JBC divulga a capa nacional e o preço de “Shaman King”

Saiba mais

Durante uma live realizada na noite desta sexta-feira, 9 de julho de 2021, a editora JBC divulgou a capa nacional do primeiro volume da nova edição brasileira de Shaman King, bem como algumas imagens extras. Vejam a seguir:

Capa nacional
lombada
Imagem da sobrecapa
Capas (que ficam abaixo da sobrecapa)
Capas internas terá as imagens das capas antigas
Capas internas terá as imagens das capas antigas

Também foi revelado o preço da edição brasileira, custará R$ 69,90 por volume. O primeiro já está em pré-venda na Amazon com 30% de desconto, saindo por R$ 48,90. Clique aqui para comprar.

Esse desconto de 30% vale apenas por uma semana. Depois o desconto cairá para 20%.

***

A edição brasileira compila os 35 volumes originais em apenas 18 tomos e ele vem no formato 15 x 21 cm (mesmo de Paradise Kiss e Banana Fish), miolo em papel offset 90g e capa cartonada com sobrecapa. Além disso, terá o chamado “verdadeiro final”.

O primeiro volume tem 392 páginas e a periodicidade deve ser bimestral. O lançamento está previsto para o final de agosto.


Shaman King é de autoria de Hiroyuki Takei e foi publicado no Japão entre 1998 e 2005 nas páginas da revista Weekly Shonen Jump, da editora Shueisha, sendo concluído em um total de 32 volumes. Posteriormente, o autor relançou a obra na chamada edição Kang Zeng Bang, desenvolvendo outros capítulos, o que ele chamou de O Verdadeiro Final. Nos últimos anos, o autor entrou em litígio com a Shueisha e levou Shaman King para a editora Kodansha, onde a obra ganhou uma edição em 35 volumes.

No Brasil, a editora JBC publicou a obra entre 2003 e 2006 seguindo a primeira versão de Shaman King. Foram 64 volumes ao todo. Agora a obra volta em uma nova versão.

Sinopse Manta Oyamada é um garoto normal, que gosta de estudar e de descobrir o significado de novas palavras. Um dia, atrasado para pegar o último trem, ele resolve cortar caminho pelo cemitério. E não é que ele se depara com uma porção de espíritos e um garoto que conversa com eles? No dia seguinte, na escola, Manta encontra o mesmo garoto e descobre que ele acabou de chegar à cidade e vai estudar em sua sala. Seu nome é Yoh Asakura. O moleque, que parecia apenas desligado da vida, conta a Manta que, na verdade, possui poderes inimagináveis: ele vê e conversa com espíritos! E o mais supreendente é que Yoh pode incorporar essas almas e usar as habilidades especiais de cada uma delas. Isso tudo por que ele é um Xamã, ou seja, uma pessoa que tem o poder de conectar o Mundo dos Vivos ao dos Mortos. Com esta habilidade, Yoh ainda dá uma mãozinha para espíritos que não conseguem se desprender desse plano por algum assunto que deixaram pendente em vida.

12 Comments

  • Horia Sima

    Inicialmente pensei “preço justo, gostei”…… Aí percebi que a edição não era 3 em 1 e sim 2 em 1. =/

  • Ken-Oh

    Velho 70 conto é o preço do Dragon Ball edição definitiva com capa dura e papel couchê. Ae a JBC me lança um capa cartão com off set s esse mesmo preço. Se lascar meu amigo. Literalmente fazendo o consumidor de trouxa. Nem se Shaman King fosse essa obra toda.

  • ringoroadonceagain

    Pra mim o formato super luxuoso é compreensível pelo fato de ser uma edição definitiva
    A JBC já lançou uma edição baratinha da obra, então faz mais sentido fazer uma edição pika agora, para que, daqui pra frente, ela apenas tenha o trabalho de reimprimir, e não de republicar novamente…

  • Anônimo

    pessoal… esse preço é porque o shaman king ta vindo num formato mais caprichado que haikyuu… além de ser uma edição maior em tamanho (as dimensões de haikyuu é 13×20 e as de shaman king é 15×21), é em papel offset 90g (haikyuu é o polén, não tenho tanto conhecimento na área gráfica pra saber se isso afeta muito o custo) e tem sobre capa com orelhas (haikyuu é só a capa cartão mesmo, não tem sobre capa)… o preço não é colocado só pelo número de páginas, acho que, se fosse reclamar de alguma coisa, teria que ser do formato que escolheram e encareceu o mangá. esse preço é um reflexo do formato… eu prefiro a edição de haikyuu por causa do valor final, o que der para baratear pro consumidor, melhor, mas ontem ainda tinha um pessoal na live da jbc reclamando que queria a edição com orelha.

    • Anônimo

      * o que não dá é pra reclamar do valor, porque ele está condizente com a edição (só pra esclarecer)

    • Ken-Oh

      Blz cara. Mas se tu for ali na Panini e pegar o Dragon Ball edição definitiva q é capa dura e papel couchê e tá o mesmo valor, n tem como n ficar indignado.

      Po o DB edição definitiva tem um formato muito superior e tá no mesmo valor. De 2 umas: ou vem reajuste ou a Jbc acha q o leitor é trouxa.

      • Anônimo

        mas tu ta comparando a panini com a jbc? ta certo que são as maiores editoras de mangá do brasil, mas só a tiragem, que deve ser elevada pra dragon ball kanzenban, já deve baratear muito o custo de produção da panini (ainda que seja para um publico alvo nichado, com melhores condições financeira. acredito que o mesmo deve acontecer com o cavaleiros do zodiaco kanzenban da própria editora jbc, quantos fãs deve ter dos cavaleiros comparado com o de shaman king? com certeza o número é bem superior), fora que não tem como saber como se deu o processo de contrato das obras ou com a gráfica e os tempos em que começou a ser publicado eram outros (a panini ta conseguindo manter o preço desde o lançamento, enquanto a jbc teve que aumentar o valor do kanzenban… como a panini conseguiu?)… não sabemos como foi a estratégia de mercado deles… se for pensar assim, a pipoca e nanquim, por exemplo, publicou tomie quando já tinha publicado o satsuma gishiden com mais páginas, quase 80 de diferença, e num preço bem próximo. nesse caso, os dois títulos possuem um projeto gráfico igual, então também estariam passando a perna na gente? como títulos no mesmo formato, com essa diferença de páginas possuem preços tão próximos? o quanto o valor do papel deve ter aumentado do ano passado para cá? todas as editoras vêm falando que foi muito e isso ainda varia dependendo do tipo de papel, alguns aumentaram mais e outros menos (satsuma foi lançado no meio do ano passado e tomie no começo desse ano)… não tiro o mérito de quem acha caro, eu acho caro também, mas é bem dificil julgar na situação que se encontra o mercado atual… então eu digo que, por causa disso, é pra aceitar tudo? com certeza não, é bom questionar mesmo.

    • Anônimo

      Cara o pessoal do Pipoca e nanquim, mesmo com uma tiragem menor e qualidade mil vezes maior vende mangas pela metade desse preço ai, o que a JBC ta querendo fazer é o consumidor de trouxa isso sim, não pago nem ferrando

      • Anônimo

        rapaz, concordo contigo na parte de tiragem e qualidade dos produtos da pipoca e nanquim, mas o preço é nessa faixa mesmo… acho que a jbc tinha que ser mais transparente em como chegou nesse valor, até pra não deixar tantas dúvidas, porque é como eu disse no comentário anterior: a jbc não é uma editora pequena, mas existem muitas variáveis na hora de estabelecer um preço no mangá (acho que como ela é uma das editoras mais próxima do consumidor da pra fazer isso de boas)… será que a editora se baseou nesses preços achando que ninguém iria questionar? será que fizeram uma tiragem menor dessa vez acreditando que o shaman king tem um formato diferente e um público menor que outras obras de peso? será que podiam ter feito uma negociação melhor na gráfica ou com os japonese?

  • Anônimo

    70 reais, repito, 70 REAIS numa edição 2-em-1. Que ridículo JBC. Haikyuu é 2-em-1 e custa 50 reais. Com esse preço era melhor lançar cada volume individualmente

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: