Desmistificando: Por que meu mangá veio ondulado?

url

Discutindo possíveis causas e problemas que danificam

Ultimamente tem havido uma certa reclamação de alguns clientes quanto a mangás lacrados que quando abertos estão com as páginas onduladas ou distorcidas (como esse volume de Ajin acima) e fica essa pergunta no ar: Por que isso aconteceu com o mangá novo?

A verdade é que deve ser analisado caso a caso, existem vários motivos possíveis, mas a única que pode dizer com certeza qual é o caso da Panini é a própria editora, mas vamos tentar entender um pouco a problemática:

Problemas internos durante a produção e plastificação

Existem várias coisas que podem ser a causa do problema desde a gráfica. Por exemplo, máquinas desreguladas podem colar a capa com os papéis já levemente tortos. Em edições à base apenas de cola para fazer a união do miolo com a capa, isso acontece ainda mais, já que é utilizado uma quantidade maior de cola, que ao endurecer pode realçar mais esse defeito ou causar a distorção. Na verdade a própria cola pode ser o problema, a temperatura da mesma ao ser aplicada pode danificar o papel causando essas ondulações também.

Geralmente quando o problema é na gráfica, vemos vários lotes com esse mesmo problema e em compras de qualquer natureza, desde assinaturas até compra nas bancas. Fora que nesses casos específicos acima, a capa em si não apresentaria qualquer distorção e pode até ser possível, ao olhar a área colada interna, ver a página colada torta.

Outro detalhe, que às vezes é esquecido, é a dimensão e corte de capa. Comumente costuma-se fazer capas maiores que o tamanho da páginas para dar uma proteção extra ao interior, mas isso nem sempre é feito ou o corte é malfeito e fica rente ou menor que as páginas internas. Quando isso acontece, as páginas internas são “empurradas” pelas máquinas para caber na dimensão da capa e ondulam. Já tentou forrar uma caixa com um papel um pouco grande demais? É a mesma coisa aqui. E como é colado e fixado dessa forma, o papel não volta mais.

Ondulado 1
Mangás da Panini Mexico, que são produzidos no Brasil e impressos no México.

Note na imagem acima como as capas estão rentes ou menores que o miolo, acaba sendo uma mera questão física, o miolo distorce para encaixar naquela dimensão da capa. Se você tem um mangá com ondulação, faça o teste, tente deixar as páginas retas e veja se elas não ultrapassam os limites das capas.

Acima também dá para ver outro criador de problema: a lombada malfeita. Veja como a lombada do mangá inferior está “estressada”, como ela não é quadrada e é menor do que deveria para caber aquela quantidade de páginas e cola, o que acaba puxando parte da capa para a área da lombada também. Isso causa várias outras consequências, capas e quarta-capas com dimensões diferentes (de novo, basta olhar a imagem), capas invadindo a lombada e todo esse problema óbvio de ondulação.

Este tipo de problema acaba sendo piorado ainda mais pelas questões abaixo, especialmente o armazenamento, pois a falta dessa “proteção” extra aumenta o perigo de amassos e distorções.

Lembrando que isso aconteceu também com Tokyo Ghoul 5 (abaixo), quando a Panini chegou a informar que faria trocas em abril deste ano:

(…) o resultado final apresentou problemas de produção e finalização da lombada e encadernação, o que gerou a ondulação das páginas em alguns lotes do material (…)

10399741_10206112688111199_1446877078809139343_n 12779284_758796747554158_3563405506253252207_o

A forma de embalar também envolve uma prensa que plastifica rente ao livro, mascarando possíveis erros da gráfica ou criando mais ela mesma. A depender do processo o livro fica num estado de tensão por um bom tempo e, ao ser tirado a capa plástica, a pressão é liberada e as consequências disso ficam claras. Novamente, esse é um problema mais comum em encadernações à base de cola, já que a cola permite um certo “movimento” das páginas, mesmo depois de seca, distorcendo e não voltando ao que era antes.

Problemas de ambiente

De forma geral, tirando os erros de caráter físico e de produção em si, papéis são extremamente sensíveis a dois grandes inimigos: a composição do ar e temperatura.

Tanto temperaturas baixas demais, quanto altas demais danificam a constituição do papel, assim todo papel tem uma tolerância informada pelo produtor. Isso vale para a escolha do tipo de cola e os problemas que pode causar (como comentamos anteriormente), para tipo de impressão e tinta que pode ser feita ou usada naquele material, mas também para a temperatura ambiente e exposição ao sol que possa haver durante algum dos processos. Papéis como offset e jornal são os mais sensíveis a tudo isso, exatamente por serem crus (leia mais sobre isso aqui) e precisam de cuidados especiais. A falta desses cuidados podem criar ondulações, encaracolamento, ressecamento e vários outros problemas.

No caso da composição do ar, existem vários agentes a depender, novamente, do tipo de papel. O jornal e papéis ricos em minerais pesados, por exemplo, tem problemas de oxidação, criando aquelas manchas amarelas e cinzas. Mas esse não é o único inimigo, a umidade do ar é outro que pode arruinar seu livro e criar exatamente essas ondulações. Se um mangá antes ou durante o processo de ser lacrado estiver em contato com muita umidade, o mesmo pode ser lacrado nessa condição mais úmida e ir “estragando” dentro da própria embalagem.

Existem outros itens também como luz, poluentes, sujeira (terra, areia e outros abrasivos no ar), movimento do ar (problemas de arejamento) que afetam ou podem afetar seu livro.

Diga-se de passagem, se seus mangás depois de um tempo ficam ondulados também, temperatura, exposição ao sol e umidade são as principais causas. Mais tarde todos esses podem também levar ao apodrecimento, mofo ou ressecamento das páginas. É importante que qualquer livro esteja sempre protegido desses agentes, a ideia da capinha plástica lacrada acaba sendo exatamente essa.

Nestes casos aqui, a capa pode ou não ser afetada também a depender do grau do problema. Capas em sua maioria são feitas em duplex ou triplex que possuem uma película protetora, o que os torna mais resistentes e duráveis.

Problemas de manuseio e armazenamento

As possíveis razões ainda não acabaram, um dos maiores inimigos mesmo de um livro é o manuseio e armazenamento. E quando falamos disso estamos realmente incluindo tudo, desde a forma como é encaixotado, o peso total sobre os livros, a posição em que é guardado, golpes e batidas, pressões laterais, forma de se abrir o livro, ângulo máximo de abertura, forma de se segurar, etc. A maioria dos problemas de longa data estão veiculados ao mal uso ou mal armazenamento pelo dono. Mas no nosso caso, o mangá já veio assim, quais os principais motivos que causariam a distorção?

Todo produto tem um peso máximo que suporta, que vai determinar quantas caixas e livros podem ser empilhadas sobre aquilo. Talvez você já tenha visto caixas no supermercado com ilustrações e descrições dos limites daquele certo produto. Se você não respeitar essas determinações, o peso sobre os livros da base é tamanho que a cola se movimenta, causando distorções e amassos. O manuseio dessas caixas, as batidas e golpes que sofrem ao serem movimentadas, empilhadas ou jogadas de um lado a outro também podem causar defeitos similares.

Esses defeitos você vai encontrar principalmente quando a compra é feita em bancas ou recebimento via correios (rs). Não sei se é de conhecimento geral, mas a distribuição em bancas não é uma linha reta até a banca, mas sim um pula-pula danado. Veja só, a editora passa suas caixas para a distribuidora, que as envia para um centro de distribuição, aqui as caixas são organizadas e separadas em lotes, cada lote então é enviado para um centro de distribuição regional via caminhões. Chegado nesse centro regional, as caixas são mais uma vez organizadas e separadas, para então serem enviadas a centros de distribuição locais que (advinha?) as organiza e separa para envio para bancas.

Quanto mais longe da sede da editora, mais centros de distribuição estes mangás passam, passando por uma cascata de armazéns e caminhões. Não precisa ser um gênio para perceber como esse joga pra cá e para lá causa todo tipo de defeito e amasso, né? Em comparação, a distribuição feita para lojas e livrarias é direta, a editora envia via transportadora direto para a empresa, diminuindo o movimento e manuseio dessas caixas.

Para quem mora na chamada “fase 2”, sabe na pele como os mangás chegam socados, surrados e arrasados em vários ponto de venda, aqui o problema era em dobro pois tais mangás já haviam sido previamente expostos nas bancas da “fase 1”. Felizmente com as editoras passando para a distribuição nacional isso tende a acontecer menos, mas não desaparece totalmente.

Lembrando, de novo, que tudo isso acontece ainda mais em mangás com encadernação à base apenas de cola, sem qualquer costura ou apoio, ou seja, é um defeito mais comum nas obras da Panini e JBC. Outro agravador, como já dito, é o tipo de papel, mas não só isso a gramatura também influencia, quanto mais fino, mais suscetível o papel é a ondular, já que tem menor resistência. Esses são alguns dos riscos de se produzir um produto mais descartável, essas diferenças básicas por si só justificam porque essas ondulações dificilmente acontecem em livros “de verdade”, que costumam ser 90g para cima e com costura interna e às vezes capa dura.

Conclusão

Vale lembrar que o problema de ondulação pode vir acompanhado de outros ou vir sozinho mesmo, entre os problemas mais comuns que vem de mãos dadas estão os amassos e rasgos, defeitos de lombada, excesso ou mal posicionamento da cola e desalinhamento de páginas.

Se isso te incomoda e o problema não for da gráfica e da editora, mas motivos externos como a DINAP, considere passar a comprar via assinatura, lojas oficiais, lojas especializadas e livrarias. É claro que isso não significa que jamais haverá problemas, mas diminui significativamente os maus-tratos. (Pareço uma disco riscado, mas bancas são terríveis para livros…)

Vale ressaltar também, caro leitor, que como consumidor você tem direito de troca no local de compra quando o produto vem com defeito, um livro todo troncho é um produto defeituoso, independente de já ter sido aberto ou não. Pegue sua notinha fiscal (que você deveria sempre exigir para valer seus direitos) e vá lá trocar. Em lojas online você também pode fazer essa troca e não tem que pagar nada a mais por isso. No pior dos casos, se não há como trocar, você pode e deve pedir seu dinheiro de volta (incluso o frete) e ir comprar em outro lugar. Seja um consumidor consciente e não simplesmente aceite os defeitos se isso importa para você.


Desmistificando é uma coluna semanal, lançada nas quintas-feiras, sobre o mercado e mangás brasileiros e internacionais. Você pode ver todas as outras postagens anteriores desta coluna aqui. Sugestões e comentários também são sempre bem-vindos! 🙂

25 Comments

  • João Pedro

    Nossa, agora não sei se dizer se o problema sou eu, o ar muito úmido na minha casa, ou se é os dois huahuahua (to rindo, mas to chorando), de qualquer forma, vou tentar não segurar eles tão forte quanto eu segura-vá e também deixar em um local com menos umidade.

  • Diogo Augusto

    Ow me ajuda ai, meu manga do Tokyo Ghoul 13 e Miraí nikki 12 estão descolando da capa eu n sei o que fazer por favor me ajuda do entrando em Pânico aqui ;-;

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: