XXX Holic – CLAMP PREMIUM COLLECTION (Edição Japonesa)

Saiba como é

Desde 2021, o grupo CLAMP começou a ter algumas de suas obras republicadas no Japão pelas editoras Kodansha e Kadokawa Shoten, em uma coleção chamada de CLAMP Premium Collection. Tal coleção consiste no lançamento de algumas de suas séries com novas capas e em um formato similar, buscando uma “harmonização” entre as obras.

Atualmente três títulos já fazem parte da coleção: XXX Holic (Kodansha), Tokyo Babylon (Kadokawa Shoten) e Guerreiras Mágicas de Rayearth (Kodansha). Até o momento, as coleções têm seguido o número de volumes originais, assim, por exemplo, Holic teve 19 volumes, do mesmo modo que na primeira publicação.

Adquirimos o primeiro volume de XXX Holic – CLAMP Premium Collection e viemos mostrá-lo para vocês em detalhes, falando do tamanho, da qualidade, etc.


XXX HOLIC – CLAMP PREMIUM COLLECTION


XXX Holic – CLAMP Premium Collection foi publicado no chamado formato B6 (cujo tamanho é mais ou menos 13 x 18 cm) e, pelas informações do site da Kodansha, trata-se do mesmo tamanho da primeira publicação japonesa.

Para quem não conhece o tamanho dos mangás, ele é menor que os títulos em formato padrão da JBC e da Panini, sendo similar a Given, Dead Dead Demon’s Dededede Destruction, Fruits Basket – Edição de Colecionador e InuYasha Wideban.

Comparação de tamanho

Assim como é comum em todos os mangás do Japão, XXX Holic – CLAMP Premium Collection é publicado com sobrecapa. Entretanto o material usado na sobrecapa é diferente dos demais mangás.

Nos títulos comuns, as sobrecapas (tanto de mangás do Japão, quanto de outros países) costumam ser em papel couchê (aquele papel “plástico”) ou similar, mas a sobrecapa de Holic é em um papel diferente, mais grosso e com um toque mais sublime, que dá a sensação de você estar manuseando algo realmente “premium”.

Vejam algumas imagens:

Capa. Por cima dela há um “obi”, uma faixa de propaganda, também comum em mangás japoneses.
Capa sem o obi
Quarta-capa (parte de trás do mangá) com o obi
Quarta-capa (parte de trás do mangá) sem o obi
Lombada do mangá com o obi
Lombada do mangá sem o obi
Sobrecapa aberta

A capa abaixo da sobrecapa é feita em um material similar aos títulos de capa cartão convencional, sendo levemente mais mole. Internamente, o mangá possui oito páginas coloridas em papel couchê. A título de informação, o papel couchê usado nelas é mais grosso do que o usado em mangás do Brasil.

Capa do mangá sem a sobrecapa
Quarta-capa do mangá sem a sobrecapa
Capa interna e primeira página colorida
Segunda e terceira páginas coloridas
Quarta e quinta páginas coloridas
Sexta e sétima páginas coloridas
Oitava página colorida e primeira página em preto e branco

O papel utilizado nas páginas em preto e branco é algum do tipo offwhite (da mesma família do pólen, do avena, entre outros), meio fino (mas nem tanto) e que é um tanto “rugoso” no toque. Entretanto quando você passa a mão no corte do mangá ele é bem liso, sendo ótimo de se manusear.

Capa interna da parte de trás do mangá
Página com créditos
Última página de história

Por fim, um detalhe interessante é que o mangá vem com um brinde, um cartão postal com a imagem de capa da primeira publicação japonesa. Vejam a seguir:

Postal de brinde com a imagem da capa da primeira edição
Parte de trás do postal

E O VEREDICTO? 


Achei a edição muito bonita e bem melhor do que outros mangás japoneses que possuo. É uma edição bem feitinha e que seria muito legal tê-la no Brasil, em formato semelhante, com cada detalhe. Não sei se isso seria possível. De todo modo, fica a nossa torcida.

No mais, caso você queira comprar o mangá em japonês, há uma lojinha na Shopee vendendo (clique aqui). Em geral, após a compra demora cerca de 30 dias para ser enviado.


NOS SIGA EM NOSSAS REDES SOCIAIS



2 Comments

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: