Panini confirma Slam Dunk

Slam.Dunk_.full_.17742731

Uma das maiores obras do Japão de volta ao Brasil!

migA Panini confirmou hoje que irá publicar Slam Dunk, de Takehiko Inoue, mesmo autor de Vagabond. A informação já havia sido divulgada extra-oficialmente pelo site O vício e já estava em pré-venda na loja online Universo Lúmina.

Lançado na década de 90, Slam Dunk é um dos maiores sucessos no gênero shounen de esporte do Japão. Chegou a ser lançado completo no Brasil, todos os 31 volumes, pela Conrad entre 2005 e 2008.

O anúncio não é uma grande surpresa, já que já havido sido informado que a Panini havia adquirido direitos exclusivos com o autor. A vinda de Slam Dunk dá esperanças àqueles que gostariam de ver outras obras do autor no Brasil, como Real.

A história de Slam Dunk gira em torno do clube de basquete do colégio Shohoku. Com o início do novo ano, o time perde jogadores que se formaram e por isso começa a recrutar novos interessados. Entre eles está Sakuragi, um rebelde encrenqueiro que já levou mais de 50 foras das garotas, mas que se acha um gênio e a salvação do time. Só que na verdade está apenas tentando se mostrar para Haruko, a garota de seus sonhos e irmã do capitão! Entre muitas trapalhadas, brigas e confusões, o time de Sakuragi fará de tudo para alcançar as finais do campeonato nacional.

hqdefault

No Japão a série foi lançada em dois formatos, um com 31 volumes e  o outro, Kanzenban, com 24.

A Panini ainda não confirmou nem o formato e nem o preço que o mangá terá no Brasil, então ainda teremos que esperar mais um pouco para saber se o preço divulgado extra-oficialmente (R$ 12,90) é real ou não.

BBM

21 Comments

  • erro not found

    tem que ser no formato de vagabond ou até mesmo o kanzenban , nada de papel de limpar bunda . foda-se quem é pobre e não pode comprar (só temos mangás em papel jornal porque os otakinhos são na maioria um bando de pobre )

    • Existem preconceitos de tudo neste mundo! Até com OTAKU que não tem como pagar caro em um mangá. Todos tem direito de ler e colecionar mangás!

      • Roses

        Olha, não que eu concorde com o cara acima, mas não tem “direito” nenhum nessa história. Mangás são produtos, não é uma questão de direito, é uma questão de se ter dinheiro para pode arcar com o que você quer.

        Dizer que tem que ser barato pois todos têm o direito de ler e colecionar mangá é como dizer que a Apple tinha que baratear seus produtos, pois todos têm o direito de ter iPhones. Não faz muito sentido…

        • KT

          Ou seja, se os “otakus são um bando de pobres”, a editora vai ter que disponibilizar seus produtos no nível mais acessível possível. “Mangás são produtos”, têm que dar o máximo de lucro. A Panini vai fazer uma bela de uma pesquisa de mercado, se eles decidirem que o melhor pra eles é a impressão x ou y, não tem como reclamar. Portanto, que venha Slam Dunk e ponto final.

    • SIRIUS BLACK

      Cara, você mesmo sendo um idiota ao fazer um comentário babaca deste nível, o que tenho a dizer sobre isso é o seguinte: eu ri muito de você, aqui! Fala sério. Você deve ser um daqueles riquinhos miseráveis e esnobes. “Ain olhem pra mim, seus pobres, eu tenho dinheiro pra gastar no que eu quiser e vocês não”, e blablabla… No entanto, concordo com a questão do papel que estão usando para publicá-los, que é papel higiênico, realmente. Já passou o tempo em que as editoras usavam isso! Publiquem o mangá em papel offset!

    • João

      Olha, é o seguinte: esse foi um comentário muito polêmico, mas em certa parte você está certo em pedir um papel decente para a publicação do mangá, pois muitos leitores fãs da obra e até quem vai comprar o título para simplesmente conhece-la, como é meu caso merecem o mínimo de respeito e merecerem algo descente para se ler.
      Chega de ver títulos ótimos (Pokemon B&W, Black Butler, Ataque dos Titãs…) sendo lançados de qualquer maneira. Já não basta o descaso que é a distribuição que essa “editora” faz.

    • No japão, os otakinhos não compram seus mangas com papel offset, tudo com papel jornal, e eles ganham bem mais do q os daki, mesmo os que trabalham, então deixa de ser fresco!

      • Leandro Rocha

        O papel japonês é de uma qualidade muito superior ao papel brasileiro dos mangás, só utilizamos o pisa brite e o offset pois é o que nós temos no nosso mercado.

        Há sim edições japonesas de qualidade muito superior e com papel diferenciado e afins, inclusive melhores que o offset. Lá eles não precisam de reclamar disso pois a qualidade já é excepcional e há produtos para várias faixas de preço.

      • Roses

        Erm, tem vários mangas offsets no Japão. Todos da Enterbrain se não me engano é offset ou algo parecido… E tem japonês otaku pobre também, nem todo japonês ganha bem, que mania de achar que o exterior é esse lugar divino. Na maioria das vezes a gente ganha até mais por morar num país onde as coisas são mais caras. Um tempo atrás quando o dólar estava mais baixo do minha Guild de um certo massive, entre americanos e europeus, meu salário era um dos mais altos, após conversões. E olha que eu ganho mal pra porra xD

        • Mesmo com as devidas proporções, os ganhos deles não são iguais ou piores q os nossos num geral, pobres por pobres, os nossos sempre saem perdendo :/ . Me expressei errado dando a entender q nada sai em offset ou similar, mas a grande maioria deles não o são e dependem de relançamento pra vir com algo melhor. Mas não muda o fato q tem gente muito mal acostumada por aqui.

  • JMB

    Morto que, dos 10 cometários deste post, 8 são resposta á um expressão polêmica!

  • Takashi

    deixando bem claro uma coisa, o papel jornal usado no Japão é muito superior . o problema é que no Brasil as “editoras” usam um papel muito fino e com o tempo o papel se deteriora muito rápido

  • Rodrigo

    Que boa noticia. Só preciso aprender alquimia para fazer o papal jornal virar off-set 90g.

  • Alguém só me diz se vale a pena apertar as coleções por Slam Dunk ou não… (Sim, pode me chamar de noob).

    • Roses

      Uma das minhas obras favoritas, na Conrad tinha sido traduzida pela Drik Sada que é uma tradutora maravilhosa. A história em si… Eu nunca ri tanto… Não são piadas com cultura japonesa, são universais. É muito bom.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: