Review

Resenha: Cardcaptor Sakura Clear Card Arc #03
Review

Resenha: Cardcaptor Sakura Clear Card Arc #03

E já chegamos ao terceiro volume de Cardcaptor Sakura Clear Card Arc e muitas coisas estão acontecendo, com novas cartas aparecendo o tempo todo, Tomoyo querendo filmar a amiga, além de um encontro ou outro entre Sakura e Shoran. Aqui nós já temos a presença de Akiho Shinomoto, a nova colega de classe que teve sua estreia no volume 2, e conhecemos Kaito, a pessoa que  serve a garota. ATENÇÃO: PODE TER SPOILERS DA SÉRIE Se, até então, um leitor mais desatento não teria pensado em qualquer relação envolvendo Shinomoto com a figura misteriosa que aparece nos sonhos de Sakura (muito porque no volume anterior Shoran e Eriol haviam dito que ela não tinha presença de poderes mágicos), agora começa-se a ficar com uma pulga atrás da orelha, pois ela mora na antiga casa do Eriol, residência do M...
Resenha: Algumas palavras sobre o odioso protagonista Subaru Natsuki e o volume 11 de “Re: Zero”
Review

Resenha: Algumas palavras sobre o odioso protagonista Subaru Natsuki e o volume 11 de “Re: Zero”

Se você acompanhou a anime de Re:Zero, leu a adaptação em mangá ou leu a light novel, muito provavelmente deve ter percebido o quão Subaru é um personagem, no mínimo detestável. E isso é uma das coisas que fazem dele um personagem tão interessante. ATENÇÃO: ESTE TEXTO CONTERÁ SPOILERS DE RE: ZERO ATÉ O VOLUME 11. LEIA POR SUA CONTA E RISCO. A questão é que ele está longe de ser um herói, mas ele deseja ser um, ele tem ímpeto para ser um. Quando a obra começa e ele se vê transportado para outro mundo, as aspirações dele já estão evidentes, querendo salvar pessoas com seus poderes para se mostrar. Ele se acha um ser especial, por ter sido invocado a um mundo paralelo, procurando a pessoa que o invocou e tudo mais. Claro que essa visão dele próprio vai mudando ao longo da trama e el...
Resenha: “Re:Zero – Capítulo 2: Uma Semana na Mansão” #02
Review

Resenha: “Re:Zero – Capítulo 2: Uma Semana na Mansão” #02

O segundo volume de Re:Zero - Capítulo 2: Uma Semana na Mansão dá continuidade à adaptação do segundo arco das light novels escritas por Tappei Nagatuski (livros 2 e livros 3). Ao final do primeiro volume, Subaru morreu misteriosamente, voltando no tempo para o momento em que ele foi acordado pelas empregadas gêmeas Ram e Rem. O segundo volume começa exatamente desse ponto e, a partir daí, Subaru tentará dar um jeito de sobreviver. Porém, SPOILER, ele morre de novo e de novo. Aqui mais uma vez são colocadas aquelas questões básicas sobre o retorno da morte e o carma que é ter esse poder, criando laços que ele considerou importante e perdendo-os em segundos. Para piorar a situação, Subaru acabou conhecendo a morte por meio das mãos de pessoas que ele julgava serem confiáveis, mãos que el...
“Guerreiras Mágicas de Rayearth”: comparando as edições brasileiras com a edição argentina
Review

“Guerreiras Mágicas de Rayearth”: comparando as edições brasileiras com a edição argentina

Em 2019, a editora Ivrea começou a lançar na Argentina o mangá Guerreiras Mágicas de Rayearth, do CLAMP. A edição hermana segue a versão deluxe japonesa, que tem capas novas, bastante diferente daquelas que a gente conhece no Brasil. A Ivrea, porém, trabalhou a imagem da versão deluxe e fez uma capa belíssima, de modo que a gente se sentiu tentado a comprar. Um tempo depois, tivemos a oportunidade de importar o volume e assim o fizemos sem peso na consciência, apesar do preço não ser lá tão bom assim. Então, a nossa postagem de hoje é sobre isso. A gente vem comparar a versão argentina, com as duas versões brasileiras, mostrando as semelhanças e as diferenças entre elas. Vem ver :). DETALHES SOBRE A OBRA Antes de mais nada é preciso lembrar que Guerreiras Mágicas de Rayear...
Resenha: A Heroica Lenda de Arslan (volume 1)
Review

Resenha: A Heroica Lenda de Arslan (volume 1)

Arslan Senki ou como é chamado no Brasil A Heroica Lenda de Arslan nasceu como uma série de livros no ano de 1986. Escrito por Yoshiki Tanaka (mesmo escritor de Legend of Galatic Heroes), a obra perdurou por décadas, até ser concluído em 2017, em um total de 16 volumes publicados. Durante esse período, várias coisas aconteceram e a série chegou a ganhar uma primeira adaptação em mangá pelas mãos de Chisato Nakamura. Publicada entre 1991 e 1996 na revista de mangás shoujos Asuka, da editora Kadokawa, a obra teve um total de 13 volumes lançados antes de ser concluído, obviamente sem adaptar toda a história, visto que ela só viria a ser encerrada vinte anos depois. Entre 1991 e 1995, os livros ainda foram adaptados para uma série de OVAS. Em 2013 veio a outra adaptação em mangá, dessa vez...
Resenha: O insólito e o clichê no mangá “Gigant”
Review

Resenha: O insólito e o clichê no mangá “Gigant”

A sinopse de Gigant, de Hiroya Oku, aliado a suas capas (com uma moça com peitos enormes) me afastaram de imediato desse mangá. A história de uma atriz pornô que fica gigante me parecia uma bizarrice que eu não teria a menor vontade de ver, pois tudo parecia ser feito apenas e tão somente para apresentar mais uma vez um fetiche por mulheres de peitos grandes, como a gente vê em várias e várias obras no Japão. Não tenho necessariamente um problema específico com obras que se utilizam disso, pois tem várias obras que eu gosto bastante que trabalham com ele, especialmente em forma de comédia. A questão é que em minha mente, a obra seria apenas e tão somente para isso, sem ter propriamente uma história. Querendo ou não, às vezes a gente julga o mangá pela capa (e pela sinopse), então eu nã...
Resenha: Ultramarine Magmell (volume 1)
Review

Resenha: Ultramarine Magmell (volume 1)

Talvez você não saiba, mas a palavra "Mangá" no Japão é um hiperônimo para histórias em quadrinhos. Ou seja, essa é a palavra que os japoneses usam para descrever esse tipo de arte de uma forma geral. Assim, um gibi da Turma da Mônica ou do Tio Patinhas seria um mangá para o nativo japonês. Aquela HQ americana do Super Homem? Mangá também. Tintin? Asterix? Persépolis? Mangá igualmente. E assim por diante. Não tem nada de semelhante entre esses tipos de obras, mas é tudo história em quadrinhos, portanto são todos mangás pela perspectiva japonesa da coisa. O uso, porém, fez com que os ocidentais assimilassem a palavra "Mangá" de uma maneira diferente, como se fosse sinônimo das histórias em quadrinhos produzidas no Japão e esse é o significado que a palavra tem no ocidente agora, até regi...
Resenha: Gunsmith Cats Burst (volume 1)
Review

Resenha: Gunsmith Cats Burst (volume 1)

No dia 18 de dezembro de 2019, a editora JBC lançou o primeiro ebook do mangá Gunsmith Cats Burst, uma das novas obras da editora. O título saiu primeiro em formato digital para somente depois ganhar uma versão impressa, com uma outra roupagem. Enquanto a versão digital terá 5 volumes como no original japonês, a versão impressa será BIG, reunindo os cinco números em apenas dois tomos. A estreia está programa para março. Se você ficou atento nas notícias, você já deve saber que Gunsmith Cats Burst é, na verdade, uma continuação de um outro mangá que nunca foi lançado no Brasil, intitulado apenas de Gunsmith Cats. A adaptação animada da obra original chegou a passar no país sob o título de As Gatas Atiradoras, mas muita gente nem lembra ou nem sabe disso. Daí que a ideia de ler um mangá q...
Resenha: Fairy Tail Blue Mistral (volume 1)
Review

Resenha: Fairy Tail Blue Mistral (volume 1)

Nessa altura do campeonato dizer que a franquia Fairy Tail é um sucesso no Brasil é chover no molhado. A obra foi lançada por inteiro, vieram diversos spin-offs e até mesmo outros mangás do autor (EDENS ZERO e HERO'S) apareceram, mostrando a força que a obra de Hiro Mashima tem em nosso país. Entretanto, não sou fã de Fairy Tail, só li o primeiro volume do mangá e nada mais. Não conheço a trama e só sei que as pessoas detestaram o final. No entanto, aqui estou eu com o primeiro volume de um spin-off em mãos. Por quê? Acontece que Fairy Tail Blue Mistral, a mais nova obra derivada a sair no Brasil, foi lançada no Japão na Nakayoshi, uma conhecida revista shoujo da editora Kodansha, e particularmente gosto bastante dos mangás publicados nela. Embora seja uma revista importante (foi a cas...