Veja as principais informações da live da editora JBC

Empresa realizou live em que esclareceu algumas coisas

Na noite desta sexta-feira, 22 de maio de 2020, a editora JBC realizou uma live, em sua conta na rede social Instagram, em que informou os detalhes do momento da empresa, o status do trabalho e tudo mais. A seguir resumiremos as coisas mais importantes:

  • PLANEJAMENTO

A JBC tinha todo um planejamento para o ano de 2020 e isso passava pelos poucos lançamentos no início do ano. Segundo a empresa, historicamente os meses de dezembro, janeiro e fevereiro costumam vender menos, por causa da questão dos livros didáticos e material escolar que ocupam maior parte do orçamento das famílias. Então, a editora entendeu que tinha que dar uma segurada no início do ano para dar um gás no segundo trimestre (abril a junho). Entretanto veio a pandemia do novo coronavírus e mudou tudo.

Nada foi cancelado. Entretanto, todas as coleções estão paradas no momento devido às incertezas ocasionadas por essa crise. Muitos mangás já estavam prontos para ir para a gráfica, mas a editora segurou e resolveu não os lançar agora por diversos fatores como escassez de papel, preços nas alturas, impossibilidade de escoar a produção, etc, etc, etc.

A JBC frisa que deseja manter os pés no chão e ir com calma. Ela deve voltar com os mangás assim que as coisas se estabilizarem e parte do motivo do não lançamento agora é para tentar segurar o preço das edições antigas.  A empresa enfatizou que boa parte dos papéis usados nos mangás são importados, o preço está nas alturas e alguns papéis as gráficas nem estão recebendo. Por isso, o melhor é esperar para assentar a situação. A editora não dá garantias de que vá conseguir manter o preço, mas ela quer tentar isso.

Apesar de todo esse cenário, a editora continua trabalhando normalmente, em regime home office. Os mangás em formato digital continuam a todo vapor (eles tem vendido um pouco mais, mais pessoas estão aderindo a ele), assim como a produção dos mangás impressos, mesmo que não exista previsão para serem lançados.

  • REIMPRESSÕES

A JBC também tinha um calendário de reimpressões que começou com os dez primeiros volumes de My Hero Academia em dezembro de 2019, mas novamente tudo ficou suspenso. Por hora, as reimpressões estão no fim da fila de prioridade. Em primeiro nas prioridades da editora estão as novas publicações como o Vigilante: My Hero Academia Illegals (que será o primeiro título da volta), depois a continuidade dos títulos parados e só por último as reimpressões.

  • STATUS DOS TÍTULOS DA EMPRESA

A editora comentou a lista de títulos que já estão prontos e que estavam indo para a gráfica quando veio a pandemia:

Além disso, a JBC também comentou o status de outros títulos da empresa, se está em processo de tradução, aprovação, etc. Vejam a seguir:

  • Slime: As capas dos dois primeiros volumes estão aprovadas.
  • The Seven Deadly Sins – Seven Days: O primeiro volume já está pronto, o segundo falta aprovar a capa.
  • Chi’s Sweet Home: tem alguns volumes já traduzidos, mas nenhuma novidade por ora.
  • O tempo com você (Livro): A novel já está traduzida.
  • Overlord (mangá): em processo de tradução.
  • Overlord (light novel): como dito anteriormente pela empresa, o contrato está atrelado ao mangá, então primeiro a JBC tem que lançar o quadrinho para então voltar a publicar o livro.
  • I sold My Life: Os dois primeiros volumes está pronto e o terceiro está em fase de finalização.
  • Sailor Moon Eternal Edition: Ainda em fase de aprovação. É necessário aprovar tinta, cor e tudo mais. No momento, estão se debruçando em uma cor específica que não tem no brasil. A empresa espera que se o volume 1 for aprovado, os demais terão uma aprovação mais fácil.
  • Nausicaä do vale do vento: a empresa novamente disse que a aprovação vai ser demorada e com a questão da pandemia, deve demorar ainda mais. A empresa já escolheu a tradutora da obra.
  • What a Wonderful World!: ainda não foi traduzido.
  • Jaspion: Novamente, a editora comentou que a pandemia fez a obra ser segurada um pouco mais. O preço já tinha sido anunciado e se saísse agora, ele teria que ser alterado já que os preços das gráficas dispararam. Com isso, a empresa aproveitou para fazer mais alguns retoques de arte, leves alterações de texto, etc.

Além disso tudo, a empresa anunciou Inu-Yasha para 2021 (saiba mais) e divulgou o preço e a previsão de lançamento de Vigilante: My Hero Academia Illegals (saiba mais).

11 Comments

  • JMB

    O que vou falar é bem obvio, mas vamos lá: sinceramente, a JBC está mais do que certa em frear as publicações físicas. Se a nossa economia já não estava as mil maravilhas, o negócio só piorou nos últimos três meses (e temo que possa decair mais um pouco mais no resto do ano). Creio que muita gente teve renda diminuída ou mesmo a perdeu (meu caso) e logicamente mangá (ou qualquer coisa supérflua) não será prioridade. Espero que a Panini ponha a mão na consciência e faça a mesma coisa (nem falo isso por mim, que já estou comprando pouca coisa dela, mas pelos outros que possam ter várias coleções da mesma).

    • “Espero que a Panini ponha a mão na consciência e faça a mesma coisa”

      Também esperava por isso, mas depois que vi os lançamentos do mês passado fiquei pasmo com a Panini. O bom é que algumas das minhas coleções estavam/estão no final. Eu pensava se depois de termina-las talvez desse pra tentar pegar uns dos lançamentos passados que não peguei. Que bom que não comecei nenhuma série muito longa recentemente!

      • Eu to com uns 4 títulos da Panini com 4+ volumes atrasados e vários esgotaram na Amazon. Deus me acuda, bem que ela podia desacelerar mesmo.

      • JMB

        Eu particularmente desisti de qualquer coisa da Panini (ainda mais coleção grande). Parei Neverland e Dr. STONE no vol. 7 e Wotakoi no vol. 6. Vou vender os três e ficar só com alguns títulos mais antigos (Lobo, Berserk, Vinland e O-P Man). Graças a Deus Tokyo Ghoul acabou!

  • JBC como sempre sensata. É bem claro o motivo das altas de valores, que vai acontecer ainda mais por conta da economia e política pública péssima que só agrava essa situação. É um momento de reanalisar o que lemos, o que vale ou não e dar valor à edições big e trig, porque acaba sendo um melhor custo benefício (até em promoções). A Panini não para de lançar coisas e, sinceramente, só me vejo abandonando algumas séries pra quem sabe no futuro adquirir, quem sabe. Muitos mangás da editora são daqueles grandes que ainda estão em publicação, então além de pontuar o que é bom ou não tem a questão do custo ao longo do tempo com uma editora que quase não faz reimpressões. De resto, só espero que o aumento não seja doido como outros mercados latinos que muda o preço de semana em semana, mas preparado pras bombas.

  • Castro9

    Pelo jeito vou ter problemas maiores ainda para conseguir a 7 edicão de lost canvas por um bom valor

  • gcastro

    Pelo jeito vai ser dificil conseguir a edição 7 de lost canvas por um bom preço.

    • caio

      Estou no mesmo barco! esperando as edições 6 e 7 de lost canvas

  • Vodka[Lavlask]

    Com essas informações agora tenho certeza que não virá a Perfect Edition de Soul Eater, uma pena, mais em geral, foi uma excelente decisão em via econômica.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: