestade o Imperador Hirohito tem ordem de leitura ocidental no arranjo do volume em si, mas as páginas mantém o esquema original, ou seja, não foram espelhadas. O resultado final é uma confusão, com todas as páginas tendo setas indicando a leitura certa, da direita pra esquerda.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: