Comentando os títulos anunciados pela editora Panini

Opinando sobre os anúncios

Entre os dias 24 e 28 de maio, a editora Panini anunciou cinco novos títulos para serem lançados ainda em 2021, especificamente no mês de agosto.

Neste post, irei comentar brevemente sobre os títulos (dizer se o conheço ou não) e falar se pretendo colecionar alguma das obras anunciadas.


A História Secreta de Konoha


O primeiro anúncio foi a light novel A História Secreta de Konoha. Na semana anterior, o título já tinha vazado pelo registro no ISBN, então não chegou a ser uma novidade para quem já tinha visto.

Trata-se de mais um livro da série Naruto Hiden, pertencente à franquia Naruto, sendo a quarta novel dessa série e a quinta da franquia a aparecer no Brasil. Como não acompanho a obra original, esse romance eu não pretendo adquirir, assim como fiz com os outros livros da série que também deixei de lado.

Sobre o anúncio em si, particularmente acho muito bom que a Panini continue trazendo mais novels. Embora ainda sejam apenas de Sword Art Online e Naruto, isso pode abrir portas para outras franquias no futuro.

Custa R$ 39,90, assim como a maioria das novels da editora.


Ao no Flag


Na terça-feira, a editora Panini anunciou o azul-tamanduá conhecido de todos, Ao no Flag, de Kaito. Obra completa em 8 volumes no Japão, o título foi publicado no site Shonen Jump +, da editora Shueisha, e agradou muita gente desde o início.

Um detalhe extra-narrativa que chama a atenção é que após um certo ponto da história, Ao no Flag foi alvo de um chilique de pessoas preconceituosas na internet, que não gostaram de certos acontecimentos no mangá.

A vinda do título não chega a ser uma surpresa, pois recentemente foi anunciado na Argentina e mais recentemente ainda foi anunciado no México, então meio que ele já era esperado por aqui, seja pela Panini, seja por qualquer outra editora.

Apesar de conhecer o título e saber de sua existência desde muito tempo, eu nunca li Ao no Flag e só conheço a premissa básica. Agora que a obra chegou ao Brasil era a oportunidade perfeita de conhecê-la.

ERA. Assim como a maioria dos demais mangás, ele custará R$ 29,90 e sairá de forma mensal (um volume por mês), o que impossibilita que eu entre nessa aventura. Tudo bem que são só oito volumes, mas é inviável colocar esse valor no orçamento durante oito meses seguidos, sendo que ainda este ano começam a sair obras que eu tenho grande apreço e que devem vir na mesma faixa de preço. Portanto, Ao no Flag está descartado. Depois que a coleção estiver completa e houver uma boa promoção (ou alguém tiver vendendo usado por um bom preço) aí eu penso com carinho em adquirir ela.

Sobre o anúncio em si, eu acho muito bom que ele tenha vindo. O mercado brasileiro precisa de mais e mais obras diferentes e pelo que ouço falar, parece que Ao no Flag foge um pouco da esfera do que é publicado por aqui.


Yuki – Vingança na Neve (Lady Snowblood)


Na quarta-feira, a Panini anunciou Lady Snowblood. Ele já foi lançado no Brasil no passado pela editora Conrad em seis volumes com o nome de Yuki – Vingança na Neve. A nova versão – editada pela Panini – será completa em 4, com mais páginas por edição e custará R$ 39,90. Assim como Ao no Flag, sairá um volume por mês.

O retorno do mangá não é uma surpresa, pois anteriormente a editora Pipoca & Nanquim havia divulgado que tinha tentado a licença da obra, mas ela acabou parando nas mãos de outra editora, que agora descobrimos ser a Panini.

Esse eu não pretendo comprar por temática mesmo. A trama não me apetece em nada e, para o meu gosto, comprar a obra seria gastar dinheiro à toa. Tenho quase certeza de já ter lido o primeiro volume da versão da Conrad, mas não me lembro de nada, então não me marcou.

Sobre o anúncio em si, particularmente eu preferiria outro dos autores. Embora o gênero não me agrade, eu reconheço a importância de Kazuo Koike e Kazuo Kamimura e acho que obras inéditas deveriam ter vez para incrementar o catálogo nacional, principalmente de Kamimura, que só teve, justamente, Lady Snowblood publicado no Brasil.

É claro que quem é fã adorará ter uma nova versão, melhorada, da obra. Mas para o mercado eu preferiria uma novidade mesmo.


Rooster Fighter


Anunciado na quinta-feira, esse é o famoso mangá do galo que anda pelo mundo trepando com galinhas e derrotando monstros malvados. Se você acompanha este blog você já sabia que cedo ou tarde ele apareceria no Brasil por alguma editora. Esperávamos pela JBC, mas veio pela Panini. Só tem um volume no Japão atualmente e segue em andamento por lá.

Eu li os três primeiros capítulos do mangá e gostei, é uma daquelas histórias meio-galhofa que “parodia” aqueles shonens de batalha populares, colocando um galo errante e superpoderoso como protagonista.

Como ele seguirá uma periodicidade bastante irregular esse eu pretendo comprar, pois dá para encaixar no orçamento aqui e ali. Não devo comprar no lançamento, porém.

Tendo em vista que só tem um volume no momento, eu imagino que as chances de ele sumir de uma hora para outra são menores e, assim, eu consigo esperar um tempo e pagar um valor mais em conta. Eu gostaria de pagar menos de R$ 20, mas se eu vir por uns R$ 24 ou R$ 23 eu poderei encarar. O preço de capa é R$ 29,90.

Sobre o anúncio, eu gostei que ele foi anunciado tão cedo e adoraria que mais mangás fossem licenciados assim, tão rapidamente. Claro que bate o medo de ele ser mais um Seton ou Batman & A Liga da Justiça que só tiveram um volume lançado para nunca mais, mas mesmo assim eu gostaria que fosse algo mais constante. Porém, não é assim que funciona…


Dorohedoro


Na sexta-feira, o último anúncio da Panini foi o popular Dorohedoro. Eu já ouço falar dessa obra há muito tempo, antes mesmo da existência do anime e de ele se tornar popular. Antes da animação, inclusive, eu achava que ele não tinha chance nenhuma de aparecer no Brasil, depois do anime meio que virou uma questão de quando e de quem a traria. Veio pela Panini.

Apesar de eu conhecer o título há muito tempo e ver pessoas falando sobre ele, eu nunca li a obra e nem vi o anime (tá na minha lista da Netflix, mas nunca ficou como prioridade), de modo que fora a premissa, eu não conheço nada do título.

Ele é completo em 23 volumes e virá por R$ 29,90, sendo lançado um volume por mês. Assim como Ao no Flag ele está descartado da minha lista de compras. Quando ele acabar de ser publicado por aqui, a gente vê o que faz.

Sobre o anúncio em si, apesar de não o comprar eu achei muito bom. Ele era uma das obras populares e pedidas que precisavam aparecer no Brasil para incrementar o mercado ainda.


Em resumo:

  • 2 obras eu não vou comprar porque não me interessam.
  • 2 obras eu não vou comprar por serem mensais e custarem R$ 29,90.
  • 1 obra eu irei comprar (em promoção) por só ter um volume e ser publicado de forma irregular.

12 Comments

  • musck29

    Vou pegar somente a novel do Naruto pra manter a coleção em dia, os outros títulos não despertaram meu interesse e já tenho bastante coisa em andamento.

  • MrSouzaR

    Tenho uma opinião bastante impopular sobre mensais. Acho que por um lado foi um acerto colocar mais títulos mensais, pois isso evitaria/diminuiria eventuais reajustes que estão cada vez mais frequentes e mais custosos, coisa que títulos bimestrais sofrem com muito mais frequência. Por outro lado, pagar de 30 a 40 reais em um único exemplar todo mês pesa muito no bolso e, como conhecemos o histórico de reposição da Panini, isso vai ser bem complicado. Desses aí só vou pegar a novel de Naruto, talvez eu atualize minha coleção de Yuki.
    De resto passo longe, acho que é até um tiro no pé colecionar o mangá do galo, vai que esse troço vira um One Piece da vida com os últimos volumes custando 100 reais a preço de capa.

  • Mohamad

    Títulos interessantes, junto com bons anúncios da JBC (que não confio), tem mais ou menos um ano que eu só compro coleções fechadas de uma vez, sinto que é melhor para o bolso, hoje coleciono 4 obras em andamento e fechei uma promessa de no máximo colecionar até 3, então até acabarem duas das minhas obras eu não pegarei nenhuma dessas.

  • Lucas Costa

    A frustração em saber que Dorohedoro virá no formato básico da Panini, que ainda não valoriza a arte da autora, me fez desistir de colecionar (já não pego mais nada, então minha consciência está mais tranquila). Uma pena.

    • Anônimo

      Se viesse em outro formato seria mais caro e ai as pessoas iam reclamar, não da para agradar gregos e troianos.

      • Lucas Costa

        Duvido muito, Beastars com tamanho maior custando o mesmo preço. E por se tratar de uma obra seinen, era o mínimo a se fazer.

    • Natanael Floripes

      Como você já anunciou que não compra nada, sua opinião tornou-se completamente irrelevante pra quem publica.

  • Marcelo

    Adorei esses anuncios da jbc e panini, n vou gastar grana em nenhum! No máx com o my broken Mariko se achar com uma promo massa.

    Consumidores: pare de aumentar o número de títulos mensais!
    Panini: ovo anunciar 5 títulos, nos quais 3 deles vão sair mensalmente e os 2 só n vão sair assim pq só tem um volume muahahahaha

  • Herbert

    Nenhum me interessa, as únicas coleções atuais que tenho são Ajin e Terraformars (hiato eterno), esperava ver One Outs por aqui no brasil.
    Nenhum mangá atualmente me interessa.O bolso respira ainda mais com esses valores de mangás.

  • Legal ver que a Panini não tem piedade do bolso dos consumidores com esses anúncios mensais. Fora um título ou outro, a Panini não consegue ter um estoque decente e obriga quem quer ler a comprar fielmente quando sai e quem espera por promoções pode corre o risco de ficar com um buraco na coleção. Por isso mesmo, talvez leve o do galo (quando eu ver que a Panini realmente pretendo publicar os novos volumes eventuais) e, quem sabe, muito dificilmente Ao no Flag numa mega promoção (Muito dificilmente, já que já deixei de comprar outras obras que me interessavam mais quando o padrão ainda era R$25,00 bimestrais).

    Mas o que mais me chamou atenção essa última semana foi o show de republicações. Só no Brasil mesmo pra se publicar tanto e ao mesmo tempo não se publicar nada.

  • Rael

    Tenho interesse em conhecer Ao no Flag e de colecionar Dohoredoro (descobri a obra através de uma recomendação no icônico Yahoo! Respostas, quando buscava indicações de títulos bons pra ler lá por 2012 kkkkk já vibrei no primeiro capítulo) mas no momento sem condições, já tô sobrecarregado. Quem sabe ano que vem com boas promoções.

  • ELIZABETH CRISTINA ROCHA DE AGUIAR

    Esse anúncios passaram batidos pra mim, Ao no Flag até interessa, mas sem recursos e vontade de passar raiva com a Panini com mais uma obra

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: