“Tekkon Kinkreet”: reimpressão já se encontra em pré-venda

Veja o novo preço

A prometida reimpressão do mangá Tekkon Kinkreet, de Taiyo Matsumo, já está para acontecer. A editora Devir prepara o lançamento da nova leva de exemplares para o dia 6 de abril de 2020. Como era esperado, o preço sofreu uma alteração e agora o mangá custa R$ 115,00.

Você já pode adquiri-lo em pré-venda e com desconto, na Livraria da Travessa, por R$ 93,15, clicando aqui. Na Amazon, a página da reimpressão já existe (clique aqui), mas no momento em que esta postagem vai ao ar ainda não está dando para encomendá-lo.

A edição possui 620 páginas no total, no formato 17 x 24 cm, com miolo em papel Munken Print Cream e capa cartonada com sobrecapa.

Tekkon Kinkreet é de autoria de Taiyo Matsumoto e foi publicado no Japão entre 1993 e 1994 na revista Big Comic Spirit, da editora Shogakukan, sendo concluído em um total de 3 volumes. No Brasil, a obra saiu pela primeira vez em 2001 pela editora Conrad com o nome Preto & Branco, custando R$ 24,00 por volume, um preço extremamente alto para a época.

Em 2018, a editora Devir relançou a obra em uma edição reunindo os três volumes em apenas um só, tendo custado na época R$ 94,00.

Sinopse:  Numa cidade de “ferro” e “concreto” (significado em japonês de Tekkon Kinkreet), vivem personagens também implacáveis e indomáveis. Kuro (o preto) e Shiro (o branco) são órfãos. Para sobreviver, eles têm de roubar, lutar e se esconder em um mundo sombrio, solitário e corrupto, onde a própria cidade os afaga ou os despreza, como se fosse um ser vivo. O soberbo desenho de Matsumoto, rico em pequenos detalhes, traduz fielmente o ambiente desta história que pode se tornar angustiante, mas que ao mesmo tempo nos emociona e nos liberta. Vencedor do Prêmio Eisner de “Melhor Edição Internacional – Japão” em 2008. Tekkon Kinkreet foi adaptado para o cinema em um longa-metragem animado com direção de Michael Arias e produção do Studio 4º C/Sony. Em 2008, este foi escolhido como a “Animação do ano” pela Academia do Japão, além de vencer nas categorias de “Melhor História Original” e “Melhor Direção de Arte” na Tokyo International Anime Fair.

2 Comments

  • RPM Souza

    Nunca que essa edição da Devir vale isso! Vou ver se encontro uma edição em inglês.

    • Lucas Costa

      A edição americana é espelhada. Estou colecionando as obras do Taiyo Matsumoto (peguei Sunny, em breve sai Ping Pong) e até hoje não peguei esta por causa deste problema. Estava até pensando em pegar essa da Devir, apesar dos problemas. Tomara que saia em um novo formato por lá.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: