BBM Lista – As vezes que os japoneses revelaram a publicação de um título no Brasil

Que ainda não tinha sido anunciado

Nesta semana, tivemos uma empresa japonesa revelando por meio do Twitter que uma empresa brasileira iria lançar um mangá. A editora não tinha anunciado o título ainda, então ficamos sabendo por meio de uma outra fonte a publicação do título por aqui.

Mas, por mais insólito que isso pareça, não é a primeira vez que isso aconteceu. Hoje o Blog BBM vem listar as vezes que os japoneses revelaram a publicação de um título no Brasil que ainda não tinha sido anunciado. Vem ver :).


  • GATE 7: em 2011, o site oficial do CLAMP divulgou que a editora NewPOP seria a empresa responsável pela publicação de seu mangá GATE 7 no Brasil. Na ocasião, o título ainda não tinham nem um volume publicado. O anúncio oficial por parte da editora brasileira só foi acontecer um ano depois. Ao que consta, apesar do site das autoras ter divulgado, o contrato ainda não tinha sido assinado na época.
  • NO GAME NO LIFE: em 2014, Yuu Kamiya, autor de No Game No Life, revelou por meio de sua conta pessoal no Twitter que tanto a light novel, quanto a adaptação em mangá seriam publicados no Brasil. O autor não comentou o nome da empresa. Posteriormente, a NewPOP anunciou o título por aqui. O curioso é que, segundo a editora, quando Kamiya divulgou a notícia do licenciamento, ela não sabia que havia sido a escolhida^^.
  • A Tragédia da Princesa Rokunomiya: em 2021, a editora Seirin Kogeisha divulgou por meio do Twitter que o mangá Flight, de Kuniko Tsurita, seria lançado no Brasil. A editora japonesa não informou o nome da empresa brasileira. Posteriormente a editora Veneta anunciou a obra e a lançou por aqui com o nome de A Tragédia da Princesa Rokunomiya.
  • Rooster Fighter – O Galo Lutador: em 2021, um site japonês entrevistou a editora Hero’s falando do sucesso de Rooster Fighter e a empresa revelou que estava recebendo propostas de diversos países, entre os quais o Brasil. Um tempo depois, a editora Panini anunciou o título no Brasil.
  • Elden Ring – O Caminho para Térvore: agora em 2022, um site japonês divulgou que o mangá de Elden Ring seria publicado em diversos países do mundo, indicando, inclusive, o nome da editora. O Brasil estava no meio, com a Panini sendo a responsável. Não tardou e a Panini anunciou o título, já começando a publicar a obra em formato digital, em capítulos, quase simultaneamente com o Japão.
  • Hikaru ga Shinda Natsu: agora em 2022, um mês atrás, Ren Mokumoku, responsável pelo mangá Hikaru ga Shinda Natsu, seria lançado no Brasil e em diversos outros países. Mokumoku não revelou o nome da editora na época. Nesta semana, porém, a editora japonesa, por meio do Twitter oficial da obra, divulgou o nome das empresas e a Panini foi a editora que conseguiu a licença no Brasil. A empresa anunciou oficialmente a obra poucas horas depois.

Esses são os casos que o BLOG BBM recorda. Você se lembra de mais algum que não está presente nesta lista? Nos diga nos comentários^^.


NOS SIGA EM NOSSAS REDES SOCIAIS



2 Comments

  • Anônimo

    Eu iria achar engraçado caso o mangá/novel fosse anunciado e depois houvesse um cancelassem o lançamento kkkkkkk

    • Anônimo

      Se eu não estiver enganado, isso já aconteceu. Principalmente com os títulos da Conrad e da Nova Sampa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: