Retrospectiva 2022 – 5 notícias “inusitadas” dos mercados internacionais de mangás

Notícias do mundo que foram curiosas em 2022

Na postagem de retrospectiva de hoje o Blog BBM vem relembrar cinco situações curiosas ou inusitadas que ocorreram nos mercados de mangás mundo à fora no ano de 2022.


JBC no México? Panini Mexicana lança um box com o logo da JBC


No fim de janeiro e início de fevereiro de 2022, a editora Panini do México lançou um box para o mangá Fairy Tail. O box em questão compreendia os 24 primeiros volumes da série. Até aí nada estranho, mas ao olhar a caixa aparece uma coisa inusitada, está lá o logotipo da editora brasileira JBC^^.

A imagem é bastante clara, pois não somente tem  o logo como o preço (R$ 10,90) da versão brasileira do mangá. Fosse só uma imagem de divulgação acontece, daria para corrigir o erro, mas foi impresso assim mesmo e distribuído para venda (algumas lojas mostraram o box na Internet em suas dependências). Como aconteceu ninguém sabe, mas parece que depois recolheram o produto e reeditaram o box agora sem o logo da empresa brasileira…


O inusitado caso da editora estrangeira que reclama das lojas não fazerem pedidos


Aconteceu em junho de 2022 na Argentina. O mangá Kaiju Nº8 (que é um enorme sucesso no Japão e teve tratamento de ouro na França com grandes propagandas) teve o seu primeiro lançado no país vizinho e as lojas, no entanto, ignoraram o mangá fazendo poucos pedidos do mesmo.

Embora essa situação possa parecer estranha (afinal trata-se de uma obra muito popular), o que realmente foi “destaque” foi o desabafo da editora. Com esse acontecimento, a editora foi a público expor a situação, de uma maneira que pareceu uma grande reclamação contra tudo e todos, dizendo que era inacreditável que até reedições de qualquer série (inclusive séries que vendia pifiamente) foram mais pedidas que Kaiju Nº 8 #01. A empresa chegou a dizer que parte da culpa era do PÚBLICO o_O.

A atitude da empresa logo foi alvo de críticas nas redes sociais, especialmente por citar os CONSUMIDORES como parte do problema. Pela repercussão negativa, após um tempo a editora apagou o post das redes sociais.


Insólito: todos os volumes de “One Piece” em um


Aconteceu em setembro de 2022 na França, o artista grego Ilan Manouach pôs à venda uma edição do mangá One Piece compilando todos os 103 volumes lançados em um só. Muita gente não entendeu, mas se tratava de uma obra de arte e não um mangá para ler.

Tal obra de arte seria o livro  mais longo do mundo com 21450 páginas e a ideia por trás da obra de arte era repensar os quadrinhos na dualidade entre o leitor e o colecionador. Foram feitas 50 cópias dessa obra, todas vendidas.

Como dito muita gente não entendeu que se tratava de uma obra de arte e houve até veículo de impressa tradicional procurando saber se era um mangá licenciado^^.


Blind Pack: O caso do “gacha” de mangá da Itália


Acontecei em setembro de 2022 na Itália, a editora Panini lançou por lá o mangá Togen Anki, de Yura Urushibara. A obra – que não é tão conhecida por essas bandas – teve o primeiro volume publicado em uma ação bem diferente, quase um esquema de “figurinhas” ou, como muitos apelidaram, de “gacha de mangá”.

A Panini lançou o primeiro volume com três imagens de capa diferente. Uma regular (a ser reimpressa depois se esgotasse), uma variante limitada a 1000 cópias e uma outra variante limitada a apenas 100 cópias. A questão é que o volume viria fechado em um “blind pack” e você não saberia qual capa viria nele. Ou seja, era um jogo de azar^^.

Muitas pessoas compraram mais de um exemplar (alguns para fazer vídeos e tal) e o produto foi um sucesso esgotando em uma semana. A ação é controversa, mas é divertida e deu certo…


O Berserk Deluxe limitado na Itália


Ainda falando da Itália, essa notícia não publicamos no blog, mas falamos exaustivamente nas nossas redes sociais entre outubro e novembro de 2022. A Panini de lá começou a republicar o mangá Berserk na Itália em uma edição super premium, em um tamanho maior, 700 páginas por volume e com capa de couro, similar à versão deluxe americana da Dark Horse.

Enquanto um mangá comum da Panini custa no máximo uns 6,90 euros, esse Berserk saiu por 50 euros.

Só que o “plus” vem agora. O primeiro volume ganhou uma versão limitada variante, com uma capa em cor vermelha. Era chamada de Berserk Deluxe Eclipse Limited e só teria um total de 216 cópias, sendo vendida exclusivamente no site da Panini italiana. O preço? 200 euros. Vendeu? Esgotou em menos de 25 minutos.


Retrospectiva é uma série de postagens que fazemos todos os anos para relembrar o que de melhor e pior aconteceu no mercado brasileiro de mangás, além de outras notícias relacionadas ou não ao nosso país. Para ver todas as postagens deste ano, clique aqui.


NOS SIGA EM NOSSAS REDES SOCIAIS



4 Comments

  • Bruno M.

    O mais engraçado é saber que temos uma das maiores produtoras de papel do mundo aqui, mas mesmo para nós o papel sai mais caro do que para os gringos, vai entender…

  • Lindalberto Leal

    Se um mangá na Itália custa 6,9 euros (cerca de 38 reais) e o salário mínimo lá e de 1550 euros (lá não existe salário mínimo varia muito de cidade, região e profissão, mas esse número de 1550 e baseado em dados de 2022) então um manga custa o equivalente a 0,44% de um salário mínimo, comparando com a realidade brasileira, 0,44% de um salário mínimo seria 5,79 reais, ou seja, esses 6,9 euros tem, para eles o mesmo peso de se gastar 5,79 reais, por mais que tenhamos outros fatores a se levar em conta em economia, chega a ser ridículo a disparidade econômica e poder aquisitivo de um italiano médio e um brasileiro. Mesmo a edição mais cara de Berserk por 200 euros (que seria o equivalente a 1117 reais) seria o equivalente a gastar 168 reais em um único manga.

    • Só para esclarecer: a gente disse que os mangás comuns custam no máximo 6,90. Os mangás comuns da Itália começam custando por volta de 4,20 ou 4,30 dependendo da editora, que são em formato bem pequeno (sem sobrecapa) e papel parecendo papel jornal.

      Esses valores não variaram muito nos últimos anos. Enquanto aqui os mangás foram de 13,90 para 37,90 em quatro anos, lá os preços se mantiveram estáveis e só subiram coisa de centavos.

      (E os mangás da Itália são os mais baratos da Europa. Nenhum outro país tem preços tão baratos).

    • Anônimo

      A real é que no Brasil se você for acompanhar minimamente alguns mangas e quadrinhos publicados mensalmente o custo pode chegar no absurdo de 1 mil reais por mês e olha que não to falando de comprar tudo, só de você comprar umas 3 a 4 series de quadrinhos + umas 5 series de mangas chega nesse valor é realmente algo bizarro, o preço deveria ser muito mais baixo, tem quadrinho da panini que eu comprava quando era mais novo com a mesma qualidade capa dura que era 29,90 hoje esse mesmo quadrinho com o mesmo acabamento republicado chega a ser 110 reais é uma doidera isso

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: