Números e curiosidades sobre o mercado polonês de mangás

Desde quando se publica? Quanto se publica? etc…

Se alguém me dissesse que algum dia eu estaria escrevendo uma matéria sobre o mercado de mangás da Polônia eu não acreditaria, mas não é que aconteceu?

Se você está lendo isso é importante saber que não domino o idioma polonês e esta postagem só foi possível graças a um site da Polônia que lista todas as publicações de quadrinhos orientais no país, o Tanuki Manga.

A partir dele consegui descobrir diversos números e curiosidades sobre o mercado de mangá do país. Além disso, ele nos permitiu saber o nome das editoras locais e visitar o site delas para conferir as informações e descobrir outras curiosidades que o Tanuki não tinha.

O site polonês Tanuki pode conter erros e os números apresentados aqui serem incorretos? Com certeza. Não existe nenhum site de catalogação que seja perfeito e erros pontuais são normais. Então pode existir alguma publicação polonesa que os membros do site não souberam que saiu e que mudaria os números apresentados. Basta ver, por exemplo, que nós do BBM só soubemos do lançamento do mangá americano Nichiren meses depois da publicação.

Ainda assim, acreditamos os dados e curiosidades aqui presentes devem ser bem precisos. Dito isto, vamos à postagem:

***


POLÔNIA? O QUE É ISSO?


A Polônia é um país da Europa com cerca de 37 milhões de habitantes que faz fronteira com Alemanha, Lituânia, Ucrânia, Bielorrússia, República Tcheca e Eslováquia. Sua extensão é 312000 km², e é um pouco menor do que Alemanha.

A língua oficial do país é o Polaco e a moeda utilizada é o Złoty (equivalente 0,94 centavos de Real pela cotação do dia 12 de janeiro de 2018). Talvez a personalidade viva mais importante do país hoje, ou pelo menos a mais conhecida, seja o jogador Robert Lewandowski, do Bayern de Munique. Anteriormente, a figura mais conhecida do país era o Papa João Paulo II.

É desse país que falaremos hoje^^.


O PRIMEIRO MANGÁ


Lança-se mangás na Polônia pelo menos desde meados dos anos 1990. O primeiro que se tem registro é datado de 1996 e, curiosamente, esse primeiro mangá foi Porando Hishi Ten no Hate Made, de Riyoko Ikeda (autora de A rosa de versalhes), que se passa justamente na região da Polônia. A capa do volume 1 abaixo:

Os três volumes que compõem o mangá foram lançados entre 1996 e 1997. Em 2008, o mangá foi relançado em uma edição 3 em 1, com 610 páginas. As duas versões foram lançadas pela editora Japonica Polonica Fantastica (Ou JPF ou JP Fantastica).


SAILOR MOON


Se você é novo no mundo dos mangás talvez não saiba, mas durante anos Naoko Takeuchi, autora de Sailor Moon, proibiu o licenciamento de seu mangá para outros países. O resultado disso é que só conseguimos ver a obra sair no Brasil em 2014. Na Polônia, porém, o mangá saiu antes, muito antes, antes mesmo da proibição da Naoko^^. O título foi o segundo mangá a sair por lá, já em 1997 também pela JPF. Abaixo a capa do volume 1:

Foram publicadas 18 edições da obra, referente ao número de volumes originais da primeira publicação japonesa (A edição brasileira seguiu o número de volumes da reedição). Sailor Moon foi concluído na Polônia em 1999. Não houve um relançamento até o presente momento.

Sailor V também foi lançado no país, em 3 volumes. Todos publicados no ano 2000.


MAIS ANOS 1990 E INÍCIO DOS ANOS 2000


Nessa primeira leva de quadrinhos japoneses na Polônia saíram mais alguns títulos como Appleseed, do mesmo autor de The Ghost In The Shell, mas que não foi concluído, Dr. Slump, de Akira Toriyama, What’s Michael?, de Makoto Kobayashi e Akira, de Katsuhiro Otomo. Também foram lançados no país títulos como XFushigi Yugi, Pokémon, Dragon Ball, Ah megami sama! e vários outros. Cabe uma menção especial a três títulos citados:

Akira foi publicado do mesmo modo que em Portugal, em 19 edições, sendo concluído por lá em 2003.

Ah megami sama!, como comentamos em outra postagem, chegou a ficar dez anos sem ganhar volume novo e, em razão disso, ainda não foi concluído no país. Na postagem citada, chegamos a falar que o caso de Ah megami sama! era único, mas encontramos um caso simular agora, o de Dr. Slump.

Dr. Slump foi publicado em formato meio-tanko, ou seja, teve um total de 36 volumes por lá. Entretanto, a publicação teve um percalço e ficou 9 anos sem ser publicado. O volume 25 foi publicado em julho de 2004 e o volume 26 apenas em setembro de 2013. O mangá foi concluído em 2015.


CANCELAMENTOS


Sim, vários títulos foram cancelados no país. Alguns deles bastante conhecidos em nossas terras. Vejamos uma pequena lista:

Blade, de Hiroaki Samura. O último volume publicado na Polônia foi o 22, em 2012. O mangá tem 30 volumes no total.

Inu-Yasha, de Rumiko Takahashi. O último volume publicado na Polônia foi o 23, em 2010. São 56 volumes ao todo.

Ranma 1/2, de Rumiko Takahashi. O último volume publicado na Polônia foi o 28, em 2010. São 38 volumes ao todo.

Rurouni Kenshin, de Nobuhiro Watsuki. O último volume publicado na Polônia foi o 12, em 2011. São 28 volumes ao todo.

Esses quatro cancelamentos ocorreram por uma mesma editora, a filial polonesa da empresa alemã Egmont. Aparentemente ela só está publicando mangás na Alemanha atualmente.


LIGHT NOVELS


Sim, se publicam light novels na Polônia^^. O número delas não é tão expressivo, mas existe um detalhe interessante. Quatro editoras de mangás publicam light novels, JPF, Kotori, Studio JG e Waneko. Vejamos em detalhes, a situação de algumas novels conhecidas de nós:

Toradora: possui dois volumes publicados até o momento. O último deles saiu em fevereiro de 2017. Na Polônia em vez de dez volumes serão apenas cinco.

Re: Zero: possui até o momento cinco volumes editados.

No Game No life: possui sete volumes publicados até aqui. Em fevereiro sairá o volume 8.

As light novels de Tokyo Ghoul, Naruto, Fate/ZeroLog Horizon e Your Name também foram ou estão sendo editadas no país.

Dentre aqueles títulos famosos que não saem no Brasil, a Polônia ainda têm Durarara!, Kara no Kyoukai e Sword Art Online, os três com novos volumes previstos para janeiro (8, 3 e 17 respectivamente). Outra obra famosa publicada na Polônia é Overlord.

Sword Art Online (Polônia)

Embora não seja expressivo, o mercado de light novels no país está bem melhor do que no Brasil. Somente a editora Kotori lançou 15 volumes em 2017, dentre suas séries (SAO, Fate, Overlord, Durarara! e Kara no Kyoukai). Contando com as outras editoras ultrapassa os 20 facilmente. Aqui no Brasil, somando 2016 e 2017 a gente só chega a 18.

Acerca do formato, a Kotori utiliza o formato 13 x 18 cm (do tamanho de Triage X, por exemplo). O mesmo tamanho é utilizado pela JP Fantastica nas novels de Naruto. O studio JG, por outro lado, publicou a novel de Your name no formato 14,8 x 21 cm. Não encontramos informações de formatos das outras obras.


MANGÁS DIGITAIS


Sim, há alguns mangás digitais na Polônia. A editora Waneko disponibiliza alguns títulos nesse formato. Blue Exorcist, Bakuman e Tokyo Ghoul estão entre os títulos. Você pode conferir a lista completa no site da editora, clicando aqui. Aparentemente apenas estão disponíveis para o Google Play. Não é possível comprar estando no Brasil.


CRESCIMENTO DO MERCADO DE MANGÁS E NÚMERO DE EDITORAS


O mercado de mangás da Polônia está em crescimento há alguns anos. Apesar de ter uma publicação contínua desde 1996, o crescimento de verdade só tem ocorrido nos últimos anos. Ainda assim o ritmo é lento, mas gradual, basicamente como no Brasil. Em 2017, foram lançados 315 volumes de quadrinhos orientais na Polônia (não inclui light novels). Esse número é maior do que a Argentina e menor do que o México e o Brasil. Abaixo o gráfico de volumes lançados nos últimos anos:

Já em relação às editoras, houve 7 empresas que publicaram quadrinhos orientais em 2017, a seguir: Studio JG, Waneko, JP Fantastica, Dango, Kotori, Yumegari e Hanami. A mais antiga é a JP Fantastica, a maior é a Waneko. Vejam a distribuição de volumes pelas editoras.

Note que, se você fizer a relação mangá x light novels, a Kotori é a mais eclética com 25 mangás e 15 novels publicadas durante o ano. Seria a Kotori, a NewPOP polonesa? Fica o questionamento^^.

Dentre os títulos atuais que as três principais editoras publicam estão Ajin, Tonari no Kanibutsu-kun, Erased e Fairy Tail (Studio JG), Akame ga KiLL!, Blue Exorcist, Bakuman e Horimiya (Waneko), Ataque dos titãs, Berserk, Blame e Bleach (JP Fantastica).

Por ter tão poucos volumes em circulação, existe pouca variedade no país, mas há títulos alternativos, sim. Ano passado foram lançadas na Polônia obras mais adultas como Opus e Alive, também publicadas no Brasil, além de alguns mangás yaoi, como Ten count, que parecem ter grande saída por lá.

Opus (Polônia)

Embora não tenhamos visto muitos títulos, alguns dos mangás shoujos mais pedidos pelas pessoas no Brasil já saem na Polônia como Tonari no Kaibutsu-kun, citado mais acima, e Kami-sama Hajimemashita. Há outros interessantes como Watashi ga motete dousunda.

Por fim, No 6, Aoharaido, Orange e outros mangás publicados no Brasil também já foram lançados na Polônia.


SITE DAS EDITORAS


Dos sites que conseguimos acessar ficamos impressionados com a organização de alguns deles, sendo bem mais informativos do que os das editoras brasileiras. Te convido a ir no site da JBC, NewPOP e Panini e ver o que será publicado mês que vem pelas editoras. Você não precisa ir, pois não tem essa informação lá.

Nos sites de algumas editoras polonesas, por outro lado, tudo é muito informativo. Ao clicar aqui você vê o que está programado pela editora JP Fantastica até o mês de junho de 2018 (estamos em janeiro, caso você esteja lendo isso posteriormente); Ao clicar aqui, você verá que no site da Waneko tem a lista do que está programado a sair por todo 2018. Nos meses finais ainda há poucas obras, mas nos meses iniciais está tudo cheio. Já aqui você vê o que a Kotori vai lançar nos próximos meses. Impressionante!!!


OUTRAS CURIOSIDADES


-O mangá Só você pode ouvir, de Hiro Kiyohara, só foi lançado na Polônia em 2017.

The Ancient Magus Bride é publicado no país desde 2015.

-Um dos sucessos recentes da Shonen Jump, The Promised Neverland, já começou a sair no país agora em janeiro. Boruto e Dragon Ball Super também começam a sair no país agora nos primeiros meses de 2018.

-Por fim, da tríade da Shonen Jump dos anos 2000, apenas Naruto está completo. Bleach ainda está em publicação por lá e One Piece está bastante atrasado, ainda não tendo chegado ao volume 50.

***

Vale comentar que evitamos o uso do Google Tradutor (ou qualquer outra ferramenta de tradução) o máximo que conseguimos. Utilizamos apenas para saber os meses em Polaco, bem como para achar uma informação ou outra sobre as light novels (nº volumes que teria no país, por exemplo) já que o site Tanuki não possuía tais informações. É importante falar sobre isso, pois só se deve usar Google Tradutor quando se domina pelo menos medianamente o idioma, de modo que você consiga identificar erros de tradução. Quando não se domina, o máximo que se deve fazer é traduzir palavras como os meses do ano.

Leia também:

Curta nossa página no Facebook

 Nos siga no Twitter

 BBM

10 Comments

  • Ótima matéria como sempre, gosto muito de ler sobre os mercados pelo mundo à fora.
    Bateu aquela invejinha por eles já terem HoriMiya e Neverland, duas obrar que gosto muito.
    Neverland cedo ou tarde vem, é um sucesso inegável. Já HoriMiya ta demorando tanto que eu acabei importando a versão norte americana. :/

  • pimpao10

    Acho que em muitos países Blade deve ter sido cancelado… Infelizmente a saga d”A reconstrução do corpo humano” é bem chatinha. Pra quem gosta até tem membros decepados, mas diferente do que se espera num mangá de espadachins…

    Enfim, que inveja! Eu sou muito fã do Kinoku Nasu e da Type Moon, ver que até a FUCKIN POLÔNIA tem Kara no Kyoukai me deixa com uma inveja MONSTRA!!! Pior que nem quero que a NewPop traga porque pra mim esse merece um acabamento especial!

  • Essas matérias sobre os mercados de mangás mundo afora são umas das que mais gosto. Espero algum dia ver uma sobre o mercado russo (talvez já até tenha e eu não vi).

    Agora, que inveja desse Opus polonês, viu? Me parece uma compilação dos dois volumes e tem capa dura. Mas aqui resolveram cagar no formato…

    • Não tem nada sobre a Rússia…
      As chances de ter uma postagem sobre o mercado russo de mangás são as mesmas de ter uma sobre a Polônia: não existe a menor possibilidade. Rs. Mas a da Polônia está aí. Como não sabemos o idioma, somente a descoberta de um site catalogador poderia nos facilitar as coisas…

  • Alexandre K

    Uma ideia de tema para post: em quantos países o mangá Inu Yasha foi cancelado e em quantos países ele foi publicado até o final. Seria interessante saber em que nível de enrascada está a editora JBC rs.

    • pimpao10

      Eu acho que deva vender bem, anime na TV dificilmente deva vender mal, tem que ser um trabalho porco feito Medabots ou aquele do Pikachu. O foda são a quantidade de volumes, mas isso com certeza a JBC já vai incluir no preço, tipo um seguro pra que vá até o final mesmo vendendo BEM menos que no começo. Chuto um projeto ao estilo OMNIBUS com preço de Kanzenban e qualidade de Naruto Gold.

  • SIRIUS BLACK

    As editoras brasileiras precisam aprender com as editoras polonesas a como ter um cronograma de organização das suas publicações durante o ano inteiro e nos informar, para que possamos nos programar. Porque isso aqui nunca acontece. É um show de incompetência e de desorganização, que as editoras brasileiras sempre fazem questão de demonstrar para nós. seus consumidores. Além da falta de respeito, o que não acontece lá na Polônia. Parabéns pela matéria, Kyon.

  • GG

    Excelente matéria como sempre, gostei da organização das editoras Polonesas e fico feliz com mercado de novels deles, se alguma outra editora investisse em novels nas terras BR, quem sabe a gente não estivesse em uma situação parecida.

  • Parabéns pelo texto! Sempre muito informativos e interessantes 🙂
    Justamente por isso, tenho uma sugestão para o próximo tema: Canada. 😀

  • a Polônia é também a terra dos gênios Copérnico, Chopin e Marie Curie. Dos cracaços Lato, Boniek, Zmuda e Deyna (marcaram época nos anos 70 e 80).
    Que bom que o mangá ganhou popularidade lá !

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: