Primeiros ebooks da JBC já estão à venda

Confiram os preços…

Conforme divulgado ontem, a editora JBC começou a vender hoje, 01/12/2017, seus primeiros mangás em formato ebook. Até o momento em que esta postagem vai ao ar poucos títulos dentre os prometidos estavam disponíveis para compra e, por ora, apenas o Kindle, da Amazon, possuía eles.

O site da JBC está revelando o preço da versão digital de alguns outros títulos (atualizaremos assim que todos os preços forem revelados). Vejamos abaixo os títulos prometidos e os preços já revelados:

  • Battle Angel Alita: R$ 16,50
  • Blame!: R$ 16,50 (Amazon)
  • Fairy Tail: R$ 12,00 (Amazon)
  • Fort of Apocalypse: R$ 12,00 (Amazon)
  • Knights of Sidonia: R$ 12,50 (Amazon)
  • Samurai 7: R$ 13,50
  • The Ghost In The Shell: R$ 45,50 (Amazon)
  • The Ghost In The Shell 2.0: R$ 45,50 (Amazon)
  • The seven Deadly Sins: R$ 12,00 (Amazon)
  • Ultraman: R$ 12,50

Blame! tem seus sete primeiros volumes disponíveis. The Seven Deadly Sins tem dez, Fairy Tail e Knights of Sidonia apenas quatro.  Já Fort of Apocalypse possui os volumes 1 a 9. Conforme divulgado anteriormente, a JBC disse que os demais volumes entrarão aos poucos. Convém recordar que, além do Kindle, os ebooks estarão disponíveis em outras plataformas como IbooksGoogle Play e Kobo.

Em breve faremos uma lista completa com todos os mangás digitais que existem em língua portuguesa. Vale lembrar que antes de a JBC publicar esses mangás digitais outras empresas, como a Conrad e seu Gen Pés Descalços, já haviam disponibilizado uma versão digital. A futura lista englobará todos^^.

***

Curta nossa página no Facebook

Nos siga no Twitter

BBM

Atualizado dia 02/12/2017

18 Comments

  • JMB

    Embora eu não pertença ao público-alvo dessa nova estratégia, acho louvável essa iniciativa da JBC. Assim as pessoas terão acesso (de forma legal) á muito material que se encontra (infelizmente) indisponível na forma física. Já vi muita gente pedindo uma reimpressão de Fairy Tail e essa é a chance para adquirir (embora eu ache que uma boa parte do público queria na forma física)

    • @JMB, concordo com praticamente tudo que você disse. A única coisa não louvável desta nova estratégia é o preço. Aliás, falando nisto, nunca entendi e talvez nem tenha a capacidade de entender porque a “porcaria” de um ebook (ou coisa que o valha), que não tem como suporte o papel, tido como uma das coisas que encarecem livros, quadrinhos, etc., é (quase) tão caro quanto as suas versões físicas???

      • As vezes o preço é mais caro do que o de papel. É artificial, eles querem evitar uma “canibalização” da venda de papel pelo digital. Mas eu acho isso uma puta mancada que limita o crescimento do mercado digital, que tem muito potencial, dado a base de smartfones, tablets e afins já instalado aqui e em outros países de lingua portuguesa.

        • rafael

          É a minha critica tb ao mundo dos ebooks! Em geral, mesmo livros, os precos ainda sao bem similares aos fisicos, n existe mta diferenca. Essa é a critica tb aos especialistas em mídias digitais q eu acompanho, o custo de produção deveria ser menor, logo o titulo tb deveria, mas eh algo que nao acontece, e é um dos fatores que nao alancavam o mercado de titulos digitais….

          Eu tenho um kindle e acho maravilhoso ler nele tudo que eu quiser, mas a maioria dos titulos eu baixo, um ou outro eu compro…. agora os mangas, eu compraria facil se fosse por um preco mais acessivel… como colecionador tb, prefiro a midia fisica deles…

          É uma excelente iniciativa e espero de coração que os valores fiquem menores….

        • Eu, como futuro bibliotecário (se Deus quiser), acho que a tendência do suporte papel é diminuir, mas jamais acabar (diferente do que acham alguns colegas graduandos, graduados, mestres e doutores). Acho até justo fazerem isto (não baratearem tanto os preços dos digitais) para evitar esta “canibalização” citada por você, só que isto não vai mudar nada o panorama do que já está meio que previsto para acontecer, mais cedo ou mais tarde…
          Negócio é saber trabalhar, acho que temos mercado para ambos os suportes.
          Acho que quem vai ganhar mais com toda esta situação do digital são os oftalmologistas e vendedores de óculos… “Nêgo” vai deixar de gastar $$ com mangá físico para tratar da visão…rs

      • JMB

        Pois é, também achei o preço bem salgado para algo que (penso eu) tem um custo de produção bem menor. Só não toquei no assunto pq como uma pessoa que não poderia ligar menos pra e-books, não sei a média de preços desse tipo de mídia e poderia ter falado besteira.

  • Achei meio caro

    Qual o motivos desses preços? Blame por exemplo, eu entendo a versão física ser mais cara por ter um acabamento diferenciado, mas por que na versão digital também?

      • @LEEITEEE, não foi só você que achou caro não…
        Eu não sou de ler scans, mas como disse o @Pimpao10 abaixo, estes preços tornam o mercado digital de mangás ainda menos atrativo para pessoas como eu, o @JMB acima, entre outras.
        Por enquanto, para mim a JBC começou dando um belo tiro no pé…¬¬

  • pimpao10

    E essa JBC fazendo lambança aí, hein? Isso aí não é incentivo nenhum pra quem já lê pirata migrar pro “original”, muito pelo contrario, já tô até vendo o “Mercado de Mangás Que Deu Certo” fazendo piada…

  • Mugi-chin

    Já aguardando aquelas promoções em que a Amazon coloca ebooks a 1,99.

    • MWAHUAHUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHUAHUAHUA, eu realmente gargalhei e alto aqui! kkkkkkk, muito boa @mugi-chin…=D

    • Bruno

      Não vejo muito as promos de e-books da Amazon, mas se eles realmente fizeram e-books de mangá por 1,99 eu compro

  • Roses

    Me surpreendi com o preço, imagino que o custo alto possa ser para pagar pela licença a mais que foi feita para essa mídia, mas realmente ficou alto demais e simplesmente não compensa.

    • Não compensa mesmo, mas os preços não me surpreenderam muito. Tirando GITS e Alita, o resto me pareceu bem na média de muitos ebooks por aí.

      • Roses

        Bem, nos EUA os mangás ebook são 70% do preço de capa do físico. Aqui tá 80%. Mas bem, acho que a intenção aqui não é de forma alguma criar um mercado paralelo, mas um apoio ao físico. Ao invés de reimprimir, lança digital, nego acompanha digital e depois migra para o físico e boa. É claro que essa loja parte do princípio que a pessoa não se importa em ficar pulando de uma mídia para outra…

        • Em vez de reimprimir, lança digital…
          Para quem já lê no digital, realmente esta é uma boa medida. Mas não acredito que teríamos tanta gente assim acompanhando algo no digital e depois migrando para o físico, e sim ficando no digital. Para a maioria das pessoas que fazem parte da estatística geral, os colecionadores, ler no digital algo que não será reimprimido e depois migrar para o físico de algo que não terá tudo impresso é no mínimo contraditório. Isto funcionaria, mas não com estes preços altos, para meros leitores, não para os colecionadores, que são a maioria.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: