Resenha: “O Jardim das Palavras”

Mais Makoto Shinkai..

O Jardim das Palavras foi o filme de Makoto Shinkai que mais detestei até o momento. Basicamente, em menos de cinco minutos eu consegui dormir na primeira vez que tentei assistir. Na segunda vez também não tive muita sorte. Na terceira e na quarta também. Salvo algumas exceções eu definitivamente não gosto dos filmes desse diretor.

Entretanto, por outro lado, eu adoro as adaptações em mangá. Elas corrigem aquele clima meio lento em algumas obras, deixam certas coisas mais claras, expandem passagens que ficaram meio abruptas nas películas, dentre diversas outras coisas. A linguagem dos quadrinhos por si só fazem as histórias que Shinkai quer contar me apetecer melhor, claro, isso graças aos artistas responsáveis pelos mangás, que conseguem adaptar o roteiro muito bem para esse tipo de mídia. Com O Jardim das Palavras não foi diferente e desde a primeira leitura, o título fluiu muito bem.

Na obra acompanhamos um estudante chamado Takao Akizuki que (em um dia de chuva) decide faltar às aulas e se abrigar em um jardim da cidade. No local, porém, ele encontra uma mulher, alguns anos mais velha, sentada em um banco. Os dois passam a conversar rotineiramente a partir daí, sempre em dias de chuva.

Apesar de serem de mundos bastantes distintos (um mundo supostamente do “estudo” e outro supostamente do “trabalho”) eles conviviam ali como se fosse um local à parte, em que pudessem conversar e se alegrar por alguns instantes. Não sem surpresa, os dois passam a ter uma relação bem íntima, em que a troca de palavras vai deixando um mais próximo do outro, ao ponto de o garoto até contar para ela o seu sonho mais secreto.

Entretanto, seus problemas pessoais permaneciam a existir. O momento da conversa era algo separado da realidade e eles não ficavam ali para sempre. O mundo real sempre vinha visitá-los e aquela velha trava da impossibilidade se abatia sobre ambos. O sonho do garoto era uma profissão muito difícil e completamente aleatória, de modo que ninguém veria com bons olhos essa escolha para a vida do rapaz. A moça, por sua vez, parecia ter um trauma daqueles bem intensos em seu emprego, que parecia transformar a vida dela de um jeito irreversível.

Ainda assim, o convívio dos dois, as conversas que eles têm, fazem com que eles consigam se sentir um pouco melhor, fazendo-os agir, de uma forma ou de outra. O garoto, por exemplo, decide seguir firme em seu sonho.

Nem tudo pode ser mudado com palavras, porém. O aspecto de tristeza da mulher, por exemplo, é evidente em toda a obra e isso não muda com o desenrolar dos acontecimentos, porque sua vida profissional e as pessoas que a compõem continuam as mesmas.

Quando tudo vem à tona e os sentimentos de ambos afloram é nesse momento que acontece uma das viradas da história e o mangá termina de uma forma melancólica, mostrando a crueldade das pessoas e o quanto as ações (tanto as positivas, quanto as negativas) podem influenciar a vida de alguém. Ainda assim, o final é feliz, pois ambos se mostram contentes, batalhando por seus objetivos.

O Jardim das Palavras é um mangá que conta uma história bem típica de Makoto Shinkai, apresentando mais um drama intenso de pessoas comuns que, de uma maneira ou de outra, acabam se envolvendo com uma sociedade que não os quer, ou que não lhes recebe bem, bem ao estilo Ela e o Seu Gato.

O Jardim das Palavras não é o melhor mangá adaptando um roteiro de Makoto Shinkai, mas as mensagens que a obra quer passar estão lá e uma das mais claras é que guardar tudo para si pode ser um erro, pois muitas vezes precisamos de alguém para nos dar forças para continuar a luta por dias melhores. Não obstante, a obra é bem desenvolvida e nos apresenta uma trama bastante intimista e que nos faz refletir sobre nossos sonhos, o desejo de perseverar, bem como a crueldade humana para com as pessoas que se destacam. É sim uma obra que vale a pena conhecer…

O mangá O Jardim das Palavras tem como responsável Midori Motobashi e teve seus capítulos publicados entre abril e outubro de 2013 na revista seinen Afternoon, da editora Kodansha, sendo compilado em apenas um volume. No Brasil, foi anunciado pela editora NewPOP no início de 2016 e publicado em julho do mesmo ano.

Ficha Técnica

Título Original: 言の葉の庭
Título: O Jardim das Palavras
Autor: Midori Motobashi (baseado em roteiro de Makoto Shinkai)
Tradutor: Sayuri Tanamate
Editora: NewPOP
Dimensões: 12,8 x 18,1 cm
Miolo: Papel offset
Acabamento: Capa cartonada, com algumas páginas coloridas em couchê
Classificação indicativa: 16 anos
Preço Sugerido: R$ 16,00
Onde comprarAmazon / Comix

2 Comments

  • Marcelo

    Acho um romance bem sem sal e uma trama bem comum, o que salvou minha leitura foi a finalização.
    E acho que prefiro o filme pela animação, mas a obra em nenhuma mídia me encantou.

  • musck29

    Eu tenho uma grande tendência de gostar mais dos mangás que são adaptações de filmes do que das obras originais…no caso de Jardim das Palavras, não é um 10 mas pra mim é um 7…foi melhor do que eu a expectativa que eu tinha quando comprei, gostei bastante!!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: