Estação Liberdade divulga capa e detalhes de “Entregas Expressas da Kiki”

Veja mais

A editora Estação Liberdade divulgou, por meio de seu site, a capa e os detalhes do livro Entregas Expressas da Kiki, de Eiko Kadono. O lançamento está previsto para o mês de novembro.

O livro vem no formato 14 x 21 cm e tem 236 páginas, saindo ao preço de R$ 57,00. A tradução ficou a cargo de Lúcia Hiratsuka e os desenhos da capa e do miolo ficaram nas mãos da Daniel Kondo.

As cem primeiras pessoas que comprarem em pré-venda no site da editora ganharão uma ecobag de brinde.

Entregas Expressas da Kiki foi publicado originalmente no Japão em 1985 e o livro serviu de base para o filme O Serviço de Entregas da Kiki, do estúdio Ghibli. A obra fez um enorme sucesso e com o passar dos anos, Eiko Kadono foi publicando outros livros, tornando-a uma série de seis volumes. A Estação Liberdade publicará apenas o volume original.

SinopseA história acompanha Kiki, uma bruxinha adolescente que nunca foge de um desafio. Quando seu aniversário de treze anos chega, ela está ansiosa para seguir a tradição das bruxas: escolher uma nova cidade para chamar de lar por um ano. Cheia de confiança, Kiki voa para a vila costeira de Koriko e espera que seus poderes tragam facilmente alegria para os habitantes da cidade. Mas ganhar a confiança dos locais é mais complicado do que ela esperava. Tendo a seu lado Jiji, seu fiel e perspicaz gato preto, Kiki cria novas amizades e constrói sua força interior, finalmente percebendo que a magia pode ser encontrada até mesmo nos lugares mais comuns.


SOBRE A AUTORA


EIKO KADONO nasceu em Tóquio, em 1935. Quando tinha dez anos, teve que se refugiar no norte do Japão devido à Segunda Guerra Mundial. De acordo com a própria autora, essa experiência de vivenciar uma guerra durante a infância desencadeou nela um caráter rebelde e teve um impacto profundo na sua maneira de ver o mundo.

Graduou-se em literatura inglesa na Universidade de Waseda, em 1957. Aos 25 anos, ela emigrou para o Brasil, onde viveu por dois anos, e viajou ainda por Europa e América do Norte. Após o seu retorno para o Japão, começou a publicar livros, inclusive Ruijinnyo shonen, Burajiru o tazunete [O Brasil e meu amigo Luizinho] (1970), inspirado por sua vivência em terras brasileiras. Hoje, soma em torno de duzentos títulos publicados — entre livros ilustrados, contos juvenis, antologias de ensaios e traduções — e vários prêmios.

O primeiro volume da série Majo no Takkyubin, sobre a bruxinha Kiki, foi lançado em 1985 e recebeu os prêmios Noma e Shogakukan, tendo sido também selecionado para a Lista de Honra da IBBY 1986. Em 2018, Eiko Kadono foi agraciada com o prêmio Hans Christian Andersen. O prêmio bienal é concedido a um autor cujas “obras completas deram uma contribuição importante e duradoura para a literatura infantil”.


NOS SIGA EM NOSSAS REDES SOCIAIS



3 Comments

  • Fiquei contente por finalmente ter a oportunidade de ler a estória original em que o filme se baseou, mas decepcionado por essa capa feia.
    A editora brasileira poderia ter usado aquela capa belíssima da edição japonesa da KADOKAWA SHOTEN, publicada no Japão em 23/04/2013, capa mostrada em uma matéria mostrada aqui mesmo no Biblioteca Brasileira dos Mangás.

    https://blogbbm.com/livro/kiki/

    • Eu gostei da capa da edição brasileira. Ficou original e divertida, digna de um livro infantil. E a julgar pelos créditos na capa, acho que o livro vai ter ilustrações internas também.
      E eu tbm acho a edição de 2013 muito bonita, mas as vezes eu acho ela meio distante do que a história passa. A Kiki nas capas parece uma boneca de porcelana. A capa da edição BR é mais dinâmica nesse quesito

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: