Retrospectiva 2021: Ebooks de mangás no Brasil

Ainda existe o digital

Embora a publicação de mangás impressos seja a mais corriqueira e o desejo de consumo da grande maioria dos leitores brasileiros, no país também são publicados mangás em formato digital. Desde 2017, a publicação deles acontece continuamente, com altos e baixos ao longo desse tempo.

Este post é mais uma matéria de retrospectiva de 2021, agora buscando relembrar como foi o ano dos mangás em formato digital no Brasil.


MANGA PLUS EM PORTUGUÊS


A primeira coisa que devemos relembrar sobre o ano de 2021 é que em abril o site Manga Plus começou a ter mangás em língua portuguesa. Para quem não conhece, o Manga Plus é um site oficial da editora japonesa Shueisha que permite a leitura gratuita de diversos mangás, geralmente lançamentos simultâneos com o Japão. Ou seja, no mesmo dia que sai um capítulo novo no Japão, sai também a versão oficial traduzida no site.

Inicialmente foram adicionados apenas três títulos, Spy x Family, Jujutsu Kaisen e One Piece. Posteriormente colocaram também o mangá inédito Choujin X, novo título de Sui Ichida, autor de Tokyo Ghoul.

De um lado foi uma grande vitória ter um aplicativo oficial japonês com títulos em nosso idioma (antes já podíamos ler no site, mas apenas em espanhol e inglês), mas o número de mangás em português ainda é bem limitado.

A ver se o público brasileiro aumenta no site e novos títulos cheguem em 2022…


SIMULPUB EM 2021


Além do Mangá Plus, a publicação de mangás digitais em simultâneo com o Japão também aconteceu no Brasil por meio da editora JBC. A empresa lançou três séries em simulpub no país, séries estas que a editora já lançava de anos anteriores. A seguir você vê os títulos juntamente com a quantidade de capítulos lançados:

Cardcaptor Sakura Clear Card Arc (12 capítulos) 50 a 59 + Esp. 3 e 4
Edens Zero (49 capítulos) 124 a 172
The Ghost In The Shell – The Human Algorithm (13 capítulos) 016 a 028

Os três títulos são vendidos em plataformas digitais como a Amazon e o Google Play. No caso de Cardcaptor Sakura Clear Card Arc, os capítulos também são disponibilizados gratuitamente no site oficial do grupo CLAMP.

Nos meses finais do ano, a editora JBC também divulgou que estava planejando lançar os capítulos finais de Tokyo Revengers simultaneamente com o Japão, mas a localização dos capítulos ainda não começou.


VOLUMES DE MANGÁS EM 2021


O ano de 2021 teve um número diminuto de volumes de mangás lançados em formato digital. Foram apenas 59 ebooks, sendo 47 pela editora JBC e 12 pela editora Pipoca & Nanquim.

O número de ebooks lançados este ano é menos da metade do número de lançamentos de 2020, quanto saíram 127 volumes. Isso se deve a uma diminuição das publicações da editora JBC e uma completa ausência da Panini.

A multinacional italiana não publicou nenhum ebook em 2021. Os últimos lançados foram no dia 2 de setembro de 2020, quando saíram os quatro primeiros números de Naruto. De lá para cá, nada. Aparentemente, a produção estava parada, segundo foi dito por um ex-representante da editora.

Os 59 ebooks publicados em 2021 foram divididas por 22 séries, lançados exclusivamente por JBC e Pipoca & Nanquim. A primeira foi responsável por 14 lançamentos, enquanto a segunda por 8.

Das 22 séries, 12 foram lançamentos e 10 foram continuações de obras de anos anteriores. A respeito das novas, 8 tinham mais de um volume, enquanto 4 eram volumes únicos. JBC e PN publicaram seis séries novas cada uma.

E se obras começam, obras terminam. Durante o ano, 10 títulos (não contando volumes únicos) foram concluídos durante o ano. Desses, cinco se iniciaram também em 2021 e cinco eram advindos de anos anteriores.

A seguir você vê o nome de todas as séries e os volumes lançados durante o ano:

A Heroica Lenda de Arslan #05 a #10
A Lanterna de Nix #01 a #03 (Final)
A Sala de Aula que Derreteu Volume Único
As Crônicas da Era do Gelo #01 e #03 (Final)
Battle Angel Alita Last Order #07 a #12 (Final)
Cardcaptor Sakura Clear Card Arc #05 e #06
Chi’s Sweet Home #01, #02 e #03
Coyote Volume Único
Edens Zero #06 a #11
Frankenstein Volume Único
Haikyu!! #01 e #02
Hokusai Volume Único
Hunter x Hunter #11 e #12
O Tempo com Você #01 a #03 (Final)
Recado a Adolf #02 (Final)
Sakura Wars #06 a #09 (Final)
Satsuma Gishiden #03 (Final)
Shaman King Zero #01
The Seven Deadly Sins #37 a #41 (Final)
The Seven Deadly Sins – Seven Days #01 e #02 (Final)
Tomie #01 e #02 (Final)
Ultraman #11 a #14

O QUE NÃO SAIU?


Existem ebooks anunciados que não viram a luz do dia, como uma prometida edição digital de Cavaleiros do Zodíaco. Além disso, a NewPOP novamente não iniciou sua também prometida incursão nesse meio.

Entretanto, o que fica de registro, de verdade, é uma série de obras em andamento que não ganharam nenhum volume durante o ano. Todos os mangás da Panini estão nessa lista, além de cinco da JBC. A saber:

JBC:

Panini:

Os mangás da JBC podem voltar em 2022, mas os da Panini é difícil saber.


DESTAQUE POSITIVO?


Embora o número de publicações durante o ano tenha sido bem pequeno, é melhor encerrar esta postagem com uma mensagem positivos. Ou duas delas. A primeira é o lançamento de Shaman King Zero exclusivamente em formato digital. A empresa não descarta uma versão impressa no futuro, mas é legal ver um título chegar apenas em ebook, pois faz com que voltemos a sonhar com outras obras ainda inéditas saindo assim, como ocorre nos Estados Unidos.

A segunda mensagem positiva vai para a editora Pipoca & Nanquim. Em 2021, ela continuou publicando praticamente todos os seus mangás também em formato digital, de modo que quem prefere essa mídia pode estar satisfeito. Atualmente, o único a não ter essa versão é o Spectreman #01.


Retrospectiva é uma série de postagens que fazemos todos os anos para relembrar o que de melhor e pior aconteceu no mercado brasileiro de mangás, além de outras notícias relacionadas ou não ao nosso país. Para ver todas as postagens deste ano, clique aqui.


NOS SIGA EM NOSSAS REDES SOCIAIS



1 Comment

  • Jones Cabeludo

    O mercado é pequeno, mas como as editoras esperam ter retornos se não investem agora?

    Já compro vários mangás digitais, principalmente da JBC. Difícil comprar algo da Panini sendo que, aparentemente, eles desistiram.

    Compraria Naruto todo digital, mas sabe-se lá se vão terminar.

    Muito se diz por aqui, exageradamente, que “os japoneses não deixam”. Mas com o digital crescendo tanto, não creio que eles iriam dificultar que se lançassem obras de catálogo nesse formato.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: