Resenha: Hanako-kun e os mistérios do colégio Kamome #01

Mistérios não misteriosos

Nas obras japonesas que se passam em ambiente escolar, é comum vermos menções aos “sete mistérios da escola”, sete coisas aterrorizantes ou sem explicação que acontecem em cada colégio. Em muitos títulos, isso é utilizado apenas como uma brincadeira para uma situação pretensamente assustadora (mas que não é real), em outros é utilizado até mesmo como um chiste (como quando um personagem diz que um dos sete mistérios da escola é que outro personagem não tem namorado).

Entretanto, existem mangás que apresentam essa crendice de forma séria (no sentido de existirem de verdade no universo da obra) e um dos quadrinhos atuais que mais se destacam nesse sentido é Hanako-Kun e os Mistérios do Colégio Kamome, em que o protagonista, o jovem Hanako, não é outro senão um desses mistérios.

De autoria de Aidairo, Hanako-kun e os mistérios do colégio Kamome começou a ser publicado no Japão em dezembro de 2014 na revista GFantasy, da editora Square Enix, e ainda está em andamento, atualmente com 15 volumes publicados. A obra ganhou mais notoriedade após a exibição do anime no início de 2020.

No ocidente, o mangá chegou na esteira da animação, começando a ser publicado nos mercados por aqui entre meados de 2020 e de 2021. No Brasil, a editora Panini anunciou a obra em dezembro do ano passado e começou a publicá-la em abril de 2021, lançando um volume por mês a partir de então.

No mangá, um dos sete mistérios do colégio Kamome é a senhorita Hanako do banheiro, uma menina que fica na terceira cabine do banheiro do terceiro andar do prédio antigo da escola. Segundo a crença, batendo três vezes na porta da cabine, a senhorita aparecerá e concederá um pedido para a pessoa que a invocou. Para tanto, porém, Hanako tirará algo de muito importante da pessoa como um pagamento.

Nesse ínterim, uma garota chamada Nene Yashiro decide acreditar no boato e vai até esse banheiro em busca da senhorita Hanako e, para a sua surpresa, a lenda realmente é verdadeira, mas em vez de uma senhorita, Hanako é um jovem, com aparência de adolescente. A garota, então, resolve fazer o seu pedido e termina por se meter em uma grande encrenca, sendo salva por Hanako e virando sua ajudante a partir de então.

Na obra, basicamente, existem diversos seres sobrenaturais no ambiente escolar e todos eles sobrevivem na base crença das pessoas, modificando até mesmo o seu comportamento de acordo como os boatos se proliferam. Ou seja, um ser inofensivo pode se tornar perigoso se boatos assim começarem a se espalhar.

Seguiremos, então, com Hanako e Nene (e posteriormente Minamoto, um jovem exorcista) investigando e acabando com casos misteriosos que aparecem na escola, como o desaparecimento de objetos ou mesmo de pessoas.

Um dos seres sobrenaturais da escola

A obra mistura de maneira certa o sobrenatural, o drama e o humor, colocando em pauta as histórias e os mistérios, ao mesmo tempo em que vemos momentos de tensão e humor. Hanako, por exemplo, é um personagem ímpar, daqueles que detém um grande conhecimento e poder, ao mesmo tempo que  vive a dar tiradas engraçadas, como quando ele encontra uma revista com uma mulher peituda. Nene, por sua vez, embora tenha seus momentos de drama, igualmente vive em situações em que o leitor dará um sorriso no rosto, como quando ela coloca um sutiã com enchimento e ele cai na frente de Hanako e de Minamoto, deixando-a constrangida.

A composição desses três, juntamente com a história, faz com que o título tenha um carisma próprio e você se afeiçoe na história, querendo ler mais alguns contos. A história segue uma ordem cronológica, mas cada capítulo ou conjunto de capítulos possui uma historinha nesse volume inicial, de modo que a gente acompanha uma aventura, termina ela e passa para outra.

Como não poderia deixar de ser, porém, o volume inicial termina com uma história maior, com um daqueles grandes cliffhanger, gerando expectativa para o que virá por aí.

Embora tenha seus momentos (mais ou menos) tensos, Hanako-kun e os mistérios do Colégio Kamome é um mangá bem divertido de se acompanhar, para aqueles dias em que você deseja relaxar um pouco com uma história de fantasia mais amena.

Não sabemos como o título se desenvolve posteriormente, porém esse volume inicial mostrou a obra como agradável, de verdade. Não é nenhuma coisa de outro mundo (sem trocadilhos), mas é um título com potencial para muitas pessoas gostarem.

Os problemas dele são totalmente extra-ficção, o preço (custa R$ 29,90, como a maioria dos títulos atuais) e a periodicidade (sai um volume por mês). Para quem acompanha várias séries, esses fatores tornam-se um proibitivo para a aquisição do título, de modo que muitos (como a pessoa que vos escreve) não poderão seguir com a série.

De todo modo, se você tiver um dinheiro sobrando e quiser experimentar a obra, nós indicamos com toda certeza. Vale a pena ler ao menos o volume inicial.

Ficha Técnica

Título Original: 地縛少年 花子くん
TítuloHanako Kun e os mistério do colégio Kamome
Autor: Aidairo
Tradutor: Luciane Yazawa
Editora: Panini
Número de volumes no Japão: 15 (ainda em publicação)
Número de volumes no Brasil: 4 (ainda em publicação)
Dimensões: 13,7 x 20 cm
Miolo: Papel offwhite
Acabamento: Capa cartonada simples
Classificação indicativa: 14 anos
Preço: R$ 29,90
Onde comprar: Amazon / Loja da Panini

2 Comments

  • May

    Interessante, mas não tem mais comentários a fazer sobre a edição brasileira? Informações sobre o mangá em si a maioria dos interessados já tem, o que falta é saber como é o produto brasileiro mesmo. O que acha do papel? A impressão está legal? Revisão e edição, como ficou?

    • A foto do coelho mostra certa transparência. Para um mangá que custa 30 reais, isso é bem frustrante.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: