Checklist Agosto de 2018 – Editora JBC

Mais digitais que físicos…

A lista de títulos que a editora JBC irá lançar este mês já está disponível no site da editora e, como sempre, reproduzimos ela aqui para vocês. Neste mês, até o momento, apenas um mangá físico será lançado, My Hero Academia.

Segundo a empresa, há diversas questões a se resolver devido aos problemas de distribuição que o mercado editorial está passando nos últimos meses. Por essa razão, a editora não colocou outros títulos, pois ele poderiam acabar não saindo devido a esses problemas.  Caso algum outro título possa ser lançado, a editora acrescentará posteriormente ao checklist.

Os mangás digitais, por outro lado, estão sendo adicionados aos poucos nas plataformas digitais. Também os listamos. Vejamos em detalhes:


DISTRIBUIÇÃO EM BANCAS, LIVRARIAS E LOJAS ESPECIALIZADAS


My Hero Academia #11

Autor: Kohei Horioshi
Preço: R$ 15,90
Detalhes: 13,5 cm x  20,5 cm, papel jornal, 200 páginas
Periodicidade: Bimestral
Previsão de término no Brasil: Sem previsão

No Japão: Em andamento com 19 volumes
Publicado em: Revista Shonen Jump, da Shueisha

SinopseO poderoso vilão mascarado – All for One – apareceu do nada e praticamente detonou os heróis. O All Might enfim chegou para ajudar a todos, mas. Será que ele conseguirá superar um Dom tão forte como o daquele vilão?

Compre emAmazon


EBOOKS E CAPÍTULOS DIGITAIS


10 Comments

  • Marcelo

    O último Saintia Shô entra nessa explicação, ou é porque foi lançado no começo do ano no Japão? Esse é um Mangá que deve demorar a acabar por inúmeros motivos, aliás.

  • Alexandre K

    Quais títulos deveriam sair neste mês pela JBC, não fossem esses problemas?

  • Petry Cintra

    (OffTopic)

    Kyon, eu enviei um e-mail pra você, quando puder verifica lá, obrigado.

  • > Distribuiçã em bancas
    O pau que dá em Newpop, deu na Panini e provavelmente daria também na JBC se não tivessem lançado quase tudo digital.
    Que época tensa estamos vivendo!

      • @ Harle: Começou com a Newpop se queixando da distribuição. Que os caras deixavam pacotes fechados de qualquer jeito, que demoravam pra entregar, estragavam exemplares na hora de devolver pra editora, enfim, uma droga.
        Daí, faz alguns meses, a Panini (veja bem, a maior de todas, a dona de 80% do mercado) reclamou de mesma coisa. E que não iriam mais usar a distribuidora, mas focar nas pequenas distribuidoras que tem pelos estados. E isso é tão verdade que mangás que estavam com alguns volumes “esgotados” voltaram a aparecer no site da editora pra venda, como o Assassination Classroom 19.
        Tava tudo parado na mão na distribuidora, sabe-se Deus onde!
        A constar, a distribuidora que eu me refiro é a Total,que pertence ao Grupo Abril. A uns anos atrás, existiam duas distribuidoras grandes, a Dinap da Abril e a Fernando Chinaglia (FC) acontece que rolou fusão entre as duas e virou isso aí.

  • NaBoa

    O problema da distribuição é grande. Esse mês além da JBC lançar apenas um titulo fisico outra importante editora de gibis, a Salvat (coleção Tex Gold e coleções Marvel), anunciou a suspensão por tempo indeterminado de suas coleções por problemas com a distribuidora.
    Mas o problema não é só com a Dinap, Saraiva e Livraria Cultura/Fnac acabam atuando também como distribuidora e a situação financeira delas está muito delicada. A resvista Época realizou algumas matérias sobre o tema nos últimos 02 meses e o quadro apontado é péssimo. A Saraiva tem mais de R$ 24 milhões em titulos protestados. Livraria Cultura/Fnac possuem outros R$ 14 milhões em titulos protestados. No caso da Saraiva, por ser uma S/A de capital aberto, essas informações estão no balanço trimestral da cia. Eles não estão pagando e isso tem levado as pequenas e médias editoras a situações extremas. Recomendo que dêem um Gloogle pois são matérias bem interessantes por um tema que nos interessa

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: